Are you the publisher? Claim or contact us about this channel


Embed this content in your HTML

Search

Report adult content:

click to rate:

Account: (login)

More Channels


Showcase


Channel Catalog


Channel Description:

Quando eu era menino, minha mãe me comprava uma série de revistas especializadas em astros da televisão. Muitas dessas revistas se perderam ao longo do tempo, muitas eu preservei e outras eu guardei apenas recortes. Nossos ídolos envelhecem, a gente envelhece, mas no nosso coração ficam guardadas as lembranças de um tempo que passou.Esse blog é minha forma de compartilhar com o mundo as imagens desse tempo. Boa viagem! Contato do blog: oriaselias@gmail.com

older | 1 | .... | 3 | 4 | (Page 5) | 6 | 7 | .... | 11 | newer

    0 0

    Érico de Freitas nasceu em Vitória (RS) em 1939. Aos 9 anos, após a morte do pai num acidente aéreo, foi com a mãe e a irão para o Rio de Janeiro. Aos 18 anos, conheceu o crítico e fundador do grupo “Os Comediantes”,  Brutus Pedreira, que o incentivou a estudar teatro na Bahia, onde conviveu com grandes intelectuais. Através do amigo, também chegou a Ziembinski e em 1962,  quando a  Companhia Cacilda Becker abriu teste para escolher um ator jovem para a montagem de “A Terceira Pessoa” de Andrew Rosenthal, Erico ganhou o papel concorrendo com outros 60 candidatos.

    Em 1963, atuou na montagem de “Um Bonde Chamado Desejo”, de Tennessee Wiliams, dirigida por Flávio Rangel, ao lado de Maria Fernanda no Teatro Dulcina.

    Na televisão Erico de Freitas atuou em teleteatros do “Grande Teatro Tupi”, no  “Teatrinho Trol”, de Fábio Sabag na TV Tupi, e fez parte do elenco da novela “A Cabana do Pai Tomás”, na Rede Globo.

    Em 1967 criou junto com Thais Portinho e Aldomar Conrado o Grupo 3, montando textos de Arrabal e Jean Genet. Em 1969 atuou em “O Avarento” de Molière ao lado de Procópio Ferreira.

    Nas décadas de 1960 e 1970, fez muito teatro, destacando-se as peças “Playboy”, “Tartufo”,  “Chão de Estrelas”, “Os 7 Gatinhos”, “O Olho Azul da Falecida”, “Pano de Boca”, “Botequim”, “Abelardo e Heloisa”. 

    Em 1977 assumiu a direção artística da Sala Funarte, dirigindo e criando shows musicais de grande  sucesso, a exemplo da  primeira versão do show “As Cantoras do Rádio” .  Ali dirigiu ainda shows com grandes nomes da MPB como Elizeth Cardoso, Cauby Peixoto, Radamés Gnattali, Zé Kéti, Clementina de Jesus, Nana Caymmi, Dona Ivone Lara e  Marlene. Também foi o responsável pelo lançamento da carreira de cantores como Emílio Santiago e Zélia Duncan.

    Muito querido pela classe artística carioca, colecionou uma infinidade de amigos, especialmente a atriz Isolda Cresta e a cantora Marlene.


    Érico de Freitas viveu os últimos anos de sua vida no bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro. Morreu aos 70 anos, no dia 20 de dezembro de 2009, em decorrência de uma pneumonia.

    Érico de Freitas 

    Érico de Freitas 

    Ênio Gonçalves, Érico de Freitas e João Paulo Adour numa foto dos anos 1960 
    Érico de Freitas com Cacilda Becker na peça A Terceira Pessoa (Andrew Rosenthal)

    Érico de Freitas com Sérgio Cardoso na peça A Terceira Pessoa

    Érico de Freitas com Cacilda Becker na peça A Terceira Pessoa

    Érico de Freitas com Maria Fernanda na peça Um Bonde Chamado Desejo (Tennessee Williams)

    Érico de Freitas com Thais Portinho e Carlos Vereza na peça Tricíclo  (Arrabal)

    Érico de Freitas com Carlos Vereza na peça As Criadas (Jean Genet)

    Érico de Freitas com Procópio Ferreira, Jorge Chaia e Isolda Cresta na peça O Avarento (Molière)

    Érico de Freitas (à esq.) com Elizabeth Gásper e João Paulo Adour na peça Filhos Terríveis 

    Érico de Freitas (à dir.) com João Paulo Adour e o elenco da peça Filhos Terríveis 

    Érico de Freitas na peça O Capeta de Caruaru (Aldomar Conrado)

    Érico de Freitas com Thelma Reston na peça Os Sete Gatinhos (Nelson Rodrigues)
    Érico de Freitas com Miriam Mehler em A Cabana do Pai Tomás (TV Globo, 1969) novela de Hedy Maia 

    Érico de Freitas com Miriam Mehler em A Cabana do Pai Tomás
     
    Érico de Freitas na Sala Funarte com os cantores Cauby Peixoto e Zezé Gonzaga 

    fotos:  Revistas Sétimo Céu (Bloch Editores), Imprensa Oficial SP, Acervo pessoal de Érico de Freitas, Acervo pessoal de João Paulo Adour, Acervo Funarte, sites diversos da Internet



    0 0

    Zeni Pereira de Castro nasceu em Salvador, BA, no dia 9 de Dezembro de 1924. Teve longa carreira no teatro, no cinema em mais de vinte filmes  e na televisão, onde marcou presença em mais de 20 novelas, se destacando como a primeira Tia Anastácia do Sítio do Pica-Pau Amarelo, na primeira versão da obra de Monteiro Lobato, realizada pela TV Tupi em 1952. Outro papel de grande destaque foi a Escrava Januária, protetora da heroína de Escrava Isaura.

    Filmes:  Running Out of Luck (1987); Brasa Adormecida (1987);  Femmine in fuga (1985);  Blame It on Rio (1984);  Gabriela, Cravo e Canela (1983);  Uma Aventura na Floresta Encantada (1978);  O Trapalhão na Ilha do Tesouro (1975);  Os Pastores da Noite (1975);  O Comprador de Fazendas (1974);  O Pica-pau Amarelo (1974);  Salve-se Quem Puder - Rally da Juventude(1972); Um Marido Sem… É Como um Jardim Sem Flores (1972); Quando o Carnaval Chegar (1972); Som Amor e Curtição(1972); Como Ganhar na Loteria sem Perder a Esportiva (1971); Rua Descalça(1971); Pais Quadrados… Filhos Avançados(1970); Jovens Pra Frente (1968); Samba (1965); Um Morto ao Telefone (1964); Teus Olhos Castanhos (1961); Samba em Brasília (1961); Orfeu Negro (1959).

    Trabalhos na TV: Sítio do Pica-Pau Amarelo (1952);  O Doce Mundo de Guida (1969);  Véu de Noiva (1969); Verão Vermelho (1970);  Irmãos Coragem (1970);  O Homem que Deve Morrer (1971);  Bicho do Mato (1972);  A Patota (1972);  Carinhoso (1973);  Escalada(1975);  Escrava Isaura (1976);  Dona Xepa (1977);  O Pulo do Gato (1978 - Participação Especial);  Plantão de Polícia (1979);  Caso Verdade ( 1982- episódio: Borboleta na Cabeça );  Corpo a Corpo (1984);  Sinhá Moça (1986);  O Pagador de Promessas (1988);  Vale Tudo (1988);  Kananga do Japão (1989);  Rainha da Sucata (1990);  Anos Rebeldes (1992);  Você Decide (1992 - Episódios: Palavras de Amor / A Cor do Amor);  Pátria Minha (1994);


    Zeni Pereira morreu em  21 de Março de 2002 no Rio de Janeiro, RJ, aos 77 anos de idade, em decorrência de um Derrame Cerebral.



    Zeni Pereira

    Zeni Pereira

    Zeni Pereira
    Zeni Pereira 

    Zeni Pereira
    Zeni Pereira 
    Zeni Pereira

    Zeni Pereira  com Cacilda Becker na peça Paiol Velho

    Zeni Pereira com Marcello Mastroiani e Sônia Braga no filme Gabriela Cravo e Canela

    Zeni Pereira no filme Salve-se Quem Puder

    Zeni Pereira com Emiliano Queiroz, Jurema Penna e Ida Gomes na novela Verão Vermelho

    Zeni Pereira com Zilka Salaberry na novela Irmãos Coragem

    Zeni Pereira com Beatriz Lyra na novela Escrava Isaura

    Zeni Pereira com Dionísio Azevedo e Yara Cortes na novela Dona Xepa

    Zeni Pereira com Marcos Nanini na novela Carinhoso
    Zeni Pereira com Marcos Nanini e Regina Duarte na novela Carinhoso

    Zeni Pereira com Marcos Nanini e Regina Duarte na novela Carinhoso

    Zeni Pereira com Regina Duarte na novela Carinhoso

    Zeni Pereira com Glória Menezes na novela Corpo a Corpo




    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Imprensa Oficial, Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet 


    0 0

    Raul Oliveira Gazolla nasceu no Rio de Janeiro em 7 de agosto de 1955. Começou sua carreira televisiva em 1987, na TV Globo, atuando em pequenos papéis. Sua grande chance aconteceu quando foi escolhido para protagonizar a novela “Kananga do Japão” na TV Manchete em 1989, atuando com estrelas do porte de Tônia Carrero, Cristhiane Torloni e Elaine Cristina. Nessa fase de sua carreira, firmou-se também como um galã sexy e adepto da linha fitness. O sucesso foi absoluto.

    Depois de mais alguns trabalhos na emissora de Adolpho Bloch, voltou à TV Globo, atuando em várias minisséries e novelas, duas delas (“O Clone” e “América”), escritas por  sua sogra Glória Perez, mãe de sua mulher Daniella Perez, que foi barbaramente assassinada em 1992 por um colega de trabalho chamado Guilherme de Pádua. Depois da tragédia, Raul Gazolla voltou a se casar e teve quatro filhas. Em 2006 transferiu-se para a TV Record, onde tem atuado em diversas novelas.


    Além da televisão, Gazolla também participou de vários espetáculos teatrais e filmes. Aqui estão alguns momentos da carreira do galã. 

    Raul Gazolla

    Raul Gazolla

    Raul Gazolla

    Raul Gazolla


    Raul Gazolla

    Raul Gazolla

    Raul Gazolla

    Raul Gazolla

    Raul Gazolla

    Raul Gazolla

    Raul Gazolla

    Raul Gazolla

    Raul Gazolla



    Raul Gazolla


    Raul Gazolla

    Raul Gazolla

    Raul Gazolla com Lucinha Lins, Alexandre Frota e Cláudia Raia no musical Splish Splash

    Raul Gazolla com Daniella Perez

    Raul Gazolla em ensaio sexy na revista Intima

    Raul Gazolla com Cristhiane Torloni em Kananga do Japão (TV Manchete, 1989), novela de Wilson Aguiar Filho, direção de Tizuka Yamasaki

    Raul Gazolla com Cristhiane Torloni em Kananga do Japão

    Raul Gazolla com Cristhiane Torloni em Kananga do Japão
    Raul Gazolla com Cristhiane Torloni em Kananga do Japão
    Raul Gazolla com Cristhiane Torloni em Kananga do Japão

    Raul Gazolla com Tônia Carrero em Kananga do Japão

    Raul Gazolla com Tônia Carrero em Kananga do Japão

    Raul Gazolla com Tônia Carrero em Kananga do Japão

    Raul Gazolla com Tônia Carrero em Kananga do Japão

    Raul Gazolla com Tônia Carrero em Kananga do Japão


    Raul Gazolla com Elaine Cristina em Kananga do Japão

    Raul Gazolla com Elaine Cristina em Kananga do Japão


    Raul Gazolla em  Guerra sem Fim (TV Manchete, 1993/94), novela de José Louzeiro, direção de Marcos Schechtman
    Raul Gazolla com Ângelo Antônio e Letícia Sabatella  em 74.5 - Uma Onda No Ar (TV Manchete, 1994), novela de Chico de Assis, direção de Cecil Thiré

    Raul Gazolla com Daniella Perez

    Raul Gazolla na minissérie Filhos do Sol (TV Manchete, 1991), escrita por Walcyr Carrasco, direção de Henrique Martins

    Raul Gazolla na minissérie Filhos do Sol  

    Raul Gazolla com Cláudia Raia e Edson Celulari em Deus nos Acuda (TV Globo, 1992), novela de Silvio de Abreu, direção de Jorge Fernando

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores),  Manchete (Bloch Editores), Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet 


    0 0
  • 12/22/15--14:54: LUCÉLIA SANTOS NO CINEMA

  • Lucélia Santos e José Lewgoy no filme O Ibraim do Subúrbio

    Lucélia Santos com Eloísa Mafalda e José Lewgoy no filme O Ibraim do Subúrbio

    Lucélia Santos com Eloísa Mafalda e José Lewgoy no filme O Ibraim do Subúrbio

    Lucélia Santos - cartaz do filme Engraçadinha

    Lucélia Santos no filme Bonitinha, Mas Ordinária

    Lucélia Santos com Marcus Alvisi no filme Álbum de Família

    Lucélia Santos - cartaz do filme Luz del Fuego

    Lucélia Santos com Cláudio Marzo no filme A Fonte da Saudade

    Lucélia Santos e Nuno Leal Maia no filme As Sete Vampiras


    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores),  sites diversos da Internet, site Banco de Conteudos Culturais (www.bcc.org.br) 

    0 0
  • 12/22/15--14:54: LUCÉLIA SANTOS NAS NOVELAS
  • Lucélia Santos e Edwin Luisi em Escrava Isaura (TV Globo, 1976), novela de Gilberto Braga, baseada no romance homônimo de Bernardo Guimarães

    Lucélia Santos e Edwin Luisi em Escrava Isaura

    Lucélia Santos com Rubens de Falco em Escrava Isaura

    Lucélia Santos com Rubens de Falco e Edwin Luisi em Escrava Isaura

    Lucélia Santos com Rubens de Falco em Escrava Isaura

    Lucélia Santos com Rubens de Falco em Escrava Isaura

    Lucélia Santos com  Edwin Luisi e Rubens de Falco em Escrava Isaura

    Lucélia Santos com Norma Blum e Mário Cardoso em Escrava Isaura

    Lucélia Santos e Roberto Pirillo em Escrava Isaura

    Lucélia Santos e Roberto Pirillo em Escrava Isaura


    Lucélia Santos com Edwin Luisi e André Valli numa cena de Escrava Isaura

    Lucélia Santos com Átila Iório e Edwin Luisi em Escrava Isaura

    Lucélia Santos e Ângela leal em Escrava Isaura

    Lucélia Santos e Edwin Luisi em Escrava Isaura

    Lucélia Santos e Aracy Balabanian em Locomotivas (TV Globo, 1977), novela de Cassiano Gabus Mendes

    Lucélia Santos e Aracy Balabanian em Locomotivas 

    Lucélia Santos com Eva Todor e Aracy Balabanian em Locomotivas 

    Lucélia Santos e o elenco feminino de Locomotivas 

    Lucélia Santos com Denise Bandeira, Jorge Fernando e Fábio Júnior em Ciranda Cirandinha 

    Lucélia Santos e Stepan Nercessian em Feijão Maravilha (TV Globo, 1979), novela de Bráulio Pedroso

    Lucélia Santos com Mara Rúbia em Feijão Maravilha

    Lucélia Santos com Marcelo Picchi e Roberto Pirillo em Ciranda de Pedra (TV Globo, 1981), novela de Teixeira Filho, baseada no romance homônimo de Lígia Fagundes Telles

    Lucélia Santos com José Mayer em Guerra dos Sexos (TV Globo, 1983), novela de Silvio de Abreu

    Lucélia Santos em Guerra dos Sexos 

    Lucélia Santos com Mário Gomes e Jonas Torres em Vereda Tropical (TV Globo, 1984), novela de Silvio de Abreu e Carlos Lombardi

    Lucélia Santos com Mário Gomes e Gianfrancesco Guarnieri em Vereda Tropical

    Lucélia Santos com Mário Gomes e Maria Zilda em Vereda Tropical

    Lucélia Santos com Marcos Paulo em Sinhá Moça (TV Globo, 1986), novela de Benedito Ruy Barbosa, baseada no romance homônimo de Maria Dezonne Pacheco Fernandes

    Lucélia Santos com Marcos Paulo e Sérgio Viotti em Sinhá Moça

    Lucélia Santos com Elaine Cristina em Sinhá Moça

    Lucélia Santos com Rubens de Falco em Sinhá Moça

    Lucélia Santos com Rubens de Falco em Sangue do Meu Sangue (SBT, 1995), remake do antigo sucesso de Vicente Sesso na TV Excélsior

    Lucélia Santos com Osmar Prado em Sangue do Meu Sangue


    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores),  Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet 


    0 0

    O imenso sucesso de Lucélia Santos nos anos 1980 pode ser medido pelas inúmeras capas de revistas em que apareceu. Aqui algumas delas

    Lucélia Santos e Roberto Pirillo - Escrava Isaura

    Lucélia Santos e Edwin Luisi - Escrava Isaura

    Lucélia Santos e Edwin Luisi - Escrava Isaura

    Lucélia Santos e Rubens de Falco - Escrava Isaura

    Lucélia Santos, Edwin Luisi e Rubens de Falco - Escrava Isaura

    Lucélia Santos e Aracy Balabanian - Locomotivas

    Lucélia Santos com Walmor Chagas e Aracy Balabanian - Locomotivas

    Lucélia Santos com Walmor Chagas, Tony Correia  e Aracy Balabanian - Locomotivas

    Lucélia Santos - Locomotivas

    Lucélia Santos e Tony Correia  - Locomotivas

    Lucélia Santos e Tony Correia  - Locomotivas
    Lucélia Santos e Tony Correia  - Locomotivas

    Lucélia Santos, Tony Correia e Maria Cristina Nunes - Locomotivas

    Lucélia Santos e Walmor Chagas - Locomotivas

    Lucélia Santos e Walmor Chagas - Locomotivas

    Lucélia Santos e Walmor Chagas - Locomotivas

    Lucélia Santos e Walmor Chagas - Locomotivas

    Lucélia Santos, Walmor Chagas  e Tony Correia - Locomotivas

    Lucélia Santos e Aracy Balabanian - Locomotivas

    Lucélia Santos e Fábio Júnior  - Água Viva

    Lucélia Santos e Fábio Júnior  - Água Viva

    Lucélia Santos e Fábio Júnior  - Água Viva

    Lucélia Santos e Kadu Moliterno  - Água Viva
    Lucélia Santos, Fábio Júnior  e Kadu Moliterno - Água Viva

    Lucélia Santos, Mauro Mendonça  e Eloísa Mafalda - Água Viva

    Lucélia Santos com Aracy Cardoso, Mauro Mendonça  e Eloísa Mafalda - Água Viva

    Lucélia Santos e Tarcísio Meira - Guerra dos Sexos

    Lucélia Santos, Tarcísio Meira e Maria Zilda - Guerra dos Sexos

    Lucélia Santos, Tarcísio Meira e Maria Zilda - Guerra dos Sexos

    Lucélia Santos e Mário Gomes - Vereda Tropical

    Lucélia Santos, Mário Gomes e Jonas Torres - Vereda Tropical

    Lucélia Santos, Mário Gomes e Maria Zilda - Vereda Tropical

    Lucélia Santos, Mário Gomes e Maria Zilda - Vereda Tropical

    Lucélia Santos, Mário Gomes e Jonas Torres - Vereda Tropical

    Lucélia Santos e Mário Gomes - Vereda Tropical

    Lucélia Santos e Paulo Betti - Vereda Tropical

    Lucélia Santos e Gianfrancesco Guarnieri - Vereda Tropical

    Lucélia Santos e Mário Gomes - Vereda Tropical

    Lucélia Santos com Paulo Betti e Mário Gomes - Vereda Tropical

    Lucélia Santos com Walmor Chagas e Jonas Torres - Vereda Tropical

    Lucélia Santos e Paulo Gorgulho - Carmem

    Lucélia Santos e Paulo Betti  - Carmem

    Lucélia Santos  - Carmem

    Lucélia Santos e Paulo Gorgulho - Carmem

    Lucélia Santos com José Wilker e Paulo Betti - Carmem

    Lucélia Santos  - Carnaval

    Lucélia Santos  - Carmem

    Lucélia Santos com Paulo Betti e Paulo Gorgulho - Carmem

    Lucélia Santos  - Carmem

    Lucélia Santos e José Wilker - Carmem

    Lucélia Santos  e Nuno Leal Maia

    Lucélia Santos  e Mário Cardoso

    Lucélia Santos  e Regina Duarte

    Lucélia Santos  com Aracy Balabanian, Walmor Chagas e Cláudio Marzo 

    Lucélia Santos  - Playboy


     Fotos - acervo de Orias Elias

    0 0

    Maria Lucélia dos Santos nasceu em Santo André (SP) no dia 20 de maio de 1957.

    Estreou no teatro aos catorze anos, na peça infantil Dom Chicote Mula Manca e seu fiel companheiro Zé Chupança.  Seguiram-se os espetáculos Godspell,Rock Horror Show e Transe no 18

    Foi então que, em 1976, Herval Rossano sugeriu seu nome para estrelar a  telenovela Escrava Isaura, uma adaptação do romance de Bernardo Guimarães, que estava sendo desenvolvida por Gilberto Braga. O autor pensava em Yoná Magalhães para o papel, mas Herval  Rossano o convenceu a confiar o papel à talentosa novata. A novela, que a princípio seria mais uma adaptação de um clássico romântico para o horário das 18 Horas, revelou-se um sucesso estrondoso e a doce Isaura desde então corre o mundo, tornando-se uma das novelas mais vistas no planeta.  

    Elevada ao panteão das estrelas globais, seguiu-se uma bem sucedida temporada do seriado Ciranda Cirandinha (1978) e outras novelas de sucesso na TV Globo: Locomotivas (1977), Água Viva (1980), Ciranda de Pedra (1981), Guerra dos Sexos(1983),  Vereda Tropical (1984), Meu Destino é Pecar (1984) e Sinhá Moça (1986). Na TV manchete protagonizou Carmem (1987) e no SBT foi a heroína de Sangue do meu Sangue  (1995). Estranhamente, sua carreira na televisão estagnou-se a partir dos anos 1990 e desde então não emplacou mais nenhum sucesso como os conseguidos nos anos 1980.


    No cinema, por sugestão do próprio autor Nelson Rodrigues, protagonizou com grande sucesso as versões de suas peças  Bonitinha, mas Ordinária,  Engraçadinha eÁlbum de Família. Outros bons filmes foram Luz del Fuego, Baixo Gávea, O Ibrahin do Subúrbio e  Fonte da saudade. Assim como na televisão Lucélia Santos teve uma fase áurea nas telas e depois perdeu o ritmo.

    Para preencher esse vácuo, a atriz dedicou-se ao teatro e também à direção de documentários.


    Lucélia Santos foi casada com o maestro John Neschling, com quem tem um filho, Pedro Neschling.


    Vamos recordar alguns momentos da fulgurante carreira da nossa eterna Escrava Isaura.




    Lucélia Santos

    Lucélia Santos

    Lucélia Santos e Rubens de Falco - Grandes amigos na vida, inimigos mortais na TV

    Rubens de Falco, Lucélia Santos e Edwin Luisi - O trio de sucesso da Escrava Isaura

    Lucélia Santos e Walmor Chagas - parceiros em Locomotivas, amigos para sempre na vida

    Lucélia Santos e Toni Correa - Locomotivas

    Lucélia Santos e Aracy Balabanian - Locomotivas

    Lucélia Santos e Aracy Balabanian - Locomotivas

    Lucélia Santos e Walmor Chagas - Locomotivas

    Lucélia Santos, Tereza Sodré, Aracy Balabanian, Thais Andrade e Maria Cristina Nunes -   Locomotivas

    Lucélia Santos e Mário Gomes - Vereda Tropical

    Lucélia Santos e Gianfrancesco Guarnieri - Vereda Tropical

    Lucélia Santos - Ciranda Cirandinha

    Lucélia Santos - Água Viva

    Lucélia Santos  - Ciranda de Pedra

    Lucélia Santos e Lauro Corona 

    Lucélia Santos e Herson Capri - Guerra dos Sexos

    Lucélia Santos e Edwin Luisi - Escrava Isaura

    Lucélia Santos e Marcos Nanini - Feijão Maravilha

    Lucélia Santos e Nuno Leal Maia 

    Lucélia Santos e Rubens de Falco na Marquês de Sapucaí

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores),  Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet 

    0 0

    Norma Blum nasceu no Rio de Janeiro em  11 de outubro de 1939.  Filha de um professor, ingressou na televisão na TV Tupi do Rio, dando aulas de inglês como assistente do pai. Já em 1954, então com 15 anos de idade, começou a participar dos programas da emissora, sob a direção de Maurício Sherman (Teatro de Comédia), Sérgio Britto (Grande Teatro Tupi) e Fábio Sabag (Teatrinho Trol).  Participou também de novelas ao vivo, como A Canção de Bernadete, onde interpretou Nossa Senhora de Lourdes.  Norma Blum também participou, em 1965, de Ilusões Perdidas, a primeira novela da TV Globo (então TV Paulista). Em 1966 integrou o cast da TV Tupi, estrelando a adaptação de Os Irmãos Corsos. De volta ao Rio, atuou em novelas de Gloria Magadan para a TV Globo: O Homem Proibido (1967), A Gata de Vison (1968) e  A Última Valsa (1969), além da apresentação de programas.

    Depois de um período afastada da televisão, retornou à TV Globo em 1975 para atuar na adaptação para a TV de Pluft, o Fantasminha.  Seguiram-se várias novelas como Senhora (1975),  Bravo!(1975), Escrava Isaura (1976), Vejo a Lua no Céu (1976),  Marina(1980), Ciranda de Pedra (1981), Elas por Elas (1982), Sinhá Moça (1986), Bambolê (1987),  Lua Cheia de Amor (1990) e Anos Rebeldes (1992). Depois de um tempo afastada da televisão, período em que cuidou dos filhos e atuou no teatro, voltou em 2001 para integrar o elenco de A Pícara Sonhadora, produção do SBT. Os tempos eram outros e os papéis já eram bem menores. Fez uma participação especial em Celebridade (TV Globo, 2003) e na nova versão de A Escrava Isaura (TV Record, 2004). Também atuou em Malhação (2007/2008). Em 2011, a convite do amigo Gilberto Braga, defendeu uma das personagens de Insensato Coração na Rede Globo, onde vem aparecendo, esporadicamente, em outras produções.


    Além dos trabalhos em televisão, Norma Blum contabiliza dezenas de participações em teatro e cinema. Vamos recordar aqui alguns momentos da carreira desta pioneira, bela e talentosa atriz.


    Norma Blum

    Norma Blum

    Norma Blum

    Norma Blum

    Norma Blum

    Norma Blum

    Norma Blum

    Norma Blum e Milton Ribeiro

    Norma Blum com Roberto de Cleto no Teatrinho Trol (TV Tupi, Rio)

    Norma Blum entre Maria Pompeu e Dinorah Marzullo no Teatrinho Trol (TV Tupi, Rio)

    Norma Blum com Ary Coslov, Roberto de Cleto e Moacir Deriquém no Teatrinho Trol (TV Tupi, Rio)

    Norma Blum com Aldo de Maio e Sérgio Brito no Grande Teatro Tupi (TV Tupi, Rio)

    Norma Blum em A Canção de Bernadete (TV Tupi, Rio)

    Norma Blum com Ítalo Rossi em Ilusões Pedidas (TV Globo, 1965), novela de Enia Petri 

    Norma Blum com Ítalo Rossi em Ilusões Pedidas  

    Norma Blum com Rosita Tomaz Lopes em Ilusões Pedidas  

    Norma Blum com Hélio Souto em Os Irmãos Corsos (TV Tupi, 1966), novela de Daniel Gonzalez, baseada no romance homõnimod e Alexandre Dumas
    Norma Blum com Hélio Souto em Os Irmãos Corsos

    Norma Blum com Hélio Souto em Os Irmãos Corsos

    Norma Blum com Hélio Souto em Os Irmãos Corsos

    Norma Blum com Hélio Souto em Os Irmãos Corsos
    Norma Blum com José Parisi em Os Irmãos Corsos

    Norma Blum com Ítalo Rossi em O Homem Proibido (TV Globo, 1968), novela de Glória Magadan

    Norma Blum com Cláudio Marzo em Senhora (TV Globo, 1975), novela de Gilberto Braga, adaptada da obra de José de Alencar

    Norma Blum em Senhora 

    Norma Blum com Lúcia Alves e Aurimar Rocha em Senhora 

    Norma Blum com Paulo Ramos em Senhora 

    Norma Blum com Paulo Ramos em Senhora

    Norma Blum em Senhora

    Norma Blum em Senhora

    Norma Blum em Senhora

    Norma Blum em Senhora

    Norma Blum com Paulo Ramos em Senhora

    Norma Blum com Paulo Ramos em Senhora

    Norma Blum com Cláudio Marzo em Senhora 
    Norma Blum com Zilka Salaberry em Senhora 

    Norma Blum com Zilka Salaberry em Senhora

    Norma Blum em Senhora



    Norma Blum com Cláudio Cavalcanti em Bravo! (TV Globo, 1975), novela de Gilberto Braga

    Norma Blum com Eduardo Tornaghi em Vejo a Lua No Céu (TV Globo, 1976), novela de Silvan Paezzo, adaptada do romance de Marques Rabello

    Norma Blum com Eduardo Tornaghi em Vejo a Lua No Céu

    Norma Blum com Eduardo Tornaghi em Vejo a Lua No Céu

    Norma Blum em Vejo a Lua No Céu

    Norma Blum com Cláudio Cavalcanti em Vejo a Lua No Céu
    Norma Blum com Eduardo Tornaghi em Vejo a Lua No Céu


    Norma Blum com Eduardo Tornaghi e Cleide Blota em Vejo a Lua No Céu

    Norma Blum com Eduardo Tornaghi e Cleide Blota em Vejo a Lua No Céu

    Norma Blum com Eduardo Tornaghi em Vejo a Lua No Céu

    Norma Blum com Eduardo Tornaghi em Vejo a Lua No Céu

    Norma Blum em A Escrava Isaura (TV Globo, 1976/77), novela de Gilberto Braga, adaptada da obra de Bernardo Guimarães

    Norma Blum com Lucélia santos e Mário Cardoso em A Escrava Isaura 

    Norma Blum com Mário Cardoso em A Escrava Isaura

    Norma Blum com Mário Cardoso em A Escrava Isaura

    Norma Blum e Mário Cardoso em A Escrava Isaura

    Norma Blum e Mário Cardoso em A Escrava Isaura

    Norma Blum com Lucélia Santos em A Escrava Isaura

    Norma Blum com Mário Cardoso em A Escrava Isaura

    Norma Blum com Mário Cardoso em A Escrava Isaura

    Norma Blum em Ciranda de Pedra (TV Globo, 1981), novela de Teixeira Filho, adaptada da obra de Ligia Fagundes Telles

    Norma Blum em Ciranda de Pedra 

    Norma Blum com Laerte Morrone em Elas Por Elas (TV Globo, 1982), novela de Cassiano Gabus Mendes

    Norma Blum com Patrícia Pillar e José Augusto Branco em Sinhá Moça (TV Globo, 1986), novela de Benedito Ruy Barbosa, adaptada da obra de Maria Dezonne Pacheco

    Norma Blum em Lua Cheia de Amor (TV Globo, 1990), novela de Gilberto Braga, baseada na peça Dona Xepa de Pedro Bloch

    Norma Blum com Edurado Tornaghi numa fotonovela da revista Sétimo Céu
    Norma Blum no livro biográfico Muitas Vidas, editado pela Imprensa Oficial do Estado de São Paulo

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet 


    0 0

    Nélson Caruso nasceu no Rio de Janeiro. Atuou em diversas novelas nas TVs Tupi e Globo nos anos 1970 e também em filmes e peças teatrais.  Seu primeiro trabalho em novelas foi em Irmãos Coragem, em 1970. Na TV Tupi se destacou em A Barba Azul e As Divinas e... Maravilhosas, além do seriado Jerônimo, o Herói do Sertão. Na TV Globo, atuou em várias novelas com destaque para Sinal de Alerta, Memórias de Amor e O Pulo do Gato.


     Nelson Caruso morreu em 15 de Fevereiro de 1982, aos 43 anos de idade, vítima de um ataque cardíaco quando mergulhou na piscina de um hotel na cidade de Itacuraçá (RJ), onde passava o feriado de carnaval.



    Interrompia-se assim uma carreira de bons serviços prestados. Na vida pessoal foi casado com as atrizes Rose Rondelli e Iris Bruzzi, com quem teve um filho. Também teve um primeiro casamento com Sandra Viçoso Jardim, mãe de dois de seus três filhos. 

    Nélson Caruso

    Nélson Caruso

    Nélson Caruso

    Nélson Caruso

    Nélson Caruso

    Nélson Caruso

    Nélson Caruso

    Nélson Caruso com Pepita Rodrigues na TV Tupi

    Nélson Caruso e Iris Bruzzi

    Nélson Caruso e Iris Bruzzi

    Nélson Caruso e Iris Bruzzi

    Nélson Caruso com Suely Franco na peça Fala Baixo, Senão eu Grito

    Nélson Caruso com Camila Amado na peça O Vôo dos Pássaros Selvagens

    Nélson Caruso com Paulo Hesse no filme O Ibraim do Subúrbio

    Nélson Caruso com Felipe Carone na novela Uma Rosa Com Amor (TV Globo, 1972)

    Nélson Caruso com Lady Francisco no seriado Jerônimo, o Herói do Sertão (TV Tupi, 1973)

    Nélson Caruso com Lady Francisco no seriado Jerônimo, o Herói do Sertão

    Nélson Caruso com Lady Francisco no seriado Jerônimo, o Herói do Sertão

    Nélson Caruso (centro, sentado) com o elenco de Jerônimo, o Herói do Sertão

    Nélson Caruso com Nathalia Timberg na novela  As Divinas e... Maravilhosas (TV Tupi, 1973)

    Nélson Caruso com Kate Hansen na novela  A Barba Azul (TV Tupi, 1974)

    Nélson Caruso com João Signorelli e Analu Grace na novela A Barba Azul    

    Nélson Caruso com Maria Cláudia  na novela proibida  Despedida de Solteiro (TV Globo, 1977)

    Nélson Caruso com Isabel Ribeiro na novela Sinal de Alerta (TV Globo, 1978)

    Nélson Caruso com Karin Rodrigues e Luiz Armando Queiroz na novela  Memórias de Amor (TV Globo, 1979)

    Nélson Caruso com Sandra Barsotti numa fotonovela da revista Sétimo Céu

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet 


    0 0

    Ênio de Azevedo Santos nasceu em Porto Alegre no dia  15 de janeiro de 1922. Aos 13 anos mudou-se para o Rio de Janeiro. Começou sua carreira artística como cantor em programas de calouro no rádio.  Nos anos 1960 começou a participar de radioteatros indo em seguida para a televisão. Em 1967 participou de sua primeira telenovela na TV Globo: Anastácia, a Mulher Sem Destino. Não parou mais. Vieram em seguida Sangue e Areia (1968),  Passo dos Ventos (1968), Rosa Rebelde (1969),  Véu de Noiva (1969),  Irmãos Coragem (1970),  O Homem Que Deve Morrer (1971),  Uma Rosa Com Amor (1972),  O Semideus (1973),  Fogo Sobre Terra (1974),  Escalada(1975),  Estúpido Cupido (1976), Dona Xepa (1977), O Astro (1978), Feijão Maravilha (1979),  Os Gigantes (1979),  Olhai Os Lírios do Campo (1980),  Água Viva (1981), Ciranda de Pedra(1981), Sétimo Sentido (1982), Final Feliz (1982), Eu Prometo (1983), Vereda Tropical(1984), Selva de Pedra (1986), Vida Nova (1988), Tieta (1989), Salomé(1991), Mulheres de Areia (1993), Quem é Você? (1996), O Cravo e a Rosa (2000). Era um doas atores preferidos de Janete Clair, tendo atuado em todas as novelas escritas por ela na TV Globo. Também atuou nas minisséries O Pagador de Promessas (1988), O Primo Basílio (1988), La Mamma (1990) e  Incidente em Antares (1994). Fora da TV Globo, atuou em Os Imigrantes em 1981 na TV Bandeirantes.

    No cinema,  atuou nos filmes: Fantasma Por Acaso, Asas do Brasil, Obrigado, Doutor, Poeira de Estrelas, Por Um Céu de Liberdade, Copacabana Me Engana, Os Condenados, As Moças Daquela Hora, Ipanema Adeus, Tem Folga na Direção e Nunca Fomos TãoFelizes .


    Além de atuar em televisão e cinema, Ênio Santos foi também um grande dublador de filmes. Entre seus trabalhos de  maior destaque estão as dublagens do  Zangado em Branca deNeve, o Timóteo em Dumbo, o narrador em Hércules, a Fa Zu em Mulan, o Chefe Ponto em Moby Dick e o Willy Wonka em A Fantástica Fábrica de Chocolate.



    Ênio Santos morreu no dia 30 de janeiro de 2002, aos 80 anos de idade,  de falência múltipla dos órgãos.

    Vamos recordar um pouco de sua imensa folha de serviços prestados:

    Ênio Santos

    Ênio Santos

    Ênio Santos

    Ênio Santos em Anastácia, a Mulher Sem Destino (TV Globo, 1967), novela de Janete Clair

    Ênio Santos em Anastácia, a Mulher Sem Destino 

    Ênio Santos, Zilka Salaberry, Cláudio Marzo e Paulo Padilha em Sangue e Areia (TV Globo, 1968), novela de Janete Clair

    Ênio Santos com Theresa Amayo e Glória Menezes em Passo do Ventos (TV Globo, 1968/69), novela de Janete Clair

    Tarcísio Meira, Ênio Santos, Miriam Pires, Ana Ariel, Rogério Fróes, Licia Magna e Myriam Pérsia em A Rosa Rebelde (TV Globo, 1969), novela de Janete Clair

    Ênio Santos com Ana Ariel em Irmãos Coragem (TV Globo, 1970), novela de Janete Clair

    Ênio Santos com Zilka Salaberry e Tarcísio Meira em Irmãos Coragem 

    Ênio Santos em Irmãos Coragem  

    Ênio Santos em Irmãos Coragem 

    Ênio Santos com o elenco de Irmãos Coragem 

    Ênio Santos com Neuza Amaral em O Homem Que Deve Morrer (TV Globo, 1971), novela de Janete Clair

    Ênio Santos com Zilka Salaberry e Neuza Amaral em O Homem Que Deve Morrer 

    Ênio Santos em O Homem Que Deve Morrer 

    Ênio Santos com Yoná Magalhães em Uma Rosa Com Amor (TV Globo, 1972), novela de Vicente Sesso

    Ênio Santos com Yoná Magalhães em Uma Rosa Com Amor

    Ênio Santos com Marília Pêra em Uma Rosa Com Amor

    Ênio Santos com Marília Pêra em Uma Rosa Com Amor

    Aurimar Rocha, Rosita Tomaz Lopes, Yoná Magalhães, Ênio Santos e Beth Barcellos em Uma Rosa Com Amor

    Ênio Santos com Beth Barcellos e Yoná Magalhães em Uma Rosa Com Amor
    Ênio Santos com Yoná Magalhães em Uma Rosa Com Amor

    Ênio Santos com Yoná Magalhães em Uma Rosa Com Amor

    Ênio Santos com Neuza Amaral em Fogo Sobre Terra (TV Globo, 1974), novela de Janete Clair

    Ênio Santos com Jayme Barcellos em Fogo Sobre Terra 

    Ênio Santos com Jayme Barcellos, Regina Duarte, Antônio Victor e Fúlvio Stefanini em Fogo Sobre Terra

    Ênio Santos (penúltimo em pé, à direita) e o elenco de Fogo Sobre Terra

    Ênio Santos - Fogo Sobre Terra
    Ênio Santos com Tarcísio Meira em Escalada (TV Globo, 1975), novela de Lauro César Muniz

    Ênio Santos com Nuno Leal Maia em Estúpido Cupido (TV Globo, 1976), novela de Mário Prata

    Ênio Santos com Ida Gomes em Dona Xepa (TV Globo, 1977), novela de Gilberto Braga

    Ênio Santos com Edwin Luisi e Dionísio Azevedo em O Astro (TV Globo, 1978), novela de Janete Clair

    Ênio Santos com Edwin Luisi e Dionísio Azevedo em O Astro

    Ênio Santos com Edwin Luisi em O Astro

    Ênio Santos com Tamara Taxman em Sétimo Sentido (TV Globo, 1982), novela de Janete Clair

    Ênio Santos (em pé, entre Francisco Cuoco e Heloísa Helena) com o elenco de Sétimo Sentido 

    Ênio Santos com Miriam Pires em Salomé (TV Globo, 1991), novela de Sérgio Marques, adaptação do romance homônimo de Menotti Del Picchia

    Ênio Santos com Mário Lago em O Descobrimento do Brasil (TV Cultura, 1971), série escrita por Ivani Ribeiro


    Ênio Santos com Myriam Pérsia e Jorge Gomes numa fotonovela da revista Sétimo Céu

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet 

    0 0

    Carmen Monegal  nasceu em Montevidéu, Uruguai , em 19 de novembro de 1951. Veio para o Brasil ainda criança, morando inicialmente no Rio Grande do Sul. Adulta, mudou-se para São Paulo, onde iniciou sua carreira de atriz de televisão em 1968 na novela Antônio Maria  na TV Tupi. Na emissora paulista participou de diversas novelas, entre elas Vitória Bonelli e Éramos Seis. Também atuou na TV Globo nas novelas Supermanoela, A Moreninha e A Sucessora, entre outras. Na TV Bandeirantes teve participação em Cavalo Amarelo de na TVS em O Espantalho. Afastada da televisão, mudou-se para Nova York.

    Além das novelas Carmem Monegal participou de alguns filmes, entre eles, As Aventuras deBeto Rockfeller (1970), O Cortiço (1978) e Jeca e seu Filho Preto (1978), ao lado de Mazzaropi.

    Também marcou presença no teatro, nas peças  Os Órfãos de Jânio ( Millôr Fernandes) e Além da Vida (Augusto César Vanucci) . Em 1991 fundou a Companhia The Pilgrim Gospel Theatre.
    Além de atriz, Carmem Monegal é escritora, tendo  publicado os livros O Beija-flor Amarelo, História Natural e Duração Ordinária da Vida.


    Nos anos 1970 foi casada com o ator  Carlos Alberto Riccelli. Em 2008, noticiou-se em jornais brasileiros que ela teria morrido na Grécia. Para surpresa geral ela apareceu vivíssima um ano depois, levando os jornais a lhe pedirem desculpas pela falsa notícia.

    Carmem Monegal

    Carmem Monegal

    Carmem Monegal

    Carmem Monegal

    Carmem Monegal

    Carmem Monegal

    Carmem Monegal

    Carmem Monegal

    Carmem Monegal

    Carmem Monegal

    Carmem Monegal e Carlos Alberto Riccelli

    Carmem Monegal e Carlos Alberto Riccelli

    Carmem Monegal e Carlos Alberto Riccelli

    Carmem Monegal e Carlos Alberto Riccelli

    Carmem Monegal e Carlos Alberto Riccelli

    Carmem Monegal e Carlos Alberto Riccelli

    Carmem Monegal e Carlos Alberto Riccelli


    Carmem Monegal com Sérgio Cardoso e Aracy Balabanian em Antônio Maria (TV Tupi, 1968), novela de Geraldo Vietri
    Carmem Monegal com Sérgio Cardoso e Aracy Balabanian em Antônio Maria


    Carmem Monegal com Sérgio Cardoso e Aracy Balabanian em Antônio Maria

    Carmem Monegal com Sérgio Cardoso e Aracy Balabanian em Antônio Maria

    Carmem Monegal (à direita) com o elenco de Antônio Maria

    Carmem Monegal (à direita) com o elenco de Antônio Maria

    Carmem Monegal com Sérgio Cardoso em Antônio Maria
    Carmem Monegal com Sérgio Cardoso em Antônio Maria

    Carmem Monegal com Sérgio Cardoso e Aracy Balabanian em Antônio Maria

    Carmem Monegal (agachada, à direita) e o elenco de João Juca Jr (TV Tupi, 1969/70), novela de Silvan Paezzo

    Carmem Monegal com Tony Ramos em Vitória Bonelli (TV Tupi, 1972/73), novela de Geraldo Vietri

    Gian Carlo, Elizabeth hartmann, Graça Melo, Tony Ramos e Carmem Monegal em Vitória Bonelli

    Carmem Monegal com Tony Ramos em Vitória Bonelli

    Carmem Monegal com Tony Ramos em Vitória Bonelli
    Carmem Monegal com Fausto Rocha Jr, Irene Stefãnia e João Signorelli  em Super Manuela (TV Globo, 1974), novela de Walter Negrão

    Carmem Monegal, Rubens de Falco e Marília Pêra em Super Manuela 

    Carmem Monegal, Rubens de Falco e Marília Pêra em Super Manuela

    Carmem Monegal com Fausto Rocha Jr, Irene Stefânia, Marília Pêra e João Signorelli em Super Manuela 

    Carmem Monegal (à direita) numa cena de A Moreninha (TV Globo, 1976), novela de Marcos Rey, baseada no romance homônimo de Joaquim Manuel de Macedo

    Carmem Monegal em A Moreninha

    Carmem Monegal em A Moreninha

    Carmem Monegal com Carlos Alberto Riccelli em O Espantalho (TVS, 1977), novela de Ivani Ribeiro

    Carmem Monegal com Carlos Alberto Riccelli em Éramos Seis (TV Tupi, 1977), novela de Silvio de Abreu e Rubens Ewald Filho, baseada no romance homônimo de Maria José Dupré

    Carmem Monegal com Carlos Alberto Riccelli e Nydia Licia em Éramos Seis 

    Carmem Monegal (penultima à direita, sentada) com o elenco de Éramos Seis 

    Rodolfo Mayer, Walter Prado, Márcia de Windsor, Carmem Monegal, Marta Volpiani e Newton Prado em Cavalo Amarelo (TV Bandeirantes, 1980), novela de Ivani Ribeiro

    Carmem Monegal com Walter Prado em Cavalo Amarelo

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet 




    0 0

    Patrícia Mayo nasceu Rosa Maria Rego Monteiro Olegário da Costa no Rio de Janeiro em 6 de dezembro de 1944. Começou sua carreira artística aos 16 anos, na TV Tupi de São Paulo, atuando em teleteatros no programa  TV de Comédia, sob a direção de Geraldo Vietri, sempre interpretando os papéis de mocinha ingênua das peças.

    Na TV Tupi, além dos teleteatros, atuou em diversas novelas com destaque para Antônio Maria, em 1968, novela de grande audiência.  Outras novelas em que teve papéis de destaque foram O Pecado de Cada Um, O Mestiço, A Fábrica, As Bruxas e O Rouxinol da Galiléia.

    Ficou  TV Tupi até seu fechamento, em 1979, ocasião em que integrava o elenco da novela Como Salvar o Meu Casamento. Durante quase 20 anos esteve afastada da televisão, retornando em  1996 para atuar em Razão de Viver no SBT, onde permanece até hoje. Ao todo atuou em mais de 30 novelas.

    Além de televisão também participou de filmes ao lado de Mazzaroppi: Uma Pistola Para Djeca(1969) e  O Grande Xerife (1972).


    Patricia Mayo casou-se duas vezes e teve quatro filhos.  Aqui um pouco de sua carreira na televisão.

    Patricia Mayo

    Patricia Mayo

    Patricia Mayo e Laura Cardoso No programa TV de Comédia

    Patricia Mayo e Suzana Vieira em 1963, no teleteatro O Diálogo das Carmelitas do programa Grande Teatro Tupi

    Patricia Mayo com José Parise, Marisa Sanches, Henrique Martins, Marcos Plonka e Davi José no teleteatro Homens Sem Deus do programa Grande Teatro Tupi

    Patricia Mayo com Marcos Plonka em Casa de Bambu, teleteatro do programa TV de Comédia


    Patricia Mayo com Amilton Fernandes em O Segredo de Laura (TV Tupi, 1964), novela de Vida Alves

    Patricia Mayo com Gian Carlo em O Segredo de Laura

    Patricia Mayo com Ana Rosa em O Mestiço (TV Tupi, 1965), novela de Cláudio Petráglia

    Patricia Mayo com Hélio Souto em O Mestiço 

    Patricia Mayo com Débora Duarte, Rita Cleós, Francisco Cuoco, Luís Gustavo, Xisto Guzzi, Clenira Michel e Wanda Kosmo em O  Pecado de Cada Um (TV Tupi, 1965/66), novela de Wanda Kosmo

    Patricia Mayo com Rita Cleós, Débora Duarte e Wanda Kosmo em O  Pecado de Cada Um 

    Patricia Mayo com Francisco Cuoco em O  Pecado de Cada Um 

    Patricia Mayo, José Parise, Walmor Chagas e Lisa Negri em  Presídio de Mulheres (TV Tupi, 1965/66), novela de Mário Lago

    Patricia Mayo com Dênis Carvalho em Antônio Maria (TV Tupi, 1968), novela de Geraldo Vietri

    Patricia Mayo com Dênis Carvalho em Antônio Maria

    Patricia Mayo com Dênis Carvalho em Antônio Maria

    Patricia Mayo com Dênis Carvalho em Antônio Maria

    Patricia Mayo com Guiomar Novais e Carlos Duval em Antônio Maria

    Patricia Mayo numa cena de Antônio Maria com Sérgio Cardoso, Aracy Balabanian, Lima Duarte e Nea Simões. 

    Patricia Mayo com Ademir Rocha em O Rouxinol da Galiléia (TV Tupi, 1969), novela bíblica de Julio Atlas

    Patricia Mayo com o elenco de As Bruxas (TV Tupi, 1970), novela Ivani Ribeiro

    Patricia Mayo com Hélio Souto e Elizabeth Hartmann em A Fábrica (TV Tupi, 1971), novela Geraldo Vietri

    Patricia Mayo com Nicete Bruno em  Como Salvar o Meu Casamento (TV Tupi, 1979), novela Carlos Lombardi, Edy Lima e Ney Marcondes

    Patricia Mayo em  Como Salvar o Meu Casamento

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), Livro Astros e Estrelas da TV Tupi, site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet 


    0 0

    Cecil Aldary Thiré nasceu no Rio de Janeiro em 28 de maio de 1943. Filho da legendária diva dos palcos Tônia Carrero e do artista plástico Carlos Thiré e pai dos atores Miguel Thiré, Carlos Thiré e Luísa Thiré. O mundo das artes, portanto, sempre fez parte de sua vida.  

    Ainda adolescente começou seus estudos em teatro pelas mãos do padrasto, o grande ator e diretor italiano Adolfo Celi. Pouco tempo depois já estreava nos palcos sob a direção de Ziembinski, na peça Descalços no Parque, grande sucesso escrito pelo norte americano Neil Simon.

    Não parou mais. Ao longo de sua carreira atuou em mais de quatro dezenas de peças, produziu e dirigiu outras tantas, atuou em cinema nas funções de ator e diretor e participou de dezenas de telenovelas, minisséries  e programas de humor, também como ator e diretor.  Uma fera, enfim.

    Não satisfeito, o incansável Cecil Thiré ainda ministra cursos na Casa de Artes Laranjeiras (CAL), no Rio de Janeiro e pelo Brasil afora.  Numa dessas, nossos caminhos se cruzaram.

     Passo agora a um depoimento pessoal: No início dos anos 2000, a dona do teatro onde eu atuava em São Paulo me informou que haveria um curso ministrado por Cecil Thiré naquele local. A princípio fiquei um tanto temeroso. A imagem vilanesca de algumas personagens do ator na TV não me punha muito à vontade. Mas, Ok, vamos lá!, eu disse.
    Logo no primeiro encontro, por conta de outro compromisso, cheguei atrasado.  Ih... Tô frito! No entanto, bastaram alguns minutos para a antiga imagem ir embora. Diante de mim, embora sem esboçar um mínimo traço de sorriso,  estava um homem gentil como um lorde, amável e respeitoso com os atores, senhor absoluto da matéria e visivelmente apaixonado pelo palco e pelo ofício de ensinar. Um mestre apaixonante! Em poucas semanas, aprendi o que talvez demorasse anos para descobrir por conta própria.  Ensinamentos adquiridos com antigos mestres (Ziembinski, Celi, Kusnet, Tônia, Autran) eram repassados sem reservas, com simplicidade e de forma extraordinariamente didática. Cecil Thiré está entre as privilegiadas figuras que sabem, sabem que sabem e sabem ensinar o que sabem. Um deslumbre, enfim!

    É sempre tempo de se dizer obrigado e aproveito aqui esse espaço para dizer a Cecil Thiré o quanto ele me encantou e é importante na minha vida de ator. Minha eterna gratidão!

    Agora Vamos passear um pouquinho pela trajetória desse magnífico homem de teatro!     


    Cecil Thiré
    Cecil Thiré
    Cecil Thiré

    Cecil Thiré

    Cecil Thiré

    Cecil Thiré

    Cecil Thiré

    Cecil Thiré e Tônia Carrero

    Cecil Thiré criança com a mãe, Tônia Carrero

    Cecil Thiré e Tônia Carrero

    Cecil Thiré e Tônia Carrero com Adolpho Bloch

    Cecil Thiré e Tônia Carrero

    Cecil Thiré com Jardel Filho e Tônia Carrero

    TEATRO

    Cecil Thiré com Maria Sampaio, Ziembinski  e Helena Ignez na peça Descalços no Parque

    Cecil Thiré com Marieta Severo na peça O Segredo do Velho Mudo

    Cecil Thiré com Ítalo Rossi, Carlos Kroeber, Otavio Augusto e Sérgio Brito na peça A Noite dos Campeões

     Carlos Kroeber, Zanoni Ferrite, Cecil Thiré, Otavio Augusto, Ítalo Rossi e Sérgio Brito na peça A Noite dos Campeões
    Carlos Kroeber, Sérgio Brito, Cecil Thiré,  Ítalo Rossi,  Zanoni Ferrite e Otavio Augusto na peça A Noite dos Campeões, que rendeu o Prêmio Molière de melhor direção a Cecil Thiré
     
    Cecil Thiré com Ziembinski na peça Volta Ao Lar

    Cecil Thiré e Tônia Carrero na peça A Divina Sarah

    Cecil Thiré, Osmar Prado, Darlene Glória, Cléber Drable e Norma Dumas na peça O Trágico Fim de Maria Goiabada

    Cecil Thiré com Paulo Autran na peça Variações Enigmáticas
    Cecil Thiré com Paulo Autran na peça Variações Enigmáticas

    CINEMA

    Cecil Thiré com Adriana Prieto no filme Ainda Agarro Esta Vizinha
    Cecil Thiré com Adriana Prieto no filme Ainda Agarro Esta Vizinha
    Cecil Thiré com Wilza Carla no filme Ainda Agarro Esta Vizinha

    Cecil Thiré com Meire Vieira no filme Ainda Agarro Esta Vizinha

    Cecil Thiré com Nídia de Paula no filme Ainda Agarro Esta Vizinha

    Cecil Thiré no filme Ainda Agarro Esta Vizinha

    Cecil Thiré com Ítala Nandi no filme Muito Prazer

    Cecil Thiré com Ítala Nandi no filme Muito Prazer

    Cecil Thiré com Otávio Augusto e Antônio Pedro no filme Muito Prazer

    Cecil Thiré com Dira Paes, Betty Gofman e Daniel Dantas no filme Cronicamente Inviável

    Cecil Thiré com Betty Gofman e Daniel Dantas no filme Cronicamente Inviável

    Cecil Thiré com Betty Gofman e Daniel Dantas no filme Cronicamente Inviável

    Cecil Thiré com Dira Paes, Betty Gofman e Daniel Dantas no filme Cronicamente Inviável

    Cecil Thiré numa cena do filme Cronicamente Inviável

    Cecil Thiré no cartaz do filme Cronicamente Inviável

    Cecil Thiré no filme Como nos Livrar do Saco

    TELEVISÃO

    Cecil Thiré com Regina Vianna no Caso Especial A Ilha No Espaço (TV Globo, 1975), texto de Osman Lins, direção de Cassiano Gabus Mendes

    Cecil Thiré (em pé à esquerda) com o elenco da primeira fase de Escalada (TV Globo, 1975), novela de Lauro César Muniz

    Cecil Thiré com Renée de Vielmond em Escalada 

    Cecil Thiré em Duas Vidas (TV Globo, 1976), novela de Janete Clair

    Cecil Thiré com Irene Ravache e Jardel Filho em Sol de Verão (TV Globo, 1982), novela de Manoel Carlos

    Jardel Filho, Irene Ravache e Cecil Thiré em Sol de Verão 

    Jardel Filho, Irene Ravache e Cecil Thiré em Sol de Verão 

    Jardel Filho com Beatriz Segall em Sol de Verão 

    Cecil Thiré com Renata Sorrah em Roda de Fogo (TV Globo, 1986), novela de Lauro César Muniz

    Cecil Thiré com Renata Sorrah em Roda de Fogo 

    Cecil Thiré com Renata Sorrah em Roda de Fogo 


    Cecil Thiré com Renata Sorrah em Roda de Fogo 

    Cecil Thiré com Cláudio Curi em Roda de Fogo 

    Cecil Thiré com Tarcísio Meira e Eva Wilma em Roda de Fogo

    Cecil Thiré e Cláudio Curi, dupla polêmica em Roda de Fogo 

    Cecil Thiré com Tarcísio Meira em Roda de Fogo 

    Cecil Thiré com Betty Faria em O Salvador da Pátria (TV Globo, 1989), novela de Lauro César Muniz

    Cecil Thiré com Betty Faria em O Salvador da Pátria

    Cecil Thiré com Jaqueline Lawrence em Top Model (TV Globo, 1989/90), novela de Walter Negrão e Antônio Calmon

    Cecil Thiré com Malu Mader em Top Model

    Cecil Thiré com Jonas Bloch em Top Model

    Cecil Thiré com Vera Holtz em Top Model

    Cecil Thiré com Suzy Rego e Alexandre Frota em Top Model

    Cecil Thiré com Suzy Rego e Alexandre Frota em Top Model

    Cecil Thiré com Nuno Leal Maia em Top Model

    Cecil Thiré com Lima Duarte, Eva Wilma e Mauricio Mattar em Pedra Sobre Pedra (TV Globo, 1992), novela de Aguinaldo Silva

    Cecil Thiré com Paulo Betti numa cena de Pedra Sobre Pedra 

    Cecil Thiré em Renascer (TV Globo, 1993), novela de Benedito Ruy Barbosa

    Cecil Thiré com Yoná Magalhães em A Próxima Vítima (TV Globo, 1995), novela de Silvio de Abreu

    Cecil Thiré com Yoná Magalhães em A Próxima Vítima 

    Cecil Thiré na cena final A Próxima Vítima 

    Adalberto (Cecil Thiré) era o misterioso assassino de A Próxima Vítima 

    Cecil Thiré com Yoná Magalhães em A Próxima Vítima 

    Cecil Thiré com Yoná Magalhães em A Próxima Vítima 

    Cecil Thiré com Gianfrancesco Guarnieri em A Próxima Vítima 

    Cecil Thiré em A Próxima Vítima

    Cecil Thiré com Júlia Lemmertz em Quem é Você (TV Globo, 1997), novela de Solange Castro Neves

    Cecil Thiré com Pedro Paulo Rangel e Cláudia Ohana em A Muralha (TV Globo, 2000), minissérie de Maria Adelaide Amaral, adaptada do romance homônimo de Dinah Silveira de Queiroz

    Cecil Thiré numa cena de Os Maias (TV Globo, 2001), minissérie de Maria Adelaide Amaral, adaptada do romance homônimo de Eça de Queiroz

    Cecil Thiré com Gustavo Haddad em A Padroeira (TV Globo, 2001), novela de Walcyr Carrasco

    Cecil Thiré com Cleyde Yáconis numa cena de Cidadão Brasileiro (TV Record,  2006), novela de Lauro César Muniz

    Cecil Thiré com Floriano Peixoto em Cidadão Brasileiro

    Cecil Thiré em  Vidas Opostas (TV Record,  2006/2007), novela de Marcílio Moraes

    Cecil Thiré com André Bankoff e Marcelo Serrado numa cena de Poder Paralelo (TV Record,  2009/2010), novela de Lauro César Muniz



    Cecil Thiré com Lúco Mauro no programa Planeta dos Homens (TV Globo, 1976)

    Cecil Thiré com Tônia Carrero
    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores),  Imprensa Oficial, site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet,  site Banco de Conteudos Culturais (www.bcc.org.br) 

    0 0
  • 02/03/16--17:42: REVISTA ILUSÃO - ANOS 1970
  • Nos anos 1970 havia uma publicação sobre televisão e celebridades do mundo artístico chamada Ilusão, revista editada pela editora Abril. Através de suas capas, dá para se ter um panorama das novelas e dos artistas que faziam sucesso naqueles anos. Tony Ramos é o campeão: apareceu em 20 capas da revista. O segundo colocado é Francisco Cuoco, com 12 capas e o terceiro posto é de Betty Faria, com 11. Em quarto, empatados com dez capas cada, estão Tarcísio Meira e Roberto Carlos. 
    Vamos viajar?

    Regina Duarte - 1974

    Francisco Cuoco

    Roberto Carlos

    Roberto Carlos

    Regina Duarte e Juca de Oliveira em Fogo Sobre Terra

    Antônio Marcos

    Regina Duarte

    Tarcísio Meira em Escalada

    Francisco Cuoco em Cuca Legal

    Regina Duarte

    Benito di Paula

    Marcos Paulo

    Ney Latorraca em Escalada

    Tony Ramos em Ídolo de Pano

    Roberto Carlos

    Tarcísio Meira em Escalada

    Dênis Carvalho

    Elizabeth Savalla em Gabriela

    Sílvio Santos

    Márcia maria e Jonas melo em Meu Rico Português

    Regina Duarte e Tarcísio Meira

    Regina Duarte e Francisco Cuoco

    Sílvio Santos

    Eva Wilma em A Viagem

    Odair José

    Roberto Carlos

    Aracy Balabanian em Bravo!

    Francisco Cuoco

    Débora Duarte e Dênis Carvalho em Pecado Capital

    Betty Faria em Pecado Capital

    Eva Wilma em A Viagem

    Mário Cardoso

    Francisco Cuoco em Pecado Capital

    Francisco Cuoco e Rosamaria Murtinho

    Francisco Cuoco em Pecado Capital

    Betty Faria em Pecado Capital

    Betty Faria e Lima Duarte em Pecado Capital

    Francisco Cuoco em Pecado Capital

    Roberto Carlos

    Suzana Vieira, Jose[é Wilker e Renée de Vielmond em Anjo Mau

    Lauro Góes em Pecado Capital

    Roberto Carlos

    Mário Gomes em Anjo Mau

    José Wilker em Anjo Mau

    Paulo José e Renata Sorrah em O Casarão

    Roberto Carlos

    Roberto Carlos

    Ney latorraca e Heloísa Millet em Estúpido Cupido

    Moacir Franco e Pepita Rodrigues

    Armando Bógus e Renata Sorrah em O Casarão

    Luiz Armando Queiroz em Estúpido Cupido

    Leonardo Villar e Maria Della Costa em Estúpido Cupido

    Françoise Forton e Ricardo Blat em Estúpido Cupido

    Tony Ferreira e Vix Militelo em Estúpido Cupido

    Elizabeth Savalla e Luiz Armando Queiroz em Estúpido Cupido

    Leonardo Villar e Maria Della Costa em Estúpido Cupido

    Edwin Luisi e Lucélia Santos em A Escrava Isaura

    Betty Faria e Mário Gomes em Duas Vidas

     Mário Gomes em Duas Vidas

    Betty Faria, Mário Gomes e Suzana Vieira em Duas Vidas

    Mário Gomes e Suzana Vieira em Duas Vidas

    Isabel Ribeiro, Stepan Nercessian e Miriam Rios em Duas Vidas

    Dênis Carvalho em Locomotivas

    Betty Faria e Mário Gomes em Duas Vidas

    Roberto Carlos

    Lucélia Santos e Walmor Chagas em Locomotivas

    Tarcísio Meira, Glória Menezes e Juca de Oliveira em Espelho Mágico

    Lucélia Santos, Walmor Chagas e Tony Corrêa em Locomotivas

    Lucélia Santos, Walmor Chagas, Tony Corrêa e Aracy Balabanian em Locomotivas

    Nívea Maria e Rubens de Falco em Dona Xepa

    Lídia Brondi, Tony Ramos e Glória Menezes em Espelho Mágico

    Edwin Luisi em Dona Xepa

    Tarcísio Meira e Glória Menezes em Espelho Mágico

    Roberto Carlos

    Sidney Magal

    Tarcísio Meira e Glória Menezes em Espelho Mágico

    Dina Sfat e Francisco Cuoco em O Astro

    Tony Ramos em O Astro

    Francisco Cuoco em O Astro

    Dina Sfat e Francisco Cuoco em O Astro

    Carlos Augusto Strazzer em O Profeta

    Ana Braga, Ricardo Blat e miriam Rios em Sem Lenço, Sem Documento

    Tony Ramos e Elizabeth Savalla em O Astro

    Tony Ramos e Elizabeth Savalla em O Astro

    Stepan Nercessian e Dina Sfat  em O Astro

    Francisco Cuoco e Dina Sfat em O Astro

    Maria Cláudia, Luiz Gustavo e Wanda Stefânia em Te Contei?

    Mauro Mendonça e Suzana Vieira em Te Contei?

    Suzana Vieira e Kito Junqueira em Te Contei?

    Tony Ramos e Elizabeth Savalla em O Astro

      Luiz Gustavo e Wanda Stefânia em Te Contei?

    Dênis Carvalho em Te Contei?

    Elvis Presley

    Maria Cláudia e Luis Gustavo em Te Contei?

    Sônia Braga em Dancin´Days

    Antônio Fagundes em Dancin´Days

    Antônio Fagundes e Sônia Braga em Dancin´Days

    Roberto Carlos

    Reginaldo Farias Lídia Brondi em Dancin´Days

    Sônia Braga em Dancin´Days

    Reginaldo Farias em Dancin´Days

    Reginaldo Farias, Glória Pires Sônia Braga em Dancin´Days

    Glória Pires e Lauro Corona em Dancin´Days

    Glória Pires, Sônia Braga e Antônio Fagundes em Dancin´Days

    Tony Ramos e Elizabeth Savalla em Pai Herói

    Elizabeth Savalla e Carlos Zara em Pai Herói

    Tony Ramos em Pai Herói

    Tony Ramos e Fernando Eiras em Pai Herói

    Sidney Magal

    Tony Ramos e Sandra Bréa

     Elizabeth Savalla em Pai Herói

    Tony Ramos em Pai Herói

    Tony Ramos em Pai Herói

    Tony Ramos e Elizabeth Savalla em Pai Herói

     Paulo Figueiredo em Marrom Glacê

    Sura Berditchevski e Jorge Botelho em Marrom Glacê

    Armando Bógus e Mila Moreira em Marrom Glacê

    Louise Cardoso e Paulo Figueiredo em Marrom Glacê

    Tarcísio Meira e Lídia Brondi em Os Gigantes

    Betty Faria em Água Viva

    Lucélia Santos e Kadu Moliterno em Água Viva

    Reginaldo Farias e Betty Faria em Água Viva

    Reginaldo Farias, Betty Faria e Raul Cortez em Água Viva

    Betty Faria e Raul Cortez em Água Viva

    Betty Faria e Reginaldo Farias em Água Viva

    Tony Ramos e Sônia Braga em Chega Mais

    Eva Todor, Jardel Filho e Aracy Balabanian em Coração Alado

    Lúcia Alves e Paulo Guarnieri em Plumas e Paetês

    Tarcísio Meira e Vera Fischer em Coração Alado

    Sidney Magal

    Tony Ramos em Baila Comigo

    Tony Ramos e Natalia do Valle em Baila Comigo

    Lauro Corona em Baila Comigo

    Tony Ramos em Baila Comigo

    Tony Ramos em Baila Comigo

    Tony Ramos e Lídia Brondi em Baila Comigo

    Lauro Corona e Denise Dumont em Baila Comigo

    Tony Ramos e Lídia Brondi em Baila Comigo

    Tony Ramos com Lídia Brondi e Natalia do Valle em Baila Comigo

    José Wilker em Brilhante

    Dênis Carvalho e Vera Fischer em Brilhante

    Tarcísio Meira e Vera Fischer em Brilhante

    Dênis Carvalho e Renata Sorrah em Brilhante

    Tarcísio Meira e Vera Fischer em Brilhante

    Cláudio Marzo e Fernanda Montenegro em Brilhante
    acervo: Orias Elias

    0 0

    Francisco Martins de Souza nasceu na cidade de Machado (MG) em  27 de maio de 1924. Foi um dos fundadores do teatro oficina, onde conheceu sua mulher Etty Fraser, com quem se casou em 1962, numa parceria de 41 anos.


    Chico Martins Atuou sob a direção dos maiores diretores do teatro nacional, a exemplo de Antunes Filho, Augusto Boal, José Celso Martinez Correa e mais para o final da vida, Eduardo Tolentino Araújo. Entre seus trabalhos no teatro destacam-se as peças A Vida Impressa em Dólar, Pequenos Burgueses, Bent e A Importância de ser Fiel.

    Também atuou em diversos filmes e telenovelas das TV Tupi, onde era um dos atores preferidos de Geraldo Vietri. Entre seus trabalhos na TV, destacam-se as novelas  Nino, o Italianinho (1969), A Selvagem (1971), Venha Ver o Sol na Estrada (1973), O Machão (1974), Meu Rico Português (1975) e Os Apóstolos de Judas (1976)


    Chico Martins morreu em São Paulo no dia 23 de abril de 2003, aos 78 anos de idade, em decorrência de uma pneumonia.


    Chico Martins 

    Chico Martins 

    Chico Martins e Etty Fraser

    Chico Martins e Etty Fraser

    Chico Martins com Etty Fraser e o filho

    Chico Martins com Etty Fraser e o filho

    Chico Martins na peça A Vida Impressa em Dólar

    Chico Martins com Etty Fraser na peça A Vida Impressa em Dólar

    Chico Martins (segundo à esquerda) na peça Pequenos Burgueses
    Chico Martins com Elias Andreatto na peça Édipo Rei
    (*foto de Iolanda Huzak)

    Chico Martins com Elaine Cristina no filme Senhora, direção de Geraldo Vietri

    Chico Martins comEtty Fraser e  Elaine Cristina no filme Senhora

    Chico Martins com Cláudio Correa e Castro filme Tiradentes, o Mártir da Inconfidência, direção de Geraldo Vietri

    Chico Martins com Henrique Martins em A Selvagem (TV Tupi, 1971), novela de Geraldo Vietri

    Chico Martins com Carmem Silva em Venha Ver o Sol na Estrada (TV Record, 1973), novela de Leilah Assumpção
    Chico Martins com Tereza Sodré em O Machão (TV Tupi, 1974), novela de Sérgio Jockymann

    Chico Martins com Antônio Fagundes, Jacques Lagoa, Roberto Bolant e Tereza Sodré em O Machão

    Chico Martins com Older Cazarré e Tereza Sodré em O Machão

    Chico Martins e Tereza Sodré em O Machão

    Chico Martins com Olney Cazarré e Flaminio Favero em Meu Rico Português (TV Tupi, 1975), novela de Geraldo Vietri

    Chico Martins com Maria Estela em Meu Rico Português

    Chico Martins com Olney cazarré e Flaminio Favero em Meu Rico Português

    Chico Martins com Maria Estela em Meu Rico Português

    Chico Martins com Maria Estela,  Marisa Sanches e o diretor Geraldo Vietri em Meu Rico Português

    Wilson Fragoso, Jacyra Sampaio, Gilmara Sanches, Flávio Galvão,  Chico Martins, Márcia Maria, Dina Lisboa, Flaminio Favero, Maria Estela e Ruthinéia de Morais em Meu Rico Português

    Chico Martins com Paulo Figueiredo, Márcia Maria e Jacyra Sampaio em Meu Rico Português

    Chico Martins com o elenco de Meu Rico Português

    Chico Martins com Márcia Maria e Dina Lisboa em Os Apóstolos de Judas (TV Tupi, 1976), novela de Geraldo Vietri

    Chico Martins com José Policena em Os Apóstolos de Judas 

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), sites diversos da Internet 

    0 0

    Henriqueta Nogues Brieba nasceu em Barcelona, Espanha, no dia 31 de julho de 1901. Veio para o Brasil ainda adolescente, acompanhando os pais também atores.  Exímia comediante, integrou o cast de várias companhias do teatro de revista do Rio de Janeiro, desde 1920 e não abandonou o palco até o fim da vida, numa carreira de  setenta e seis anos.

    Em televisão, estreou em 1968 na novela A Grande Mentira. Atuou depois em mais de 20 telenovelas, entre elas Assim na Terra como no Céu (1970), Bandeira 2 (1971), Uma Rosa com Amor (1972), Os Ossos do Barão (1974), A Moreninha (1975),  Anjo Mau(1976) e Chega Mais (1980).  Também marcou presença em programas de humor, com destaque com a mãe de Bo Francineide, a estrela pornô vivida por Jô Soares  no programa Viva o Gordo.

    No cinema estreou em 1944 em Romance de Um Mordedor e atuou em mais de 40 filmes, especialmente pornochanchadas nos anos 1970. Entre os filmes de maior sucesso estão A Penúltima Donzela, Ainda Agarro Essa Vizinha A Viúva Virgem, O Enterro da Cafetina , Cassy Jones, Eu Dou O Que Ela Gosta , Quando as Mulheres Querem provas,  Vai Trabalhar vagabundo  e Toda Nudez Será Castigada.
    Pedro Carlos Rovai , Arnaldo Jabor , Reginaldo Faria, Carlos Imperial, Victor di Mello, Braz Chediak, Luís Sérgio Person, Jece Valadão, Carlo Mossy, Fauzi Mansur, Miguel Borges e Hugo Carvana são alguns dos diretores com os quais trabalhou no cinema.

    Em mais de 70 anos de teatro, atuando em revistas, comédias e dramas, foi premiada com o Prêmio Molière de melhor atriz em 1977, vivendo uma anciã doente de câncer no drama Caixa de Sombras, do americano Michael Christofer, sob a direção de Emílio di Biasi.
    Por problemas de saúde, a atriz abandonou o palco em 1993, após atuar por 3 anos na comédia Por Falta De Roupa Nova Passei O Ferro Na Velha, ao lado de Benvindo Siqueira.

    Henriqueta Brieba morreu no dia 18 de setembro de 1995, aos 94 anos, de infecção pulmonar aguda, no Rio de Janeiro. No Tijuca Tênis Clube,  localizado na Zona Norte do Rio de Janeiro há uma  sala de teatro com o seu nome.  

    Aqui, um pouquinho da trajetória desta pequena notável grande atriz. 

    Henriqueta Brieba 

    Henriqueta Brieba 

    Henriqueta Brieba 

    Henriqueta Brieba com Jô Soares no programa Viva o Gordo 

    Henriqueta Brieba  com Jô Soares e Chico Anísio

    Henriqueta Brieba entrevistada por Lima Duarte no programa Som Brasil

    Henriqueta Brieba no filme As Viúvas Precisam de Consolo

    Henriqueta Brieba no filme As Viúvas Precisam de Consolo

    Henriqueta Brieba com Vanda Lacerda e Selma Lopes na novela Uma Rosa Com Amor

    Henriqueta Brieba com Grande Otelo em Uma Rosa Com Amor (TV Globo, 1972), novela de Vicente Sesso


    Henriqueta Brieba com Ary Fontoura em Uma Rosa Com Amor 

    Henriqueta Brieba com Felipe Carone em Uma Rosa Com Amor 

    Henriqueta Brieba com Selma Lopes em Uma Rosa Com Amor 

    Henriqueta Brieba com Selma Lopes em Uma Rosa Com Amor 

    Henriqueta Brieba com Vanda Lacerda e Selma Lopes em Uma Rosa Com Amor 

    Henriqueta Brieba com Felipe Carone em Uma Rosa Com Amor
    Henriqueta Brieba com Grande Otelo em Uma Rosa Com Amor

    Henriqueta Brieba com Paulo Goulart em Uma Rosa Com Amor

    Henriqueta Brieba em Uma Rosa Com Amor

    Henriqueta Brieba com Nívea Maria, Ary Fontoura e Vanda Lacerda em Uma Rosa Com Amor

    Henriqueta Brieba com Suzi Kirby e Paulo Gracindo em Os Ossos do Barão (TV Globo, 1973), novela de Jorge Andrade

    Henriqueta Brieba, Suzi Kirby, Paulo Gracindo, Elza Gomes e Leonardo Villar em Os Ossos do Barão 
    Henriqueta Brieba com Sérgio Oliveira e Nívea Maria em A Moreninha (TV Globo, 1976), novela de Marcos Rey, adaptada do romance homônimo de Joaquim Manuel de Macedo

    Henriqueta Brieba, Marcos Nanini, Léa Garcia, Jayme Barcellos e Marcus Toledo em A Moreninha 

    Vanda Lacerda, Mara Rúbia, Henriqueta Brieba, Vera Fischer e Paulo Gracindo em Sinal de Alerta (TV Globo, 1978), novela de Dias Gomes

    Henriqueta Brieba com Sônia Braga em Chega Mais (TV Globo, 1980), novela de Carlos Eduardo de Novaes
    Henriqueta Brieba com Elza Gomes em Chega Mais 

    Henriqueta Brieba com Renato Borghi na peça O Rei da Vela 

    Henriqueta Brieba com Sônia Guedes na peça Caixa de Sombras

    Henriqueta Brieba com Sônia Guedes na peça Caixa de Sombras

    Henriqueta Brieba com Benvindo Siqueira na peça Por Falta de Roupa Velha Passei o Ferro na Velha

    Henriqueta Brieba com Jô Soares no programa Viva o Gordo

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet, site Banco de Conteudos Culturais (www.bcc.org.br) 

    0 0

    Jaime Jaimovich,  em artes Jayme Barcellos,  nasceu no Rio de Janeiro em 30 de março de 1930. Descendente de judeus, iniciou suas atividades no mundo artístico no Teatro Universitário, atuando em seguida no Teatro do Estudante, TBC, Cia Dulcina de Moraes, Cia Bibi Ferreira, Cia Cinematográfica Vera Cruz, entre outras, sendo premiado com o Prêmio Saci por seu desempenho na peça A Grande Chantagem, no Teatro Oficina. Além de atuar, também dirigiu vários espetáculos teatrais. 

    Em cinema, estreou 1951, no filme Presença de Anita, tendo participado de mais de duas dezenas de outros filmes, entre eles, clássicos como O Grande Momento, Apassionata, Floradas na Serra e O Sobrado.

    Na televisão, nos anos 1950, participou de teleteatros do programa TV de Vanguarda na TV Tupi, em atuações que lhe garantiram o troféu Roquete Pinto como melhor ator de televisão em 1957. Sua primeira telenovela foi  Os Quatro Filhos na TV Excelsior em 1965. Em seguida foi para a TV Globo atuar nas novelas de Glória Magadan (O Rei dos Ciganos– 1966,   A Rainha Louca - 1967 e  A Gata de Vison– 1968).

    De volta a São Paulo, atuou em oito novelas da TV Tupi (Beto Rockfeller– 1968, Super Plá -1969, A Gordinha– 1970, Toninho On The Rocks– 1970, A Selvagem– 1971, Hospital – 1971, O Preço de um Homem– 1971, Jerônimo – 1972).

     Em 1972, novamente na TV Globo, atuou em Bicho do Mato e desempenhou um importante papel em Fogo Sobre Terra (1974).Outro destaque nessa fase global foi o médico beberrão Dr. Ezequiel em Gabriela (1975). Em seguida, atuou em outras seis novelas da emissora carioca (A Moreninha– 1975,  Anjo Mau-  1976, Duas Vidas– 1976,  Sem Lenço, Sem Documento– 1977, Sítio do Pica-pau Amarelo– 1977 e Olhai Os Lírios do Campo– 1980).

    Seu último grande trabalho na televisão foi na novela Aritanade Ivani Ribeiro para a TV Tupi em 1978.

    Jayme Barcellos foi ainda um importante professor de teatro, mantendo durante anos um curso de formação de atores no teatro da galeria, no Rio de Janeiro e lançou um livro ABC do Ator.  

    Morreu no  Rio de Janeiro em 24 de dezembro de 1980, aos 50 anos, vítima de um edema pulmonar.

    Jayme Barcellos

    Jayme Barcellos
    Jayme Barcellos

    Jayme Barcellos na peça De Brecht a Stanislau Ponte Preta

    Jayme Barcellos com Glauce Rocha na peça O Tartufo

    Jayme Barcellos com Gianfrancesco Guarnieri no filme O Grande Momento

    Jayme Barcellos com Norah Fontes no filme O Grande Momento

    Jayme Barcellos, Aracy Cardoso, Lídia Costa, Rodolfo Mayer, J. Silvestre, Armando Bógus, Francisco Cuoco e Newton Prado em Os Quatro Filhos (TV Excélsior, 1965), novela de J. Silvestre

    Jayme Barcellos com Rodolfo Mayer em Os Quatro Filhos 

    Jayme Barcellos com Carlos Alberto em O Rei dos Ciganos (TV Globo, 1966), novela de Glória Magadan

    Jayme Barcellos com Vanda Lacerda A Gata de Vison (TV Globo, 1968), novela de Glória Magadan

    Jayme Barcellos com Gessy Fonseca e Regina Duarte em Fogo Sobre Terra (TV Globo, 1974), novela de Janete Clair, direção de Walter Avancini

    Jayme Barcellos e Gessy Fonseca em Fogo Sobre Terra 

    Jayme Barcellos e Gessy Fonseca em Fogo Sobre Terra 

    Jayme Barcellos com Ênio Santos, Regina Duarte, Antônio Victor e Fúlvio Stefanini em Fogo Sobre Terra 

    Jayme Barcellos com Ênio Santos em Fogo Sobre Terra 

    Jayme Barcellos com Fúlvio Stefanini em Fogo Sobre Terra 

    Jardel Filho, Fúlvio Stefanini, Gessy Fonseca, Jayme Barcellos e Aracy Cardoso numa cena de Fogo Sobre Terra 

    Jayme Barcellos com Gessy Fonseca em Fogo Sobre Terra 

    Jayme Barcellos com Fúlvio Stefanini em Fogo Sobre Terra 

    Jayme Barcellos com Regina Duarte em Fogo Sobre Terra 

    Jayme Barcellos (em pé, à esq.) e o elenco de Fogo Sobre Terra 

    Jayme Barcellos com Armando Bógus em Gabriela (TV Globo, 1975), novela de Walter George Durst, adaptada da obra de Jorge Amado, direção de Walter Avancini

    Jayme Barcellos com Armando Bógus em Gabriela

    Jayme Barcellos com Armando Bógus e Eloísa Mafalda em Gabriela

    Jayme Barcellos (Dr. Ezequiel) e Eloísa Mafalda (Maria Machadão), estupendos em Gabriela

    Jayme Barcellos com Hugo Carvana em Gabriela

    Jayme Barcellos com Luis Orione e Fúlvio Stefanini em Gabriela

    Jayme Barcellos e Marcos Nanini em Gabriela

    Jayme Barcellos com Paulo Gracindo e Elizabeth Savalla em Gabriela

    Sérgio Oliveira, José Wilker, Marcos Nanini, Rubens de Falco e Jayme Barcellos numa cena de Gabriela

    Jayme Barcellos em Gabriela

    Jayme Barcellos em Gabriela

    Jayme Barcellos, atuação antológica em Gabriela

    Jayme Barcellos com Henriqueta Brieba, Marcos Nanini, Léa Garcia e Marcus Toledo em A Moreninha (TV Globo, 1975/76), novela de Marcos Rey, adaptada do romance homônimo de Joaquim Manuel de Macedo, direção de Herval Rossano

    Jayme Barcellos com Rosita Tomaz Lopes em Anjo Mau (TV Globo, 1976), novela de Cassiano Gabus Mendes, direção de Régis Cardoso

    Jayme Barcellos com Rosita Tomaz Lopes em Anjo Mau

    Jayme Barcellos com Marcelo Picchi e Catita Soares em Sem lenço, Sem Documento (TV Globo, 1977), novela de Mário Prata, direção de Régis Cardoso

    Jayme Barcellos com Marcelo Picchi, Ana Helena Berenger e Christiane torloni em Sem lenço, Sem Documento 

    Jayme Barcellos com Suzy Camacho e Márcia Real em Aritana (TV Tupi, 1978), novela de Ivani Ribeiro, direção de Luiz Gallon

    Jayme Barcellos com Jorge Dória em Aritana

    Jayme Barcellos, Carlos Alberto Riccelli, Márcia Real e Cleyde Yáconis em Aritana

    Jayme Barcellos e seu livro ABC do Ator 

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet, site Banco de Conteudos Culturais (www.bcc.org.br) 

    0 0

    Lutero Luiz nasceu em  São Miguel das Missões (RS) em 1931. Formou-se em artes cênicas em Porto Alegre, onde começou como ator de rádio em 1952. No início dos anos 60 transferiu-se para São Paulo, onde atuou em espetáculos teatrais, filme e telenovelas. Era um ator talhado para papéis de homens simples, especialmente tipos cariocas, apesar de ser nascido no Rio Grande do Sul.

    No cinema atuou em mais de 30 filmes, alguns de grande sucesso como Vai Trabalhar Vagabundo; O Crime do Zé Bigorna; Guerra Conjugal; Ladrões de Cinema e Se Segura, Malandro.


    Em telenovelas, atuou em novelas da TV Excélsior, mas foi a partir de 1972 quando interpretou o dentista Lulu Gouveia, ídolo do cangaceiro Zeca Diabo em O Bem Amado na TV Globo, que ele  ficou conhecido do grande público. Outros papéis marcantes vieram em seguida: o Miguel Pereira de  Escalada, o Gigante de O Espigão, oMarciano de Pecado Capital e o Bodão de O Salvador da Pátria.


    Lutero Luiz morreu no Rio de Janeiro em 20 de fevereiro de 1990, aos 56 anos de idade, vítima de câncer generalizado, em meio às gravações de sua última novela, Sexo dos Anjos.

    Lutero Luiz 

    Lutero Luiz 

    Lutero Luiz 

    Lutero Luiz 

    Lutero Luiz 

    Lutero Luiz 

    Lutero Luiz 

    Lutero Luiz 

    Lutero Luiz 

    Lutero Luiz 

    Lutero Luiz 

    Lutero Luiz 

    Lutero Luiz 

    Lutero Luiz 

    Lutero Luiz  na peça Capital Federal

    Lutero Luiz  na peça Capital Federal

    Lutero Luiz com Henrique César e Ziembinski em João Juca Jr. (TV Tupi, 1966), novela de Silvan Paezzo

    Lutero Luiz com Lima Duarte em O Bem Amado (TV Globo, 1972), novela de Dias Gomes
    Lutero Luiz em O Bem Amado 


    Lutero Luiz com Milton Morais em O Espigão (TV Globo, 1974), novela de Dias Gomes

    Lutero Luiz com Milton Morais em O Espigão 

    Lutero Luiz com Suely Franco em O Espigão 

    Lutero Luiz com Dias Gomes e o elenco de O Espigão 

    Lutero Luiz (em pé, ao fundo, à dir) com o elenco de O Espigão 

    Lutero Luiz com Tarcísio Meira em Escalada (TV Globo, 1975), novela de Lauro César Muniz

    Lutero Luiz com Antônio Victor em Escalada

    Lutero Luiz em Escalada

    Lutero Luiz com Ney Latorraca em Escalada

    Lutero Luiz com Tarcísio Meira em Escalada

    Lutero Luiz (em pé, ao centro) e o elenco de Escalada

    Lutero Luiz com Theresa Amayo na versão censurada de Roque Santeiro (TV Globo, 1975), novela de Dias Gomes 

    Lutero Luiz com Theresa Amayo na versão censurada de Roque Santeiro

    Na versão censurada de Roque Santeiro Lutero Luiz era o prefeito Florindo Abelha e Eva Todor a Dona Pombinha. Em 1985 as personagens foram vividas por Ary Fontoura e Eloísa Mafalda. 

    Lutero Luiz e Eva Todor na versão censurada de Roque Santeiro 


    Lutero Luiz com Francisco Cuoco e Leina Krespi em Pecado Capital (TV Globo, 1976), novela de Janete Clair 

    Lutero Luiz com Nestor de Montemar em Pecado Capital  

    Lutero Luiz com Dênis Carvalho em O Casarão (TV Globo, 1976), novela de Lauro César Muniz 

    Lutero Luiz em O Casarão

    Lutero Luiz com Kleber Macedo em Sem Lenço, Sem Documento (TV Globo, 1977/78), novela de Mário Prata

    Lutero Luiz com Marcos Paulo no seriado em Plantão de Polícia (TV Globo, 1979/81)
    Lutero Luiz com Hugo Carvana, Eloísa Mafalda e Denise Bandeira no seriado em Plantão de Polícia

    Lutero Luiz com Carlos Eduardo Dolabella e Fátima Freire em O Bem Amado (TV Globo, 1982/85), seriado de Dias Gomes
     
    Lutero Luiz com Lélia Abramo e Armando Bógus em O Tempo e o Vento (TV Globo, 1985), minissérie de Doc Comparato, baseado no romance homônimo de Érico Veríssimo de Dias Gomes

    Lutero Luiz com Armando Bógus e Vinícius Salvatori em O Tempo e o Vento
    Lutero Luiz com Armando Bógus e Vinícius Salvatori em O Tempo e o Vento


    Lutero Luiz em O Tempo e o Vento

    Lutero Luiz com Wanda Kosmo em O Outro (TV Globo, 1987), novela de Aguinaldo Silva

    Lutero Luiz com Lima Duarte em O Salvador da Pátria (TV Globo, 1989), novela de Lauro César Muniz

    Lutero Luiz com Lima Duarte em O Salvador da Pátria 
     


    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Imprensa Oficial, Blog TUDO ISSO É TV (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet, site Banco de Conteudos Culturais (www.bcc.org.br) 


    0 0


    Lima Duarte no filme O Sobrado

    Lima Duarte com Dionísio Azevedo no filme O Sobrado

    Lima Duarte com Dionísio Azevedo no filme O Sobrado
    Lima Duarte no filme Paixão de Gaúcho

    Lima Duarte no filme Paixão de Gaúcho
    Lima Duarte com Cacilda Lanuza e Francisco Negrão no filme Chão Bruto

    Lima Duarte no filme Chão Bruto

    Lima Duarte no filme Chão Bruto

    Lima Duarte no filme Chão Bruto

    Lima Duarte com Analu Prestes no filme Guerra Conjugal

    Lima Duarte com Itala Nandi no filme Guerra Conjugal

    Lima Duarte com Itala Nandi no filme Guerra Conjugal

    Lima Duarte com Carlos Kroeber no filme Guerra Conjugal

    Lima Duarte no filme O Jogo da Vida
    Lima Duarte com Miriam Muniz no filme O Jogo da Vida

    Lima Duarte com Mauricio do Valle e Gianfrancesco Guarnieri no filme O Jogo da Vida

    Lima Duarte no filme O Crime do Zé Bigorna
    Lima Duarte com Jofre Soares no filme O Crime do Zé Bigorna

    Lima Duarte com Lady Francisco no filme O Crime do Zé Bigorna

    Lima Duarte  no filme Os 7 Gatinhos

    Lima Duarte  no filme Sargento Getúlio

    Lima Duarte  no filme Sargento Getúlio
    Lima Duarte  no filme Sargento Getúlio

    Lima Duarte  no filme Sargento Getúlio

    Lima Duarte  no filme Sargento Getúlio

    Lima Duarte  no filme Sargento Getúlio

    Lima Duarte  com Isabel Ribeiro no filme A Queda

    Lima Duarte  com Nélson Xavier no filme A Queda

    Lima Duarte com Otávio Augusto no filme Lua Cheia

    Lima Duarte com Otávio Augusto no filme Lua Cheia

    Lima Duarte no filme Lua Cheia

    Lima Duarte com Antônio Abujamra no filme Lua Cheia

    Lima Duarte com Lúcia Alves no filme Lua Cheia

    Lima Duarte com Antônio Abujamra no filme Lua Cheia

    Lima Duarte com Sadi Cabral no filme O Menino Arco-Íris

    Lima Duarte com Liza Vieira no filme Contos Eróticos

    Lima Duarte com Liza Vieira no filme Contos Eróticos

    Lima Duarte no filme Contos Eróticos

    Lima Duarte no filme O Preço da Paz

    Lima Duarte no cartaz do filme O Preço da Paz

    Lima Duarte com Luiz Carlos Vasconcellos, Regina Casé  e Stênio Garcia no filme Eu Tu Eles

    Lima Duarte com Luiz Carlos Vasconcellos, Regina Casé  e Stênio Garcia no filme Eu Tu Eles
     
    Lima Duarte com Marisa Orth no filme Boleiros

    Lima Duarte no filme A Ostra e o Vento

    Lima Duarte com Rogério Cardoso e Fernanda Montenegro no filme O Auto da Compadecida

    Lima Duarte com Rogério Cardoso no filme O Auto da Compadecida

    Lima Duarte com Mateus Nathergale no filme O Auto da Compadecida

    Lima Duarte com Marcos nanini no filme O Auto da Compadecida

    Lima Duarte com Marcos caruso e Irene Ravache no filme Depois Daquele Baile

    Lima Duarte com Marcos caruso e Irene Ravache no filme Depois Daquele Baile

    Lima Duarte no filme Palavra e Utopia

    Lima Duarte no filme Palavra e Utopia

    Lima Duarte com Tereza Sodré e Armando Bógus na peça Bonifácio Bilhões

    Lima Duarte  com Henriqueta Brieba no programa Som Brasil

    Lima Duarte  com Milton Nascimento no programa Som Brasil

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog TUDO ISSO É TV (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet, site Banco de Conteudos Culturais (www.bcc.org.br) 

    0 0

    Em 1975, um dia antes da estréia, a censura vetou a novela de Dias Gomes. Anos depois, soube-se que o telefone do novelista estava grampeado pelos militares e foi interceptada uma conversa em que ele confessava que Roque Santeiro era uma adaptação da peça censurada O Berço do Herói

    Na versão censurada em 1975, Betty faria seria a Viúva Porcina e Lima Duarte, o Sinhozinho Malta. 


    Lima Duarte com Betty Faria na versão de 1975 


    Elizangela seria Tânia, a filha de Sinhozinho Malta (Lima Duarte) 
    Na versão de 1985, Elizangela também participou mas em outro papel. Lima Duarte foi o único ator que ficou com o mesmo papel nas duas versões.

    Lima Duarte com Débora Duarte, que viveria a personagem Lulu, vivida por Cassia Kiss na versão de 1985.
    Lima Duarte (Sinhoizinho Malta) e Luiz Armando Queiroz (Tito) foram dois dos quatro atores que estiveram nas duas versões da novela nos mesmos papeis. Os outros dois foram Ilva Niño (Mina) e João Carlos Barroso (Toninho Jiló). Na versão de 1975 a personagem Linda Bastos seria vivida por Sandra Barsotti. Patricia Pillar ficou com o papel em 1985.
    Finalmente liberada em 1985, Roque Santeiro teve uma super produção com um elenco espetacular, se transformando num marco da história das telenovelas. Na foto Lima Duarte aparece com Lucinha Lins, Eloísa Mafalda, Cassia Kiss, Rui Resende e Armando Bógus.

    Lima Duarte e Lídia Brondi foram pai e filha em Roque Santeiro

    Lima Duarte com Lídia Brondi em Roque Santeiro

    Lima Duarte com Ary Fontoura e Paulo Gracindo, brilhantes em Roque Santeiro

    Lima Duarte e Regina Duarte tiveram em Roque Santeiro seus melhores momentos na televisão.

    Lima Duarte e Regina Duarte, sucesso absoluto em Roque Santeiro 

    Lima Duarte com Paulo Gracindo em Roque Santeiro 

    Lima Duarte e Paulo Gracindo em Roque Santeiro 

    Lima Duarte e Regina Duarte em Roque Santeiro 

    Lima Duarte e Yoná Magalhães em Roque Santeiro 

    Lima Duarte com Yoná Magalhães, Cláudio Cavalcanti, José Wilker e Regina Duarte numa cena de Roque Santeiro 

    Lima Duarte (Sinhozinho Malta) e Yoná Magalhães (Matilde) em Roque Santeiro 



    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog TUDO ISSO É TV (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet 


older | 1 | .... | 3 | 4 | (Page 5) | 6 | 7 | .... | 11 | newer