Are you the publisher? Claim or contact us about this channel


Embed this content in your HTML

Search

Report adult content:

click to rate:

Account: (login)

More Channels


Showcase


Channel Catalog


Channel Description:

Quando eu era menino, minha mãe me comprava uma série de revistas especializadas em astros da televisão. Muitas dessas revistas se perderam ao longo do tempo, muitas eu preservei e outras eu guardei apenas recortes. Nossos ídolos envelhecem, a gente envelhece, mas no nosso coração ficam guardadas as lembranças de um tempo que passou.Esse blog é minha forma de compartilhar com o mundo as imagens desse tempo. Boa viagem! Contato do blog: oriaselias@gmail.com
    0 0


    Bráulio Nuno de Almeida Pedroso  nasceu em São Paulo no dia  30 de abril de 1931. Autor de uma obra crítica da sociedade brasileira, recorria ao humor e ao deboche para retratar  tipos comuns, facilmente identificáveis no dia a dia do país. É considerado o grande inovador da linguagem das novelas brasileiras.

    Antes de entrar para a televisão, escreveu criticas literárias, criticas de cinema, foi assistente de direção e montador de filmes. Em 1965 escreveu sua primeira peça: A Conspiração

    Sua primeira novela foi a revolucionária Beto Rockfeller (TV Tupi, 1968), um grande sucesso de audiência, protagonizada por Luis Gustavo.   Diz a lenda que ele nem tinha televisão em casa nessa época. A idéia de criar uma anti novela, com um anti herói foi de Cassiano Gabus Mendes e coube a Lima Duarte a direção.  Em 1973, houve uma continuação da história em A Volta de Beto Rockfeller, também na TV Tupi, emissora em que escreveu ainda outra novela inovadora: Super Plá (1970), considerada avançada para a época, que em decorrência disso, teve pouca audiência.

    Na TV Globo, escreveu telenovelas de sucesso como O Cafona(1971), O Bofe (1972), O Rebu (1974), O Pulo do Gato (1978) e Feijão Maravilha (1979), além de textos para o programa Caso Especial e episódios para os seriados Amizade Colorida , Plantão de Polícia e Mário Fofoca. Trabalhou também na TV Manchete, onde escreveu a novela  Tudo em Cima (1985) e o seriado Tamanho Família (1986).

    Para o teatro escreveu  peças de sucesso, entre elas A Vida Escrachada de Joana Martini e Baby Stomponato; As Gralhas; As Hienas; Isso Devia Ser Proibido  e  O Fardão, com a qual ganhou o Prêmio Molière.

    Em 1992,  sua novela O Pulo do Gato foi adaptada pela televisão chilena e em 2014 a Rede globo realizou um remake de O Rebu.

    Bráulio Pedroso morreu em 15 de agosto de 1990, aos 59 anos de idade,  no Rio de Janeiro, vítima de fratura nas vértebras cervicais, causada por uma queda no banheiro da casa onde morava. Sofria de Espondilite Anquilosante (inflamações nas articulações da coluna vertebral).

    Bráulio Pedroso

    Bráulio Pedroso

    Bráulio Pedroso

    Bráulio Pedroso - Audácia Inovadora, biografia escrita por Renato Sérgio para a Série Aplauso

    Beto Rockfeller (TV Tupi, 1968/69), de Bráulio Pedroso, a partir de uma idéia de Cassiano Gabus Mendes foi a novela que inovou a linguagem das telenovelas, abrindo frente a um novo estilo de teledramaturgia na televisão

    Luis Gustavo foi Beto Rockfeller, um anti herói, dado a pequenos golpes para ascender socialmente. Plínio Marcos foi seu fiel amigo Vitorio. 

    O elenco de Beto Rockfeller reuniu nomes como Marília Pêra, Maria Della Costa e Luis Gustavo 

     Marília Pêra e Luis Gustavo em Beto Rockfeller 

    Parte do elenco de Beto Rockfeller com o autor Bráulio Pedroso 

    Hélio Souto e Marília Pêra em Super Plá (TV Tupi, 1970) mais uma experiência inovadora de Bráulio Pedroso

    Hélio Souto e Ana Rosa em Super Plá

    Hélio Souto e Marília Pêra em Super Plá

    O Cafona (TV Globo, 1971), de Bráulio Pedroso, embora seja considerada um anovela "bem comportada" , criou a figura da anti heroína, a Shirley Sexy, vivida por Marília Pêra. O galã também não era nada convencional: um rapaz novo rico sem nenhuma classe.

     Francisco Cuoco e Marília Pêra em O Cafona  

    Isabel Teresa, Juan de Bourbon, Renata Sorrah, Francisco Cuoco e Felipe Carone numa cena de O Cafona

    Carlos Vereza, Marcos Nanini,  Marília Pêra e Djenane Machado em O Cafona

    Paulo Gracindo e Ilka Soares tiveram papéis de destaque em O Cafona

    Francisco Cuoco e as estrelas de O Cafona: Marília Pêra, Tônia Carrero e Renata Sorrah 

    Capa do LP com a trilha sonora de O Cafona

    Em O Bofe (TV Globo, 1972), Bráulio Pedroso retomou à ousadia, com dois protagonistas malandros e uma galeria de tipos nada convencionais.  
     O Bofe reuniu um elenco grandioso que contava com os talentos de Jardel Filho, Renée de Vielmond, Betty Faria e Ziembinski
    Jardel Filho e Betty Faria eO Bofe 

    Suzana Vieira, Ziembinski e Betty Faria eO Bofe 

    Cláudio Marzo, Antônio Pedro e Jardel Filho, atores afinados com o autor Bráulio Pedroso em O Bofe 

    Cláudio Marzo rompia com sua imagem de galã romântico, vivendo o Grego em O Bofe 

    Ziembinski, Betty Faria, Elizangela, Miriam Pires e Suzana Vieira numa cena de O Bofe 

    Uma das ousadias de O Bofe foi Ziembinski vivendo um papel feminino: a Tia Stanislava, um dos papéis centrais da história  


    Capa do LP com a trilha sonora internacional de O Bofe

    A Volta de Beto Rockfeller (TV Tupi, 1973) foi uma tentativa de trazer de volta as aventuras do famoso bicão. Embora fosse muito agradável, não teve a mesma repercussão da primeira fase. Luis Gustavo repetiu, com a mesma competência, a personagem

    Em A Volta de Beto Rockfeller Luis Gustavo estava cercado de belas mulheres.

     Luis Gustavo e Elke Maravilha em A Volta de Beto Rockfeller 

    Luis Gustavo entre Elaine Cristina e Odete Lara em A Volta de Beto Rockfeller

    Luis Gustavo e Bete Mendes em A Volta de Beto Rockfeller

    Luis Gustavo com Odete Lara em A Volta de Beto Rockfeller

    Elke Maravilha, Pepita Rodrigues e Elizabeth Gasper com Luis Gustavo em A Volta de Beto Rockfeller

    Em 1974 Bráulio Pedroso voltou à TV Globo com dois textos para o programa Caso Especial


    Jardel Filho e Walmor Chagas no Caso Especial A Grande Farra (TV Globo, 1974), texto de Bráulio Pedroso, direção de Ziembinski

    Reginaldo Farias e José Augusto Branco no Caso Especial O Professor Vai Embora (TV Globo, 1974), texto de Bráulio Pedroso, direção de Ziembinski
    O Rebu (TV Globo, 1974), trouxe um Bráulio Pedroso no auge da criatividade, com uma verdadeira obra prima. Toda a história se passava em apenas dois dias, na noite de uma festa onde ocorre um crime e no dia seguinte, na investigação. Até o último capítulo permaneceu um mistério duplo: quem matou e quem morreu. Os desenhos da abertura, criados por Marguerita Fahrer, com animação de Cyro Del Nero foram uma atração à parte.  O Rebu foi, enfim, uma sarabanda colorida da melhor qualidade.

    Buza Ferraz e Bete Mendes estrelaram O Rebu 

    Em O Rebu, Ziembinski interpretou o milionário Conrad Mahler, o anfitrião da festa onde ocorre o crime.  Buza Ferraz foi seu protegido Cauê, pivô da tragédia. Apesar de nada ser explícito, ficava evidente a relação homossexual dos dois. 

    As milionárias Glorinha (Isabel Ribeiro) e Roberta (Regina Vianna)  também deixava no ar o clima de uma relação lésbica em O Rebu. Lima Duarte era o penetra Boneco, um ladrão que se envolvia com os convidados da festa.

    José Lewgoy e Bete Mendes foram dois destaques de O Rebu

    Um dos papéis de maior sucesso de O Rebu foi Maria Angélica (Yara Cortes, na foto com Ziembinski), uma fogosa socialite conhecida como Bubu. 

     O Rebu marcou a estréia, em grande estilo, de Tereza Rachel  na TV Globo. Sua personagem era a milionária Lupe Garcez, envolvida com Kiko, um jovem alpinista social, vivido por Rodrigo Santiago.

    Dois grandes atores em O Rebu: Ziembinski e Lima Duarte

    Tereza Rachel, Carlos Vereza, Maria Cláudia e Rodrigo Santiago numa cena de O Rebu

    Em 1978 Bráulio Pedroso novamente focava o mundo dos ricos com O Pulo do Gato

    Jorge Dória e Neuza Amaral em O Pulo do Gato


    O Pulo do Gato lançou Kadu Moliterno, vindo da TV Tupi, como um dos grandes galãs da TV Globo
    Kadu Moliterno, Marta Anderson e Jorge Dória em O Pulo do Gato

    Feijão Maravilha (TV Globo, 1979) levou Bráulio Pedroso para o horário das 19 Horas. Inspirada nas chanchadas da empresa cinematográfica Atlântica, a novela caiu no gosto popular e foi um sucesso. 

    Mara Rúbia e Lucélia Santos em Feijão Maravilha

    Ivan Setta, Felipe Carone e Older Cazarré, um trio de atrapalhados vilões, garantiam o humor de Feijão Maravilha

    Interpretando uma versão farsesca de Marilyn Monroe, Clarice Piovezan foi um dos destaques de Feijão Maravilha, ao lado do galã Mário Cardoso

    Bráulio Pedroso também escreveu episódios para o seriado Plantão de Polícia (TV Globo, 1980/81)

    Hugo Carvana foi o protagonista de Plantão de Polícia

    Hugo Carvana em Plantão de Polícia

     Outro seriado que contou com episódios escritos por  Bráulio Pedroso foi  Amizade Colorida (TV Globo, 1981)

     Amizade Colorida foi protagonizado por Antônio fagundes  

    Antônio Fagundes e Renée de Vielmond em  Amizade Colorida

    Em 1982 Bráulio Pedroso escreveu, para a TV Globo, a minissérie Parabéns Pra Você

    Débora Duarte e Juca de Oliveira na minissérie Parabéns Pra Você

    Altair Lima e Norma Benguel em Parabéns Pra Você

     Mário Fofoca (TV Globo, 1983), também contou com episódios escritos por Bráulio Pedroso 

     Luis Gustavo foi o Mário Fofoca ao lado de Osmar Prado

    Osmar Prado, Luis Gustavo, Joana Fomm e Maria Helena Dias numa cena de Mário Fofoca 
    Tudo em Cima (1985), foi uma novela de Bráulio Pedroso, apresentada na TV Manchete

    Tudo em Cima foi estrelada por Renata Sorrah e Paulo Castelli

    Leonardo Villar e Ítalo Rossi foram dois destaques de Tudo em Cima 

    Tamanho Família (TV Manchete, 1986), seriado escrito por Bráulio Pedroso

    Suely Franco e Ivan Cândido em Tamanho Família

    Suely Franco e Ivan Cândido em Tamanho Família

    Em 2014 a TV Globo levou ao ar uma requintada e reduzida nova versão de O Rebu, com adaptação de George Moura. Tony Ramos, Cassia Kiss, Patrícia Pillar e Sophie Charlote estavam no elenco. 

    Walmor Chagas e Cacilda Becker na peça Isso Devia ser Proibido (1967)

    Marília Pêra e Hélio Souto na peça A Vida Escrachada de Joana Martini e Baby Stomponato (1970)

    Marília Pêra  na peça A Vida Escrachada de Joana Martini e Baby Stomponato

    Marília Pêra  na peça A Vida Escrachada de Joana Martini e Baby Stomponato


    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog TUDO ISSO É TV (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet 


    0 0


    Antônio Teixeira Filho nasceu em Cambará (PR) no dia  10 de outubro de 1922. Começou sua carreira artística como locutor de rádio em sua cidade natal e chegou a se formar em advocacia, profissão que nunca exerceu. Na cidade Santos, para onde se mudou na juventude, tornou-se radioator e conheceu a radioatriz Carmem Lídia, com quem se casou e foi sua colaboradora nas novelas que escreveu.  De Santos, o casal se transferiu para São Paulo, para trabalhar na Rádio Tupi e em seguida na Rádio Nacional, no Rio de Janeiro.  Foi nessa época que Teixeira Filho começou a escrever radionovelas. 

    Na televisão, sua primeira novela foi a adaptação do original cubano de Félix Caignet, O Direito de Nascer (TV Tupi, 1964), um imenso sucesso, em parceria com o novelista Talma de Oliveira. Em 1967 Teixeira Filho adaptou para a televisão Excélsior outro clássico da literatura, a saga O Tempo e o Vento de Érico Veríssimo. Ainda para a TV Excélsior,  escreveu O Direito dos Filhos (1968), A Pequena Órfã (1968), Os Diabólicos (1968) e Vidas em Conflito (1969). Foi ainda colaborador de  Ivani Ribeiro em A Menina do Veleiro Azul (1969).

    Com o fechamento da TV Excélsior, o autor foi para a TV Tupi, onde escreveu  Toninho On The Rocks (1970), Bel Ami (1972), Rosa dos Ventos (1973), Ídolo de Pano (1974), Um Dia , O Amor (1975), Um Sol Maior (1977) e uma nova versão de O Direito de Nascer (1978). Estava escrevendo uma nova novela, Maria Nazaré, quando a emissora fechou as portas, em 1980.

    Contratado pela TV Globo, escreveu duas telenovelas para a emissora: Ciranda de Pedra (1981), baseada na obra de Lygia Fagundes Telles e O Homem Proibido (1982), baseada em Nélson Rodrigues. Foi também colaborador de  Benedito Rui Barbosa em Meu Pedacinho de Chão (TV Cultura/TV Globo, 1971).

    Em 1993 a Rede Globo levou ao ar, com grande sucesso,  Sonho Meu, um mix das novelas Idolo de Pano e A Pequena Órfã, numa adaptação de Marcílio Morais com supervisão de Lauro César Muniz.

    Teixeira Filho morreu no dia 24 de abril de 1984, em São Paulo, aos 61 anos de idade, vítima de uma Insuficiência pulmonar.

    Teixeira Filho

    O Direito de Nascer (TV Tupi, 1964) original do cubano Félix Caignet foi adaptada para a televisão por Teixeira Filho e Talma de Oliveira. José Parisi, Amilton Fernandes, Guy Lupe, e Nathalia Timberg  estavam no elenco

    Maria Luiza Castelli, Elisio de Albuquerque, Nathalia Timberg e Amilton Fernandes numa cena de O Direito de Nascer

    A história do médico Dr. Albertinho Limonta (Amilton Fernandes), criado pela bondosa Mamãe Dolores (Isaura Bruno) em O Direito de Nascer foi um dos primeiros grandes sucessos da telenovelas.

    A adaptação para a televisão da saga O  Tempo e o Vento de Érico Veríssimo foi mais um sucesso de Teixeira Filho. TV Excélsior, 1967. 
    Geórgia Gomide  e Davi José em O  Tempo e o Vento

     Cena de O  Tempo e o Vento com Carlos Zara
    Henrique Martins, Flora Geni e Leila Diniz em O Direito dos Filhos (TV Excélsior, 1968), novela de Teixeira Filho 

    Davi José e Leila Diniz em O Direito dos Filhos

    Anúncio de Os Diabólicos (TV Excélsior, 1968), novela de Teixeira Filho

    Edson França e Cleyde Yáconis em Os Diabólicos

    Cleyde Yáconis com Lisa Negri, Edson França e Gracindo Jr. numa cena de Os Diabólicos

    A menina Patricia Aires e Dionísio Azevedo em A Pequena Órfã (TV Excélsior, 1968/68), um grande sucesso, escrito por Teixeira Filho e Carmem Lidia

     Dionísio Azevedo e Patricia Aires em A Pequena Órfã

    Cleyde Yáconis e Paulo Goulart em Vidas em Conflito (TV Excélsior, 1969), novela de Teixeira Filho

    Riva Nimitz em Vidas em Conflito 

    Leila Diniz, Patricia Aires e Ronnie Von em A Menina do Veleiro Azul (TV Excélsior, 1969), novela de Ivani Ribeiro com colaboração de Teixeira Filho

     Toninho On The Rocks (TV Tupi, 1970), novela de Teixeira Filho foi protagonizada pelo cantor Antônio Marcos. Ana Rosa era a estrela.

    Antônio Marcos numa cena de Toninho On The Rocks,

    Nilson Conde e Renée de Vielmond em Meu Pedacinho de Chão (TV Cultura/TV Globo, 1971) novela de Benedito Rui Barbosa com colaboração de Teixeira Filho

    Maurício do Valle, Canarinho e o menino Ayres Pinto em Meu Pedacinho de Chão

    Cacilda Lanuza numa cena de Meu Pedacinho de Chão com a menina Patricia Aires

    Nilson Conde com Castro Gonzaga e Renato Consorte em Meu Pedacinho de Chão

     Bel Ami (TV Tupi, 1972), novela de Teixeira Filho

    Márcia Maria, Adriano Reys e Elaine Cristina em Bel Ami

    Márcia Maria e Adriano Reys em Bel Ami

     Adriano Reys e Maysa em Bel Ami

    Joana Fomm, Adriano Reys, Elaine Cristina, Fúlvio Stefanini, Maysa e Márcia Maria em Bel Ami

    Capa do LP com a trilha sonora de Bel Ami
    Rosa dos Ventos (TV Tupi, 1973), novela de Teixeira Filho

    Tony Ramos, Nicete Bruno e Adriano Reys em Rosa dos Ventos

    Adriano Reys e Nathalia Timberg em Rosa dos Ventos

    Nathalia Timber com Olney Cazarré e Nadia Lippi em Rosa dos Ventos

    Adriano Reys e Wanda Stefania em Rosa dos Ventos

    Anúncio de Rosa dos Ventos

    Capa do LP com a trilha sonora de Rosa dos Ventos

    Ídolo de Pano (TV Tupi, 1974), novela de Teixeira Filho

    Dênis Carvalho foi Jean, o Ídolo de Pano. Elaine Cristina foi Andréia, a heroína da história 

    Tony Ramos e Elaine Cristina formaram o casal romântico de Ídolo de Pano 

    Tony Ramos e Elaine Cristina em Ídolo de Pano

    Suzana Gonçalves, vinda da TV Globo, integrou o elenco de Ídolo de Pano, atuando com Tony Ramos

    Tony Ramos e Elaine Cristina em Ídolo de Pano

    Serafim Gonzalez foi o Dr. Fontes, casado com a ciumenta Guiomar (Lucy Meirelles) em Ídolo de Pano. Suzana Gonçalves (Flávia) e Cleston Teixeira (Sérgio) eram os filhos do casal.

    Tony Ramos e Dênis Carvalho eram os irmãos Clermon em Ídolo de Pano. Glauce Graieb foi Luisa Gondim. 

    O elenco de Ídolo de Pano
    Anúncio de Ídolo de Pano

    O grande sucesso de Ídolo de Pano deu origem a um livro com a história da novela, editado pela Editora Abril

    O autor Teixeira Filho com os atores da novela na noite de autógrafos do livro Ídolo de Pano
    Anúncio de  Um Dia, o Amor (TV Tupi, 1975), novela de Teixeira Filho

    Maria Estela, Henrique Martins e Carlos Zara formaram o principal triângulo amoroso de Um Dia, o Amor

    Maria Estela e Henrique Martins em Um Dia, o Amor

    Em Um Dia, o Amor, Carlos Zara interpretou um viúvo com três filhas, vividas por Nadia Lippi, Liza Vieira e Glauce Graieb

    Rodolfo Mayer, Maria Estela e Lélia Abramo tiveram papéis de grande importância em Um Dia, o Amor
    Nadia Lippi, Glauce Graieb e Cleyde Yáconis em Um Dia, o Amor

     Um Sol Maior (TV Tupi, 1977), novela de Teixeira Filho

    Jonas Melo e Sandra Barsotti em Um Sol Maior  
    Zanoni Ferrite, o protagonista de Um Sol Maior
    e Sandra Barsotti. 

    laura Cardoso e Rodolfo Mayer, grandes atores em Um Sol Maior 

    Zanoni Ferrite com Maria Helena Dias e Liza Vieira em Um Sol Maior 

    Em 1978, a TV Tupi produziu uma nova versão de O Direito de Nascer, novamente com adaptação de Teixeira Filho. Eva Wilma e Carlos Augusto Strazzer estava à frente do elenco.

    Na versão de 1987 de O Direito de Nascer, o médico Albertinho Limonta foi interpretado por Carlos Augusto Strazzer e a Mamãe Dolores por Cléia Simões.

    Cléia Simões e Eva Wilma em O Direito de Nascer

    Adriano Reys e Eva Wilma O Direito de Nascer

    Adriano Reys e Eva Wilma em Ciranda de Pedra (TV Globo, 1981), novela de Teixeira Filho, baseada no romance homônimo de Lygia Fagundes Telles

    Adriano Reys com Priscila Camargo e Silvia Salgado em Ciranda de Pedra

    Paulo Ramos e Silvia Salgado em Ciranda de Pedra

    O Homem Proibido (TV Globo, 1982), novela de Teixeira Filho, baseada na obra de Nélson Rodrigues

    O Homem Proibido foi protagonizada por Elizabeth Savalla, David Cardoso e Lidia Brondi 

    David Cardoso, Elizabeth Savalla, Ana Lucia Torre, Nelson Dantas e Cleide Blota em O Homem Proibido

     David Cardoso e Lidia Brondi em O Homem Proibido
    Sonho Meu (TV Globo, 1993), novela de Marcilio Morais e Lauro César Muniz, remake das novelas Ídolo de Pano e A Pequena Órfã, ambas de Teixeira Filho

    Carolina Pavanelli e Elias Gleizer em Sonho Meu

    Leonardo Vieira e Patricia França em Sonho Meu

    Nívea Maria e Carolina Pavanelli em Sonho Meu

    Fábio Assunção e Beatriz Segall em Sonho Meu

    Yoná Magalhães e Walmor Chagas também tiveram papéis de destaque em Sonho Meu

    Patricia França na capa do LP com a trilha sonora nacional de Sonho Meu

    Leonardo Vieira na capa do LP com a trilha sonora internacional de Sonho Meu


    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog TUDO ISSO É TV (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet 


    0 0


    Sérgio Jockymann   nasceu em Palmeira das Missões (RS) no dia 29 de abril de 1930. Seu pai, um engenheiro agrônomo e farmacêutico, e sua mãe, uma professora, desde muito cedo o incentivaram a tomar gosto pela literatura.

    Jornalista desde os 17 anos de idade, trabalhou nos jornais Diário de Notícias de Porto Alegre; na Companhia Jornalística Caldas Júnior, nos jornais Correio do Povo e Folha da Tarde e na Rádio Guaíba AM. Foi diretor geral da Rádio Farroupilha e também atuou como  apresentador e produtor nas antigas TV Piratini; TV Difusora ; TV Gaúcha e TV Guaíba.

    Para o teatro escreveu dezenas de peças, entre elas  sucessos como Marido, Matriz e Filial, Lá e Treze, as duas últimas, grandes sucessos da carreira de Paulo Goulart.  

    Na televisão estreou em 1969, com o programa Confissões de Penélope, estrelado por Eva Wilma na TV Tupi. Em seguida escreveu diversas telenovelas para a emissora (A Gordinha, Bel-Ami, Na Idade do Lobo, O Conde Zebra, O Machão, Sheik de Ipanema e  Vila do Arco), todas voltadas para o estilo comédia. No início dos anos 1980, com o fechamento da TV Tupi, Sérgio Jockymann foi para a TV Bandeirantes, onde escreveu a primeira parte da novela Dulcinéa Vai à Guerra e o seriado Casal 80.

     Afastado da televisão voltou ao jornalismo e à literatura. Entre suas obras literárias estão o livro de poemas  Poemas em Negro (1958); os livros de contos Vila Velha - Vol. I (1975)  e  Vila Velha - Vol. II (1976) e os romances  Clô Dias & Noites (1982) e Sortilégio  (2000).


    Sérgio Jockymann morreu em  Campinas no dia 16 de fevereiro de 2011, aos 80 anos de idade, em decorrência de uma insuficiência renal crônica. 

    Sérgio Jockymann

    Sérgio Jockymann

    Eva Wilma em Confissões de Penélope (TV Tupi, 1968), seriado de Sérgio Jockymann

    Eva Wilma em Confissões de Penélope

    John Herbert e Eva Wilma em Confissões de Penélope

    Eva Wilma em Confissões de Penélope

    Walmor Chagas e Elísio de Albuquerque em Nenhum Homem é Deus (TV Tupi, 1969), novela de Sérgio Jockymann

    Nicete Bruno e Henrique Martins em A Gordinha (TV Tupi, 1970), novela de Sérgio Jockymann
    Nicete Bruno e Henrique Martins em A Gordinha

    Fausto Rocha Jr, Graça Melo e Nicete Bruno em A Gordinha

    Nicete Bruno e Graça Melo em A Gordinha

    Graça Melo, Fernando Torres e Fausto Rocha Jr em A Gordinha

    Carlos Alberto, Irene Ravache, Bete Mendes e Pepita Rodrigues em Na Idade do Lobo (TV Tupi, 1972), novela de Sérgio Jockymann

    Carlos Alberto com a princesa Ira de Furstemberg em Na Idade do Lobo

    Yvan Mesquita e Bete Mendes em Na Idade do Lobo

    Tony Ramos e Bete Mendes em Na Idade do Lobo

    Bete Mendes em Na Idade do Lobo

    Carlos Alberto e Pepita Rodrigues em Na Idade do Lobo

    Carlos Alberto e Márcia de Windsor em Na Idade do Lobo

    Otelo Zeloni, Renato Consorte e Ruthinéia de Moraes em O Conde Zebra  (TV Tupi, 1973), novela de Sérgio Jockymann

    Flaminio Favero, Ruthinéia de Moraes, Otelo Zeloni, Yara Lins e Tereza Teller em O Conde Zebra  

    Alceu Nunes, Flaminio Favero, Ruthinéia de Moraes, Otelo Zeloni e Yara Lins em O Conde Zebra  

    Ruthinéia de Moraes e  Otelo Zeloni em O Conde Zebra  

    O Machão  (TV Tupi, 1974/75), novela de Sérgio Jockymann, iniciada por Ivani Ribeiro, a partir da peça a Megera Domada, de William Shakespeare

    Antônio Fagundes foi O Machão  

    Antônio Fagundes (Julião Petrucchio) e Maria Isabel de Lizandra (Catarina) protagonizaram O Machão

    Antônio Fagundes com Chico Martins, Olney Cazarré, Jacques lagoa e Tereza Sodré numa cena de O Machão

    Antônio Fagundes, João José Pompeu, Rogério Márcico e Irene Ravache em O Machão

    Antônio Fagundes com Edgar Franco e Ruthinéia de Moraes em O Machã

    Antônio Fagundes, Ruthinéia de Moares e Maria Isabel de Lizandra em O Machão

    Antônio Fagundes e Rogério Márcico foram genro e sogro em O Machã

     O Sheik de Ipanema  (TV Tupi, 1975), novela de Sérgio Jockymann

    Luis Gustavo, Ana Rosa, Nadia Lippi, John Herbert, Tereza Sodré e Laerte Morrone em O Sheik de Ipanema 

    Foto do elenco de O Sheik de Ipanema 

    Luis Gustavo, Ana Rosa, Nadia Lippi, John Herbert, Tereza Sodré e Laerte Morrone em O Sheik de Ipanema 

    Luis Gustavo e  Ana Rosa em O Sheik de Ipanema 

    Luis Gustavo foi O Sheik de Ipanema 

    Anúncio de O Sheik de Ipanema 
    Vila do Arco (TV Tupi, 1976), novela de Sérgio Jockymann, baseada no conto O Alienista de Machado de Assis


    Célia Helena, Sebastião Campos, Rogério Márcico, Geraldo Del Rey, Laerte Morrone e Silvio Francisco em Vila do Arco 

    Rodrigo Santiago e Maria isabel de Lizandra em Vila do Arco 

    Parte do elenco de Vila do Arco 

    Laerte Morrone, Alberto Viana, Silvio Francisco e Geraldo Del Rey em Vila do Arco 

     Laerte Morrone e Liana Duval em Vila do Arco 

    Célia Helena e Rodrigo Santiago em Vila do Arco

      Em Vila do Arco, Célia Helena interpretou a viúva Severina, um de seus melhores momentos na televisão 

    Edwin Luisi, Rodrigo Satiago,  Célia Helena e Silvio Francisco em Vila do Arco 

    Cena de Vila do Arco 
    Anúncio de Vila do Arco 

    Roda de Fogo (TV Tupi, 1978), novela iniciada por Sérgio Jockymann e concluída por Walther Negrão, baseada na peça Rei Lear de William Shakespeare

    Roda de Fogo foi protagonizada por Osvaldo Loureiro, na foto com Sadi Cabral, Maria Estela, Eva Wilma e Geraldo Del Rey 

    Othon Bastos e Eva Wilma em Roda de Fogo 

    Fúlvio Stefanini e Eva Wilma em Roda de Fogo

    Maria Estela e Eva Wilma eram as ambiciosas filhas de Lear em Roda de Fogo
    Kate Hansen e Rolado Boldrin em Roda de Fogo

    Kate Hansen foi a filha caçula de Lear (Osvaldo Loureiro) em Roda de Fogo

    Dulcinea Vai à Guerra (TV Bandeirantes, 1981), novela iniciada por Sérgio Jockyman e finalizada por Jorge Andrade

    Dercy Gonçalves em Dulcinea Vai à Guerra 

    Casal 80 (TV Bandeirantes, 1983/84), seriado escrito por  Sérgio Jockyman

     John Herbert e Célia Helena em Casal 80 

     Célia Helena, Mayara Magri, Artur Leivas e John Herbert em Casal 80

     Clô - Dias e Noites,  romance de Sérgio Jockymann



    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog TUDO ISSO É TV (Césio Gaudereto), sites diversos da Internet



    0 0


    Hebe Maria Monteiro de Camargo nasceu em Taubaté (SP) no dia  8 de março de 1929. Nascida em família humilde, filha da professora de piano Esther Magalhães Camargo e do violinista Sigesfredo Monteiro Camargo, conhecido como Fêgo Camargo,  a caçula de 7 filhos, 4 mulheres e 3 homens, estudou até a quarta série do primário. Com a mudança da família para a Capital, em 1943, começou a carreira como cantora de rádio em programas de calouros e como crooner em boates.  Em 1950 gravou seu primeiro disco em compacto.

    Com a chegada da televisão, Hebe integrou-se ao novo veículo. Sua primeira apresentação na televisão deveria ser na inauguração, cantando o “Hino da Televisão”, mas preferiu viajar com Luis Ramos,  o então namorado e foi substituída pela amiga Lolita Rodrigues. Ainda em 1950, apareceu pela primeira vez na TV, no programa Rancho Alegre num dueto com o cantor Ivon Curi.  Em 1955, integrou o primeiro programa feminino da televisão brasileira, O Mundo é das Mulheres dirigido por Walter Forster.  Nessa época, chegou a apresentar sete programas por semana.

    Em 1957, desiludida com o namorado de oito anos, a morena Hebe rompeu o romance e pintou os cabelos de loiro, criando sua marca registrada que perduraria até o fim da vida.  

    Em 1959 lançou seu primeiro disco em Long Play, Hebe e Vocês, mas aos poucos seu sucesso como apresentadora foi sobrepondo à carreira de cantora. Em 1964, no auge do sucesso, casou-se com o empresário Décio Capuano, pai de Marcello, seu único filho, e abandonou a televisão para se dedicar à família. Os convites para voltar à TV, no entanto,  não deram trégua e em 1966, com o casamento em crise, Hebe retornou definitivamente à televisão, pela TV Record, vivendo sua fase áurea na TV. Em 1971, separou-se do marido e em 1973 voltou a se casar com o milionário Lélio Ravagnani, com quem viveu 29 anos até a morte dele em 2000.

    Em 1974 transferiu-se para TV Tupi de São Paulo, onde permaneceu por 2 anos. Só voltaria à televisão em 1979, pela Rede Bandeirantes. Em 1986, a convite de Silvio Santos, Hebe  estreou no SBT, onde permaneceu por 24 anos, até dezembro de 2010. De 2011 a 2012 Hebe apresentou seu programa na Rede TV,  com um salário de meio milhão de Reais e participação nos merchandises. No dia 25 de setembro de 2012, Hebe apresentou seu último programa na emissora. Dois dias depois, o SBT anunciava sua volta à casa. Não deu tempo.

    Hebe, diagnosticada com um câncer no peritônio dois anos antes, morreu no dia 29 de setembro de 2012, em São Paulo, aos 83 anos de idade, após sofrer uma parada cardíaca de madrugada, enquanto dormia.  O corpo foi velado no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do Estado de São Paulo e sepultado no cemitério Gethsemani, no bairro do Morumbi, onde morava e onde também, em sua homenagem fica a Avenida Hebe Camargo.


    Dezenas de vezes premiada como melhor apresentadora, Hebe Camargo foi considerada  “A Rainha da Televisão” e “A Cara de São Paulo”.  A menina pobre, nascida no interior de São Paulo, morreu milionária e amada por todo o país. No ano de 2017, o diretor Miguel Falabella, baseado no livro do escritor Arthur Xexéo, estreou em São Paulo um magnífico espetáculo musical intitulado “Hebe – o Musical”. Nada mais justo para uma estrela que jamais deixou de brilhar.

    Hebe Camargo

    Hebe Camargo

    Hebe Camargo

    Hebe Camargo

    Hebe Camargo

    Hebe Camargo

    Hebe Camargo

    Hebe Camargo

    Hebe Camargo

    Hebe Camargo

    Hebe Camargo

    Hebe Camargo
    Hebe Camargo

    Hebe Camargo

    Hebe Camargo

    Hebe Camargo

    Hebe Camargo

    Hebe Camargo

    Hebe Camargo

    Hebe Camargo - Programa O Mundo é das Mulheres (TV Tupi, 1955)

    Hebe Camargo com Humberto de Campos e José Tavares de Miranda

    Hebe Camargo com Cacilda Lanuza e Yara Lins - programa O Mundo é das Mulheres

    Hebe Camargo entrevistando o astronauta Neil Armstrong

    Hebe Camargo em seu programa de entrevistas na TV Record

    Hebe Camargo num encontro com as cantoras Edith Piaf e Marlene

    Hebe Camargo com Elizeth Cardoso

    Hebe Camargo com Rafael Puglieli

    Hebe Camargo com Wilson Simonal

    Hebe Camargo com Raul Gil

    Hebe Camargo com Riva Blanche e Yara Lins  

    Hebe Camargo com Walter Forster

    Hebe Camargo com o marido Décio Capuano

    Hebe Camargo com o marido Décio Capuano

    Hebe Camargo com o marido Décio Capuano

    Hebe Camargo com o marido Décio Capuano e o filho Marcello

    Hebe Camargo com o filho Marcello

    Hebe Camargo com o filho Marcello
    Hebe Camargo com o filho Marcello

    Hebe Camargo com o filho Marcello

    Hebe Camargo com o filho Marcello

    Hebe Camargo com o filho Marcello

    Hebe Camargo com o filho Marcello

    Hebe Camargo com os pais, Dona Esther e seu Febo

    Hebe Camargo com o elenco da novela Tilim (TV Record)

    Hebe Camargo com os atores Fulvio Stefanini e Maria Estela na TV Record

    Hebe Camargo na telenovela As Pupilas do Senhor Reitor (TV Record)

    Hebe Camargo com o elenco da novela Os Deuses Estão Mortos (TV Record)

    Hebe Camargo com Ronald Golias na TV Record

    Hebe Camargo com o marido Lélio e a amiga Nair Bello

    Hebe Camargo com Clodovil

    Hebe Camargo com Dercy Gonçalves

    Hebe Camargo com o estilista Denner e a atriz Márcia de Windsor

    Hebe Camargo com Elis Regina

    Hebe Camargo com o diretor Wilton Franco

    Hebe Camargo com Lolita Rodrigues

    Hebe Camargo com Airton e Lolita Rodrigues no programa Clube dos Artistas

    Hebe Camargo com Silvio Santos recebendo um de seus vários Troféu Imprensa

    Hebe Camargo com Tônia Carrero e Lolita Rodrigues

    Hebe Camargo com Otelo Zeloni no programa Família Trapo (TV Record)

    Hebe Camargo com o diretor Nilton Travesso

    Hebe Camargo com os cantores Orlando Silva e Nélson Gonçalves

    Hebe Camargo com Grande Otelo

    Hebe Camargo com as amigas Lolita Rodrigues e Nair Bello

    Hebe Camargo com Lolita Rodrigues

    Hebe Camargo com o marido Lélio, a cantora Ângela Maria e o casal Airton e Lolita Rodrigues

    Hebe Camargo com Nair Bello, Renata Fronzi e Lolita Rodrigues


    Hebe Camargo

    Hebe Camargo na capa de um de seus discos

    Hebe Camargo na capa de seu CD
    Hebe Camargo com o marido Décio e o filho Marcello
    Hebe Camargo com Silvio Santos, Nair Bello e Lolita Rodrigues

    Hebe Camargo com Xuxa

    Hebe Camargo com Fausto Silva, Tom Cavalcanti e Jô Soares

    Hebe Camargo e Roberto Carlos

    Hebe Camargo com Agnaldo Rayol e Jair Rodrigues

    Hebe Camargo com o ator Elias Gleizer

    Hebe Camargo com o ator Alexandre Frota

    Hebe Camargo comemorando seu aniversário de 69 anos

    Hebe Camargo com o marido Lélio e o filho Marcello comemorando seu aniversário de 69 anos

    Hebe Camargo com Dercy Gonçalves

    Hebe Camargo com Lolita Rodrigues

    Hebe Camargo com o cantor Sidney Magal

    Hebe Camargo com Nair Bello e Lolita Rodrigues

    Hebe Camargo e convidados

    Hebe Camargo com Silvio Santos

    Hebe Camargo com Silvio Santos

    Hebe Camargo com Silvio Santos


    Hebe Camargo na capa da revista Melodias

    Hebe Camargo na capa da revista O Cruzeiro

    Hebe Camargo na capa da revista Fatos & Fotos

    Hebe Camargo na capa da revista Intervalo
    Hebe Camargo na capa da revista Intervalo

    Hebe Camargo e o ator Hélio Souto na capa da revista São Paulo na TV

    Hebe Camargo na capa da revista Ana Maria

    Hebe Camargo na capa da revista Caras

    Hebe Camargo na capa da revista Caras

    Hebe Camargo na capa da revista Caras

    Hebe Camargo na capa da revista Caras

    Hebe Camargo na capa da revista Caras

    Hebe Camargo na capa da revista Caras

    Hebe Camargo o o marido Lélio e o casal Roberto Carlos e Maria Rita na capa da revista Caras

    Hebe Camargo com a apresentadora Luciana Gimenez na capa da revista Caras

    Hebe Camargo com o apresentador Ratinho na capa da revista Caras

    Hebe Camargo na capa da revista Caras

    Hebe Camargo com o ator maericano Morgan Freeman na capa da revista Caras

    Hebe Camargo na capa da revista Caras

    Hebe Camargo na capa da revista Contigo

    Hebe Camargo na capa da revista Contigo

    Hebe Camargo na capa da revista Contigo

    Hebe Camargo na capa da revista Contigo

    Hebe Camargo na capa da revista Contigo

    Hebe Camargo na capa da revista Contigo em sua homenagem 

    Hebe Camargo na capa da revista Quem

    Hebe Camargo na capa da revista Quem

    Hebe Camargo na capa da revista Veja São Paulo

    Hebe Camargo na capa da revista Veja São Paulo

    Hebe Camargo com Roberto Carlos na capa da revista Ana Maria

    Hebe Camargo na capa da revista Isto É

    Hebe Camargo na capa do livro Hebe - a Biografia, de Artur Xexéo



    Chamada do programa de Hebe Camargo na TV Tupi

    Hebe Camargo

    Hebe Camargo

    Homenagem a Hebe Camargo com as presenças do então prefeito de São Paulo Gilberto Kassab, o filho Marcello e as atrizes Laura Cardoso, Vida Alves, Márcia Real e Lolita Rodrigues

    Avenida Hebe Camargo, em São Paulo

    HEBE, O MUSICAL

    Espetáculo Hebe, o Musical, baseado no livro de Artur Xexéo, direção de Miguel Falabella

    A atriz Débora Reis, excelente no papel de Hebe Camargo no espetáculo Hebe, o Musical 

    As atrizes Débora Reis e Carol Costa, ambas maravilhosas,  interpretam Hebe Camargo nas duas fases de sua vida no espetáculo Hebe, o Musical 

    A atriz Débora Reis e o ator Guilherme Magon interpretam o casal Hebe Camargo e Décio Capuano no espetáculo Hebe, o Musical 

    Luis Ramos (Frederico Reuter), Décio Capuano (Guilherme Magon) e Lélio Ravagnani (Dino Fernandes) foram os três homens que marcaram a vida amorosa de Hebe Camargo, brilhantemente interpretada por Débora Reis no espetáculo Hebe, o Musical 

    Renata Brás (Nair Bello), Débora Reis (Hebe Camargo) e Renata Ricci (Lolita Rodrigues) no espetáculo Hebe, o Musical 

    Dino Fernandes (Lélio Ravagnani), Débora Reis (Hebe Camargo), Renata Brás (Nair Bello) e Renata Ricci (Lolita Rodrigues) no espetáculo Hebe, o Musical 

    Dino Fernandes (Lélio Ravagnani), Débora Reis (Hebe Camargo) e Renata Brás (Nair Bello) no espetáculo Hebe, o Musical 

     Débora Reis  incorporando Hebe Camargo no espetáculo Hebe, o Musical 

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog TUDO ISSO É TV (Césio Gaudereto), sites diversos da Internet, fotos de divulgação do espetáculo Hebe, o Musical 


    0 0


    Benedito Ruy Barbosa nasceu em Gália (SP) no dia  17 de abril de 1931. Filho de pai jornalista e tipógrafo, começou ainda menino a familiarizar-se com obras literárias, trabalhando com o pai, proprietário do  jornal ‘A Voz de Vera Cruz’. Em 1947 foi morar na capital, com a intenção de estudar direito, mas acabou como jornalista do jornal O Estado de São Paulo, onde trabalhou por 12 anos, chegando a chefe de reportagem.

    O início de sua carreira como dramaturgo foi no teatro com a peça Fogo Frio, encenada pelo Grupo Teatro de Arena de São Paulo. Na televisão, foi contratado pela Colgate-Palmolive como avaliador de scripts de novelas importadas pela empresa. Sua primeira novela foi Somos Todos Irmãos (TV Tupi, 1966), baseada no romance A Vingança do Judeu, escrito pela autora russa Vera Krijanóvscaia. Em seguida, emplacou outro grande sucesso com a novela O Anjo e o Vagabundo (TV Tupi, 1967).  Ambas  as novelas foram protagonizadas pelo ator Sérgio Cardoso. Nessa fase, escreveu novelas e colaborou com outros autores em produções da TV Record e da TV Excélsior. Nessa época também se dedicou à publicidade.

    Em 1971, Convidado pelo então governador de São Paulo, Laudo Natel, assumiu um cargo de assessoria na TV Cultura, onde realizou um velho sonho: escrever uma novela cultural e educativa: Meu Pedacinho de Chão. Ao contrário das expectativas, a novela fez grande sucesso e abriu as portas da TV Globo para o autor.

    Na TV Globo, Benedito Ruy Barbosa estreou em 1976, adaptando romances para o horário das 18 Horas. Mas foi a partir dos anos 1980 que Benedito Ruy Barbosa se consagrou como um campeão de audiência.  Desse período, registram-se grandes telenovelas como Os Imigrantes(TV Bandeirantes, 1981), Pantanal (TV Manchete, 1990), Renascer (TV Globo, 1993), O Rei do Gado (TV Globo, 1996) e Terra Nostra (TV Globo, 1999). Nos anos 2000, quatro novelas suas na TV Globo mereceram remakes com sucesso renovado - Cabocla (2004), Sinhá Moça (2006), Paraíso (2009)e Meu Pedacinho de Chão (2014).


    Abordando temas como a vida rural e a imigração italiana, Benedito Ruy Barbosa tem seu nome registrado no panteão dos grandes novelistas brasileiros.

    Benedito Ruy Barbosa

    Benedito Ruy Barbosa

    Benedito Ruy Barbosa

    Benedito Ruy Barbosa

    Benedito Ruy Barbosa

    Benedito Ruy Barbosa

    Benedito Ruy Barbosa

    Benedito Ruy Barbosa

    Somos Todos Irmãos (TV Tupi, 1966), novela de Benedito Ruy Barbosa, baseada no romance A Vingança do Judeu, escrito pela autora russa Vera Krijanóvscaia

    Sérgio Cardoso e Rosamaria Murtinho em Somos Todos Irmãos  

    Sérgio Cardoso e Rosamaria Murtinho em Somos Todos Irmãos 

    Sérgio Cardoso e Rosamaria Murtinho em Somos Todos Irmãos 

     Rosamaria Murtinho em Somos Todos Irmãos 

    Sérgio Cardoso em Somos Todos Irmãos 

    Sérgio Cardoso em O Anjo e o Vagabundo (TV Tupi, 1966/67), novela de Benedito Ruy Barbosa  

    Isaura Bruno e Ana Rosa em O Anjo e o Vagabundo

    Ademir Rocha e Ana Rosa em O Anjo e o Vagabundo

    Maria Helena Dias e Lima Duarte em O Décimo Mandamento (TV Tupi, 1968), novela de Benedito Ruy Barbosa 

    Débora Duarte e Lima Duarte em O Décimo Mandamento 

    Débora Duarte e Jovelti Archangelo em O Décimo Mandamento 

    Reny de Oliveira e Suzana Vieira em A Última Testemunha (TV Record, 1968/69), novela de Benedito Ruy Barbosa 

    Suzana Vieira com Lolita Rodrigues e o menino Ayres Pinto em A Última Testemunha 

    Agnaldo Rayol e Altair Lima em A Última Testemunha 

    o elenco A Última Testemunha

    Fúlvio Stefanini em Algemas de Ouro (TV Record, 1970), novela de Benedito Ruy Barbosa 

    Márcia Maria e Altair Lima em Algemas de Ouro 

    Márcia Maria e Lolita Rodrigues em Algemas de Ouro 

    Márcia Maria e Reny de Oliveira em Algemas de Ouro

    Fúlvio Stefanini, Maria Estela e Laura Cardoso em Algemas de Ouro 

    Anúncio da novela Algemas de Ouro 

    Simplesmente Maria (TV Tupi, 1971), novela de Benedito Ruy Barbosa e Benjamin Cattan, adaptada do original cubano de Rosamaria Gonzalez 

    Yoná Magalhães e Carlos Alberto em Simplesmente Maria 
    Yoná Magalhães em Simplesmente Maria

    Yoná Magalhães em Simplesmente Maria 

    Anúncio da novela Simplesmente Maria 

     Meu Pedacinho de Chão (TV Cultura/TV Globo, 1971), novela de Benedito Ruy Barbosa 

    Nilson Conde e Renée de Vielmond em  Meu Pedacinho de Chão 


    Cacilda Lanuza e a menina Patricia Aires em  Meu Pedacinho de Chão 

    Mauricio do Valle, Canarinho e o menino Ayres Pinto em  Meu Pedacinho de Chão 

    Enio Carvalho, Jeanete Pires, Nilson Conde, Renée de Vielmond, Renato Consorte, Ligia maria, Luis Carlos Arutim e Wilma Mariz em  Meu Pedacinho de Chão


     O Feijão e o Sonho (TV Globo, 1976), novela de Benedito Ruy Barbosa, adaptada do romance homônimo de Orígenes Lessa 

    Nívea Maria e Cláudio Cavalcanti viveram o casal Maria Rosa e Campos Lara em Feijão e o Sonho 

    Roberto Bonfim e Lúcia Alves em  Feijão e o Sonho 

    Nívea Maria e Cláudio Cavalcanti em  Feijão e o Sonho 

    Lúcia Alves e Nívea Maria em  Feijão e o Sonho 

    Cláudio Cavalcanti e Nívea Maria em  Feijão e o Sonho 

    À Sombra dos Laranjais (TV Globo, 1977), novela de Benedito Ruy Barbosa e Sylvan Paezzo, adaptada do romance homônimo de Viriato Correa

    Aracy Cardoso, Herval Rossano e Isis Koschdosky em À Sombra dos Laranjais 

    Herval Rossano e Aracy Cardoso em  À Sombra dos Laranjais 

    Ary Fontoura e  Herval Rossano em À Sombra dos Laranjais 

    Cabocla (TV Globo, 1979), novela de Benedito Ruy Barbosa, adaptada do romance homônimo de Ribeiro Couto

    Fábio Júnior e Glória Pires em Cabocla 

    Fátima Freire e Kadu Moliterno em Cabocla

    Roberto Bonfim e Kadu Moliterno em Cabocla 

    Cláudio Correa e castro foi o Coronel Boanerges em Cabocla 

    Em Cabocla Neuza Amaral foi Emerenciana

    Gilberto Martinho, o Coronel Justino em Cabocla 

    Roberto Bonfim em Cabocla interpretou Tobias

    Pé de Vento (TV Bandeirantes, 1980), novela de Benedito Ruy Barbosa

    Bete Mendes em Pé de Vento

    Fausto Rocha, Nuno Leal Maia e Dionisio Azevedo em Pé de Vento 

    Maria Estela e Edney Giovenazzi em Pé de Vento 

    Dionísio Azevedo e Maria Luiza Castelli em Pé de Vento 

    Maria Luiza Castelli e Cristina Mullins em Pé de Vento 


    Os Imigrantes (TV Bandeirantes, 1981/82), novela de Benedito Ruy Barbosa

    Rubens de Falco, Othon Bastos e Altair Lima em Os Imigrantes 

    Altair Lima, Othon Bastos e Rubens de Falco em Os Imigrantes

    Yoná Magalhães e Altair Lima em Os Imigrantes

    Yoná Magalhães e Altair Lima em Os Imigrantes

    Rubens de Falco e Maria Estela em Os Imigrantes

    Waldir Fernandes e Rubens de Falco em Os Imigrantes

    Yoná Magalhães em Os Imigrantes

    Anúncio da novela Os Imigrantes

     Paraíso (TV Globo, 1983), novela de Benedito Ruy Barbosa

    Cristina Mullins e Kadu Moliterno em Paraíso (TV Globo, 1983), novela de Benedito Ruy Barbosa

     Kadu Moliterno e Cristina Mullins em Paraíso

    Caique Ferreira e Elizangela em Paraíso


    Voltei Pra Você (TV Globo, 1984), novela de Benedito Ruy Barbosa

    Cristina Mullins e Paulo Castelli em Voltei Pra Você 

    Cristina Mullins em Voltei Pra Você 

    Sinhá Moça (TV Globo, 1986), novela de Benedito Ruy Barbosa, baseada no romance de Maria Dezone Pacheco Fernandes

    Lucélia Santos em Sinhá Moça
    Lucélia Santos e Marcos Paulo em Sinhá Moça

    Elaine Cristina, Rubens de Falco, Lucélia Santos e Mauro Mendonça em Sinhá Moça

    Patricia Pillar e Tarcísio Filho em Sinhá Moça

    Lucélia Santos, Marcos Paulo e Sérgio Viotti em Sinhá Moça

    Grande Otelo e Ruth de Souza em Sinhá Moça

    Vida Nova (TV Globo, 1988), novela de Benedito Ruy Barbosa

    Déborah Evelyn e Lauro Corona em Vida Nova

    Yoná Magalhães e Carlos Zara em Vida Nova

    Roberto Bonfim e Nívea Maria em Vida Nova

    Giussepe Oristano e Patricia Pillar em Vida Nova

    Cláudio Correa e Castro, Marcos Winter, Yoná Magalhães e Carlos Zara numa cena de Vida Nova

    José Lewgoy, Miriam Mehler e Déborah Evelyn em Vida Nova

    O casamento de Lalá (Yoná Magalhães) e Antônio Sapateiro (Carlos Zara) em Vida Nova

    Yoná Magalhães, a estrela de Vida Nova

    Pantanal (TV Manchete, 1990), novela de Benedito Ruy Barbosa
    Cristiana Oliveira foi Juma Marruá, a mulher onça de Pantanal 

    Cláudio Marzo (José Leôncio) e Jussara Freire (Filó), premiados com o Troféu Imprensa,   foram duas garantias de sucesso de Pantanal

    Elaine Cristina, Marcos Winter e Ítala Nandi integravam o núcleo urbano de Pantanal

    Ângela Leal (Maria Bruaca) e Ângelo Antônio (Alcides) em Pantanal

    Paulo Gorgulho, Cristiana Oliveira e Marcos Winter formaram o principal triângulo amoroso de Pantanal

    Cristiana Oliveira e Marcos Winter em Pantanal

    Renascer (TV Globo, 1993), novela de Benedito Ruy Barbosa

    Leonardo Vieira e Patricia França foram os jovens Zé Inocêncio e Maria Santa na primeira fase de Renascer. No parto do quarto filho ela morre, deixando o marido inconsolável. 

    Nelson Xavier (Norberto), Fernanda Montenegro (Dona Jucutinga) e Leonardo Vieira (Zé Inocêncio) na primeira fase de Renascer

    Marcos Palmeira, Tarcísio Filho e Marco Ricca foram os irmãos João Pedro, Zé Bento e Zé Augusto na segunda fase de Renascer

    Antônio Fagundes foi José Inocêncio, o protagonista de Renascer, ao lado de Adriana Esteves (Mariana)

    Roberto Bonfim (Diocleciano) e Regina Dourado (Morena)  fizeram grande sucesso em Renascer

    Jacson Antunes (Damião) e Patricia Pillar (Eliana) em Renascer

    Eliane Giardini (Dona Patroa) e Herson Capri (Cel Teodoro) em Renascer

    Maria Luisa Mendonça (Buba) e Taumaturgo Ferreira (Zé Venâncio) também se destacaram em Renascer

    O Rei do Gado (TV Globo, 1996/97), novela de Benedito Ruy Barbosa

    Leonardo Brício e Letícia Spiller foram o casal Enrico e Giovanna na primeira fase de O Rei do Gado

    Antônio Fagundes foi o protagonista Bruno Mezenga, filho de Enrico e Giovanna, na segunda fase de O Rei do Gado
    Raul Cortez (Geremias Bedrinazzi) foi um dos grandes destaques de O Rei do Gado, Glória Pires, que recusou o papel principal feminino, viveu a interesseira Marieta.

    Antônio Fagundes com Stênio Garcia, Fábio Assunção, Patricia Pillar e Bete Mendes numa cena de O Rei do Gado

    Patricia Pillar foi Luana,a heroína de O Rei do Gado, uma sem terra por quem Bruno (Antônio Fagundes) se apaixona.

    Terra Nostra (TV Globo, 1999), novela de Benedito Ruy Barbosa

    Thiago Lacerda e Ana Paula Arósio protagonizaram Terra Nostra mais um campeão de audiência
    A bela Maria Fernanda Cândido e Raul Cortez fizeram sucesso em Terra Nostra
    Débora Duarte e Antônio Fagundes estiveram excelentes em Terra Nostra


    Débora Duarte, Paloma Duarte e Carolina Kasting em Terra Nostra

    Juan Alba e Ângela Vieira foram dois dos destaques deTerra Nostra

    Antônio Calloni, Paloma Duarte e Thiago Lacerda em Terra Nostra

    Esperança (TV Globo, 2002), novela de Benedito Ruy Barbosa

    Reynaldo Gianecchini e Ana Paula Arósio em Esperança. A expectativa era de um sucesso semelhante a Terra Nostra. Não foi o que aconteceu. No final da trama o autor, por problemas de saúde, foi substituído por Walcyr Carrasco  
    Eva Wilma, Raul Cortez e Reynaldo Gianecchini numa cena de Esperança
    Ana Paula Arósio e Paulo Ricardo em Esperança
    Maria Fernanda Cândido e Nuno Lopes foram os maiores destaques de Esperança
    Maria Fernanda Cândido e Nuno Lopes em Esperança

    Lúcia Veríssimo, José Lewgoy e Paulo Goulart em Esperança

    Priscila Fantin e Reynaldo Gianecchini em Esperança

    Nuno Lopes e Maria Fernanda Cândido numa cena de Esperança

    Cabocla (TV Globo, 2004), remake da novela de Benedito Ruy Barbosa

    Vanessa Giacomo e Daniel de Oliveira interpretaram o casal  Zuca e Luis Jerônimo na nova versão de Cabocla 

    Eriberto Leão e Maria Flor foram Tomé e Tina na nova versão de Cabocla 

    Malvino Salvador (Tobias) e Carolina Kasting (Mariquinha) na nova versão de Cabocla 

    Tony Ramos (Cel Boanerges) e Patricia Pillar (Emerenciana) no remake de Cabocla 

    Eriberto Leão e Malvino Salvador na nova versão de Cabocla 

    Tony Ramos com Mauro Mendonça e John Herbert em cena do remake de Cabocla 

    Mad Maria (TV Globo, 2005), minissérie de Benedito Ruy Barbosa, adaptada da obra de Marcio Souza

    Tony Ramos e Priscila Fantim em Mad Maria 

    Antônio Fagundes e Priscila Fantim em Mad Maria

    Cláudia Raia em Mad Maria

    Cassia Kiss em Mad Maria
     Sinhá Moça (TV Globo, 2006), remake da novela de Benedito Ruy Barbosa

    Débora Falabella e Danton Melo no remake de Sinhá Moça 

    Osmar Prado, Elias Gleizer e Patricia Pillar no remake de Sinhá Moça

    Bruno gagliazzo e Isis Valverde no remake de Sinhá Moça

    Paraíso (TV Globo, 2009), remake da novela de Benedito Ruy Barbosa

    Eriberto Leão e Nathalia Dill no remake da novela Paraíso 

    Bruno gagliazzo e Vanessa Giacomo no remake da novela Paraíso

    Cassia Kiss e Carlos Vereza no remake da novela Paraíso

    Nathalia Dill, Cassia Kiss e Mauro Mendonça no remake da novela Paraíso

    Eriberto Leão e o cantor Daniel no remake da novela Paraíso

    Meu Pedacinho de Chão (TV Globo, 2014), nova versão da novela de Benedito Ruy Barbosa, apresentada em 1970

    Johnny Massaro, Bruna Linzmeyer e Bruno Fagundes em Meu Pedacinho de Chão 

    Antônio Fagundes e Leticia Almeida em Meu Pedacinho de Chão 

    Juliana Paes eMeu Pedacinho de Chão 

    Irandhir Santos em Meu Pedacinho de Chão 

    Velho Chico (TV Globo, 2016), novela de Benedito Ruy Barbosa

    Camila Pitanga e Domingos Montagner em Velho Chico.  Na última semana de gravações o ator morreu afogado nas águas do Rio São Francisco, onde se passava a história

     Domingos Montagner e Camila Pitanga viveram o casal protagonista de Velho Chico

    Em Velho Chico, Antônio Fagundes, mais uma vez, marcou presença em novela do autor, como o Cel Saruê. Christiane Torloni foi sua mulher Iolanda 

    Irandhir Santos (Bento) e Dira Paes (Beatriz) foram outros destaques de Velho Chico

    Camila Pitanga (Tereza) e Gabriel Leone (Miguel) foram mãe e filho em Velho Chico

    Christiane Torloni  em Velho Chico

    Selma Egrei viveu um dos melhores papéis de Velho Chico, a centenária Dona Encarnação

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog TUDO ISSO É TV (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet 


    0 0



    Gilberto Tumscitz Braga nasceu no bairro de Vila Isabel na cidade do Rio de Janeiro no dia 1 de novembro de 1945. Filho de uma família de classe média alta, estudou em bons colégios e chegou a ganhar uma bolsa de estudos em Paris.

    Considerado um dos homens mais cultos e elegantes do Rio de Janeiro, começou a carreira como crítico de teatro do jornal O Globo, passando depois a escrever textos para o programa Caso Especial na TV Globo. Seus primeiros trabalhos foram A Dama das Camélias (1972) e As Praias Desertas (1973). Como autor de telenovelas, seu primeiro trabalho oficial foi Corrida do Ouro (1974), dividindo a autoria com Lauro César Muniz. 

    Entre 1975 e 1976, adaptou para a televisão as obras  Helena (Machado de Assis),  Senhora (José de Alencar), Dona Xepa (Pedro Bloch) e Escrava Isaura (Bernardo Guimarães). O bom resultado de suas adaptações lhe deu aval para dar continuidade à novela Bravo! Iniciada por sua madrinha Janete Clair. Em 1978, a partir de uma idéia de Janete intitulada A Prisioneira, desenvolveu Dancin´Days,um enorme sucesso.

    Os anos 1980 registraram grandes sucessos de Gilberto Braga: Água Viva (1980), Brilhante (1981), Louco Amor (1983), Corpo a Corpo (1984), Anos Dourados (1986) e Vale Tudo(1988), considerada uma das melhores novelas da televisão.  Nos anos 1990 escreveu Lua Cheia de Amor (1990), O Dono do Mundo (1991), Anos Rebeldes(1992), Pátria Minha (1994), Labirinto (1988) e Força de Um Desejo (1999). Todas foram obras campeãs de audiência, mas sem o impacto de Escrava Isaura, Dancin´Days e Vale Tudo.


    Nos anos 2000, já com forte concorrência dos canais pagos,  registram-se dois sucessos do autor: Celebridade(2003) e Paraíso Tropical (2007), indicada ao Emmy Internacional como melhor novela.  Os outros trabalhos foram Insensato Coração (2011) e Babilônia(2015), novela que estreou cercada de grande expectativa e que acabou se revelando uma fonte de problemas e frustrações para o autor.

    Ao longo de 45 anos de Rede Globo, Gilberto Braga é um dos mais bem sucedidos autores de telenovelas. Nas suas tramas imperam personagens da classe média carioca, assunto de seu total domínio e as sempre eficientes situações de crimes misteriosos com a clássica pergunta “Quem matou?” .  Aqui um pouco de sua trajetória. Boa viagem!


    Gilberto Braga

    Gilberto Braga

    Gilberto Braga

    Gilberto Braga

    Gilberto Braga

    Gilberto Braga

    Gilberto Braga com Cláudia Abreu e Malu Mader

    Gilberto Braga com Silvio de Abreu e Fernanda Montenebro

    Gilberto Braga autografando livro para Yoná Magalhães
    Gilberto Braga com Fernanda Montenegro e Nélson Rodrigues 

    Gilberto Braga com Lauro César Muniz

    Glória Menezes num dos primeiros trabalhos de Gilberto Braga na televisão: O Caso Especial A Dama das Camélias (TV Globo, 1972)

    Glória Menezes e Rogério Fróes no Caso Especial A Dama das Camélias 

    Glória Menezes e Cláudio Cavalcanti no Caso Especial A Dama das Camélias 

    Mário Lago, Ida Gomes, Cláudio Cavalcanti, Maria Cláudia  e Lícia Magna no Caso Especial A Dama das Camélias 

    Juca de Oliveira e Dina Sfat em As Praias Desertas (TV Globo, 1973), Caso Especial de Gilberto Braga

    Yoná Magalhães no Caso Especial As Praias Desertas

    Corrida do Ouro (TV Globo, 1974), Novela de Lauro César Muniz e Gilberto Braga

    Sandra Bréa, Maria Luiza Castelli, Aracy Balabanian, Nívea Maria, Renata Sorrah e Célia Biar  em Corrida do Ouro

     Renata Sorrah, Aracy Balabanian, Maria Luiza Castelli, Sandra Bréa e Célia Biar em Corrida do Ouro

     Aracy Balabanian e Altair Lima em Corrida do Ouro

    Yoná Magalhães e Walmor Chagas em Corrida do Ouro

    Helena (TV Globo, 1975), Novela de  Gilberto Braga, adaptada do romance homônimo de Machado de Assis

     Lúcia Alves em Helena

    Osmar Prado e Lúcia Alves em Helena

    Lúcia Alves e Osmar Prado em Helena

    Ida Gomes e Carlos Duval em Helena
    Senhora (TV Globo, 1975), Novela de  Gilberto Braga, adaptada do romance homônimo de José de Alencar

    Norma Blum foi Aurélia Camargo, a protagonista de Senhora

    Norma Blum e Cláudio Marzo em Senhora

    Lúcia Alves, Aurimar Rocha e Norma Blum em Senhora

    Norma Blum e Zilka Salaberry em Senhora

    Norma Blum e Paulo Ramos em Senhora

    Em 1976, Gilberto Braga foi incumbido de finalizar Bravo! (TV Globo, 1975/76), novela iniciada por Janete Clair. Com a proibição de Roque Santeiro pela censura Federal, a autora foi convocada para escrever, às pressas,  Pecado Capital

    Carlos Alberto foi o Maestro Clóvis di Lourenzo, o protagonista de Bravo!. Aracy Balabanian foi Cristina

    Aracy Balabanian e Neuza Amaral em Bravo!

     Neuza Amaral e Carlos Alberto em Bravo!

    Carlos Alberto em Bravo!

    Escrava Isaura (TV Globo, 1976), Novela de  Gilberto Braga, adaptada do romance homônimo de Bernardo Guimarães

    Rubens de Falco, Lucélia Santos e Edwin Luisi foram os protagonistas de Escrava Isaura, um sucesso mundial, que popularizou as novelas brasileiras no exterior  

    Roberto Pirillo e Lucélia Santos em Escrava Isaura

    Rubens de Falco e Norma Blum em Escrava Isaura

    Rubens de Falco e Lucélia Santos em Escrava Isaura

    Dona Xepa (TV Globo, 1977), Novela de  Gilberto Braga, adaptada da peça teatral homônima de Pedro Bloch

    Yara Cortes foi Dona Xepa, a feirante humilde que luta para dar uma vida melhor aos filhos Edson (Reinaldo Gonzaga, na foto) e Rosália (Nívea Maria) que adultos, sentem vergonha da mãe

    Rubens de Falco e Nívea Maria em Dona Xepa

    Dionísio Azevedo, Yara Cortes e Zeni Pereira numa cena de Dona Xepa

    Dancin´Days (TV Globo, 1978), foi a primeira novela de Gilberto Braga para o horário das 20 Horas. Um enorme sucesso.

    Sônia Braga e Antônio Fagundes em Dancin´Days 

    Sônia Braga e Antônio Fagundes em Dancin´Days

    Lidia Brondi, Reginaldo Farias e Joana Fomm em Dancin´Days

    Reginaldo Farias, Glória Pires e Sônia Braga em Dancin´Days

    Joana Fomm teve um dos melhores momentos de sua carreira em Dancin´Days

    Antônio Fagundes, Beatriz Segall, Cláudio Correa e Castro e Lauro Corona integraram o grande elenco de Dancin´Days

    Sônia Braga num grande momento de Dancin´Days

     Dancin´Days

    Água Viva (TV Globo, 1975), Novela de  Gilberto Braga

    Ângela Leal, Reginaldo Farias e Betty Faria viveram o principal triângulo amoroso de Água Viva

    Raul Cortez e  Reginaldo Farias viveram os irmãos Fragonard em Água Viva

     Betty Faria e Raul Cortez em Água Viva

     Betty Faria e Reginaldo Farias em Água Viva

     Beatriz Segall e Fábio Júnior em Água Viva

     Beatriz Segall e Tônia Carrero tiveram papéis de grande destaque em Água Viva

    Brilhante (TV Globo, 1981), Novela de  Gilberto Braga

     Tarcísio Meira e Vera Fischer em Brilhante

    Vera Fischer e José Wilker  em Brilhante

    Tarcísio Meira e Renée de Vielmond em Brilhante

    Mario Lago e Fernanda Montenegro em Brilhante

    Joana Fomm e Jardel Filho em Brilhante

    Dênis Carvalho e Fernanda Montenegro, destaques de Brilhante

    Dênis Carvalho e João Paulo Adour em Brilhante

    Louco Amor (TV Globo, 1983), Novela de  Gilberto Braga

    Carlos Alberto Riccelli, Bruna Lombardi e Fábio Júnior, o triângulo amoroso de Louco Amor

    Carlos Alberto Riccelli e Beth Goulart em Louco Amor

    José Lewgoy e Tereza Rachel, grandes atores em Louco Amor

    Carlos Alberto Riccelli e Tereza Rachel numa cena de Louco Amor

    Corpo a Corpo (TV Globo, 1984), Novela de  Gilberto Braga

    Débora Duarte e Antônio Fagundes protagonizaram Corpo a Corpo
    Glória Menezes e Hugo Carvana em Corpo a Corpo

    Zezé Mota e Marcos Paulo em Corpo a Corpo

    Hugo Carvana e Joana Fomm em Corpo a Corpo
     Marcos paulo, Malu Mader e Hugo Carvana em Corpo a Corpo

    Anos Dourados (TV Globo, 1986), minissérie de Gilberto Braga

    Felipe Camargo e Malu Mader encantaram o público em Anos Dourados

    Felipe Camargo e Malu Mader em Anos Dourados

    Felipe Camargo e Malu Mader em Anos Dourados

    Malu Mader, Yara Amaral e Isabella Garcia em Anos Dourados

    Vale Tudo (TV Globo, 1988), Novela de Gilberto Braga

    Cassio Gabus Mendes, Glória Pires e Carlos Alberto Riccelli em Vale Tudo

    Beatriz Segall e Nathalia Timberg, dois grandes nomes no elenco de Vale Tudo

    Antônio Fagundes em Vale Tudo

    Antônio Fagundes e Regina Duarte em Vale Tudo

    Carlos Alberto Riccelli e Beatriz Segall, o malandro e a megera que agitaram Vale Tudo
    Um dos melhores momentos de Renata Sorrah na televisão foi a Heleninha Roitman de Vale Tudo

    Adriano Reys e Beatriz Segall em Vale Tudo

    Odete Roitman (Beatriz Segall) e Maria de Fátima (Glória Pires) são duas personagens antológicas de Vale Tudo

    O Primo Basílio (TV Globo, 1988), minissérie baseada na obra homônima de Eça de Queiroz foi mais um trabalho primoroso de Gilberto Braga 

    Tony Ramos, Giulia Gam e Marcos Paulo protagonizaram O Primo Basílio

     Giulia Gam e Marcos Paulo em O Primo Basílio

    Marília Pêra viveu a rancorosa Juliana que chantageia a adúltera Luisa (Giulia Gam) em O Primo Basílio

     Giulia Gam em O Primo Basílio

    Marília Pêra teve um grande desempenho em O Primo Basílio

    Lua Cheia de Amor (TV Globo, 1990/91), foi uma nova versão de Dona Xepa, novela de Gilberto Braga apresentada em 1977. 

     Geraldo del Rey, Marília Pêra e Francisco Cuoco em Lua Cheia de Amor 

    O Dono do Mundo (TV Globo, 1991), novela de Gilberto Braga
    Malu Mader, Antônio Fagundes e Tadeu Aguiar em O Dono do Mundo

    Malu Mader e Antônio Fagundes em O Dono do Mundo
    Kadu Moliterno e Glória Pires em O Dono do Mundo

    Hugo Carvana e a grande Fernanda Montenegro em O Dono do Mundo. No papel de Olga Portela, uma cafetina de luxo, a atriz teve um excelente desempenho na novela.
    Letícia Sabatella e Ângelo Antônio em O Dono do Mundo

    Paulo Goulart e Ana Rosa em O Dono do Mundo

    Anos Rebeldes (TV Globo, 1992), foi outra brilhante minissérie escrita por Gilberto Braga

    Cassio Gabus Mendes e Malu Mader protagonizaram a minissérie Anos Rebeldes

    Thales Pan Chacon e Cláudia Abreu na minissérie Anos Rebeldes

    Betty lago, Cláudia Abreu e José Wilker na minissérie Anos Rebeldes

    Mila Moreira, Cassio Gabus Mendes, Bete Mendes e Malu Mader na minissérie Anos Rebeldes

    Gianfrancesco Guarnieri, Emilio de Melo e Marcello Serrado em Anos Rebeldes

    Pátria Minha (TV Globo, 1994), novela de Gilberto Braga

    Tarcísio Meira e Vera Fischer eram os protagonistas de Pátria Minha. Na reta final a atriz teve que ser afastada da trama devido a problemas pessoais, causando um grande problema ao autor 

    Nuno Leal Maia e Renata Sorrah em Pátria Minha. Ela é uma das atrizes preferidas de Gilberto Braga

    Marieta Severo e Eva Wilma, duas grandes atrizes no elenco de Pátria Minha

    Marieta Severo e Kadu Moliterno numa cena de Pátria Minha

    Labirinto (TV Globo, 1991), foi mais uma minissérie de Gilberto Braga

    Antônio Fagundes e Betty Faria no elenco da minissérie Labirinto

    Otavio Muller, Betty Faria, Paulo José e marcello Serrado na minissérie Labirinto

    Fábio Assunção e Buza Ferraz numa cena de Labirinto

    Força de Um Desejo (TV Globo, 1999), é considerada uma das melhores novelas de Gilberto Braga

    Fábio Assunção e Malu Mader protagonizaram Força de Um Desejo

    Fábio Assunção e Malu Mader em Força de Um Desejo

    Sônia Braga e Reginaldo Farias em Força de Um Desejo

    Nathalia Timberg vivendo a vilã Idalina, foi um dos maiores destaques de Força de Um Desejo

     Malu Mader, a bela estrela de Força de Um Desejo

    Celebridade (TV Globo, 2003), novela de Gilberto Braga

    Fábio Assunção e Malu Mader estiveram em muitas novelas de Gilberto Braga, a exemplo de Celebridade 

    Os sensuais vigaristas vividos por Márcio Garcia e Cláudia Abreu  foram dois dos maiores destaques de Celebridade 

    Cláudia Abreu e Malu Mader as estrelas de Celebridade 

    Paraíso Tropical (TV Globo, 2007), novela de Gilberto Braga, foi indicada ao Premio Emmy nos Estados Unidos como melhor novela

    Alessandra Negrini e Fábio Assunção estrelaram Paraíso Tropical

    Wagner Moura e Camila Pitanga  foram os maiores destaques de Paraíso Tropical
    Tony Ramos e Glória Pires em Paraíso Tropical

    Alessandra Negrini viveu personagens gêmeas em Paraíso Tropical

    Hugo Carvana e Yoná Magalhães viveram papéis de grande destaque em Paraíso Tropical. Ele era um grã fino falido e ela, uma exuberante ex vedete
    Wagner Moura, Vera Holtz e Bruno Gagliazzo em cena de Paraíso Tropical

    Yoná Magalhães numa cena de Paraíso Tropical. O autor prestava uma homenagem aos atores transformistas do Rio de Janeiro

    Insensato Coração (TV Globo, 2011), novela de Gilberto Braga

    Paola Oliveira e Eriberto Leão estrelaram Insensato Coração. Ela substituiu às pressas a atriz Ana Paula Arósio, que desistiu da novelas depois de várias cenas gravadas. Fernanda Machado também estava no elenco.   

     Eriberto Leão e Paola Oliveira eInsensato Coração

    Os vilões vividos por Gabriel Braga Nunes e Glória Pires foram os maiores destaques de Insensato Coração

    Antônio Fagundes e Camila Pitanga formaram um dos casais românticos de Insensato Coração

    Babilônia (TV Globo, 2015), novela de Gilberto Braga em parceria com Ricardo Linhares, teve muitos problemas, exigindo diversas mudanças no perfil das personagens

    Camila Pitanga foi a estrela de Babilônia 

    Babilônia contou com grandes atrizes em seu elenco. Adriana Esteves e Glória Pires foram duas delas.

    Nathalia Timberg e Fernanda Montenegro viveram papéis polêmicos em Babilônia




    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog TUDO ISSO É TV (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet 


    0 0


    Aguinaldo Silva nasceu na cidade de Carpina (PE) no dia  7 de junho de 1943. Segundo filho de uma família de classe média pernambucana, apaixonado por leitura, aos 14 anos já trabalhava e custeava seus estudos. Com seu primeiro salário, uma de suas compras foi uma máquina de escrever.

    Começou sua carreira como escritor,  ainda adolescente, quando trabalhava num cartório em Recife. Seu primeiro livro editado foi Redenção Para Job, pela Editora do Autor, de Fernando Sabino.  Como jornalista, seu primeiro trabalho se deu no jornal Última Hora Nordeste. Em 1964, com o fechamento da sucursal Nordeste, Aguinaldo Silva foi transferido para a sucursal de São Paulo, mas resolveu ficar no Rio de Janeiro. Sem emprego, morou de favor na casa de um amigo no bairro da Tijuca até ser contratado pelo Última Hora do Rio, onde ficou até 1968, quando pediu demissão e foi trabalhar como free-lancer no Jornal O Globo no segmento de reportagens policiais.

    Em 1978, junto com outros militantes, entre eles Adão Costa, Antônio Chrysóstomo, Darcy Penteado, Francisco Bittencourt, João Antônio Mascarenhas e João Silvério Trevisan,  fundou o pioneiro jornal semanal  Lampião da Esquina, direcionado ao público gay. O jornal circulou até Junho de 1981, quando deixou de ser editado.

    Na televisão estreou em 1979, usando sua experiência de repórter policial,  como redator do seriado Plantão de Polícia, estrelado por Hugo Carvana.  Também escreveu episódios do seriado Malu Mulher, protagonizado  por Regina Duarte e Obrigado Doutor, cujo astro era Francisco Cuoco.  No início dos anos 1980, em parceria com  Doc Comparato,  escreveu as minisséries Lampião e Maria Bonita (1982), Bandidos da Falange (1983) e Padre Cícero (1984).

    Sua estréia como autor de telenovelas se deu com Partido Alto (1984), em parceira com Glória Perez.  Em 1985 foi a vez de Roque Santeiro, novela iniciada por Dias Gomes em 1975 e proibida pela censura da época. O sucesso retumbante de Roque Santeiro o elevou ao status de campeão de audiência do horário nobre da TV Globo, com sucessos como O Outro (1987), Tieta (1989), Pedra Sobre Pedra (1992), Fera Ferida (1993), A Indomada (1997), Senhora do Destino (2004), Fina Estampa (2011) e Império (2014), premiada com o Emmy Internacional de melhor novela.

     Além das telenovelas Aguinaldo Silva escreveu minisséries, seriados, livros, roteiros de filmes e peças teatrais. É um dos mais bem sucedidos dramaturgos do Brasil. O garoto  de poucas posses, nascido no interior de Pernambuco, que chegou ao Rio e embrenhou-se pelas esquinas da Lapa, viveu as agruras do preconceito, desafiou a polícia da ditadura, foi preso e até ameaçado por um amante marginal de alcunha “Alemão”, militou sem medo e chegou ao topo. Hoje é um elegante e discreto senhor, com residências em Lisboa, Rio e São Paulo, mas sem acomodação e sem perder o espírito combativo e a predisposição para luta. Um vencedor, enfim.


    Aqui, um pouco de sua brilhante trajetória. 

    Aguinaldo Silva

    Aguinaldo Silva

    Aguinaldo Silva

    Aguinaldo Silva

    Aguinaldo Silva

    Aguinaldo Silva

    Aguinaldo Silva

    Aguinaldo Silva

    Aguinaldo Silva

    Aguinaldo Silva

    Aguinaldo Silva no Programa do Chacrinha

    Aguinaldo Silva com Suzana Vieira e Wolf Maya, atriz e diretor de Senhora do Destino

    Aguinaldo Silva com Wolf Maya, parceria de sucesso

    Aguinaldo Silva com Suzana Vieira

    Aguinaldo Silva com Viviane Araújo

    Aguinaldo Silva com Marília Pêra

    Aguinaldo Silva com Lília Cabral

    Aguinaldo Silva na abertura da novela Senhora do Destino

    Aguinaldo Silva com Alexandre Nero e Lília Cabral, os astros da novela Império 

    Aguinaldo Silva e o Lampião da Esquina

    o jornal Lampião da Esquina, foi um jornal pioneiro editado por Aguinaldo Silva entre os anos 1978 e 1981

    Aguinaldo Silva

    Aguinaldo Silva

    Aguinaldo Silva

    Plantão de Polícia (TV Globo, 1979) foi o primeiro seriado escrito por Aguinaldo Silva

     Hugo Carvana em Plantão de Polícia

    Hugo Carvana em Plantão de Polícia

    Aguinaldo Silva foi um dos redatores do seriado Obrigado Doutor (TV Globo, 1981) 
    Francisco Cuoco no seriado Obrigado Doutor

     Francisco Cuoco e Nicete Bruno no seriado Obrigado Doutor

    Lampião e Maria Bonita (TV Globo, 1982) minissérie de Aguinaldo Silva e Doc Comparato

    Tânia Alves e Nelson Xavier na minissérie Lampião e Maria Bonita

    Tânia Alves e Nelson Xavier na minissérie Lampião e Maria Bonita

    Jurema Penna, Sonia Borges, Roberto Bonfim e Regina Dourado na minissérie Lampião e Maria Bonita
    Bandidos da Falange (TV Globo, 1982) minissérie de Aguinaldo Silva e Doc Comparato

    José Mayer na minissérie Bandidos da Falange

    José Mayer na minissérie Bandidos da Falange

    José Wilker e Stênio Garcia na minissérie Bandidos da Falange

    Stênio Garcia e Gracindo Jr. na minissérie Bandidos da Falange

    Marieta Severo e Betty Faria na minissérie Bandidos da Falange
    Padre Cícero (TV Globo, 1984) minissérie de Aguinaldo Silva e Doc Comparato
     Stênio Garcia na minissérie Padre Cícero

    Carlos Vereza e Stênio Garcia na minissérie Padre Cícero

    Roberto Bonfim e Débora Duarte na minissérie Padre Cícero

    Rodrigo Santiago e Stênio Garcia na minissérie Padre Cícero

    Partido Alto (TV Globo, 1984) Novela de Aguinaldo Silva e Glória Perez

    José Mayer, Betty Faria e Raul Cortez em Partido Alto

    Célia Helena e Raul Cortez em Partido Alto

    Glória Pires, Cláudio Marzo e Elizabeth Savalla em Partido Alto

    Cláudio Marzo e Elizabeth Savalla em Partido Alto

    Herson Capri e Elizabeth Savalla em Partido Alto

    Lílian Lemmertz e Marilu Bueno em Partido Alto

    Tenda dos Milagres (TV Globo, 1985) minissérie de Aguinaldo Silva e Doc Comparato
    Nelson Xavier e Chica Xavier em Tenda dos Milagres

    Antônio Pompeu e Solange Couto  em Tenda dos Milagres

    Francisco Milani, Chica Xavier, Gracindo Júnior e Nelson Xavier em Tenda dos Milagres

    Milton Gonçalves em Tenda dos Milagres

    Mário Lago e Ivan Cândido em Tenda dos Milagres

    Roque Santeiro (TV Globo, 1985/86) novela de Dias Gomes e Aguinaldo Silva 

    Lima Duarte, Regina Duarte e José Wilker em Roque Santeiro

    Cassia Kiss, Othon Bastos e Yoná Magalhães em Roque Santeiro

    Lucinha Lins, Eloísa Mafalda e Ary Fontoura em Roque Santeiro

    Yoná Magalhães e Othon Bastos em Roque Santeiro

    Armando Bógus e Cassia Kiss em Roque Santeiro

    Lima Duarte e Regina Duarte em Roque Santeiro

    Yoná Magalhães com Cláudia Raia e Isis de Oliveira em Roque Santeiro

    Lima Duarte e Paulo Gracindo em Roque Santeiro

    Lima Duarte, Regina Duarte e José Wilker em Roque Santeiro


    O Outro (TV Globo, 1987) novela de Aguinaldo Silva

    Natália do Valle, Francisco Cuoco e Yoná Magalhães em O Outro

     Francisco Cuoco e Malu Mader em O Outro

     Francisco Cuoco e Yoná Magalhães em O Outro

    Eva Todor e José Lewgoy em O Outro

     Yoná Magalhães e Cláudia Abreu em O Outro

     Francisco Cuoco e Yoná Magalhães em O Outro

    Vale Tudo (TV Globo, 1985/86) novela de Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Basséres
    Carlos Alberto Riccelli e Glória Pires em Vale Tudo

    Renata Sorrah e Beatriz Segall em Vale Tudo

    Cassuio Gabus Mendes, Beatriz Segall, Nathalia Timberg e Renata Sorrah em Vale Tudo

    Tieta (TV Globo, 1989) novela de Aguinaldo Silva, adaptada do romance Tieta do Agreste de Jorge Amado

    Betty Faria em Tieta

    Betty Faria e Joana Fomm em Tieta

    Betty Faria com José Mayer em Tieta

    Arlete Salles, Rosane Goffman, Paulo Betti, Lília Cabral e Joana Fomm em Tieta

    Yoná Magalhães, Sebastião Vasconcellos, Joana Fomm e Paulo Betti em Tieta

    Joana Fomm, antológica em Tieta

    Joana Fomm e sua misteriosa caixa em Tieta

    Marcos Paulo e Yoná Magalhães em Tieta

    Betty Faria e José Mayer em Tieta

    Lília Cabral, Joana Fomm e Rosane Goffman, as beatas de Tieta

    Riacho Doce (TV Globo, 1990) minissérie de Aguinaldo Silva, baseada no romance homônimo de José Lins do Rego 

    Carlos Alberto Riccelli e Vera Fischer em Riacho Doce

    Carlos Alberto Riccelli e Luiza Tomé em Riacho Doce

    Fernanda Montenegro e Carlos Alberto Riccelli em Riacho Doce
    Herson Capri e Vera Fischer em Riacho Doce

    Pedra Sobre Pedra (TV Globo, 1992) novela de Aguinaldo Silva

    Lima Duarte e Renata Sorrah em Pedra Sobre Pedra

    Mauricio Mattar,  Renata Sorrah e Lima Duarte em Pedra Sobre Pedra

    Tânia Alves e Humberto Martins em Pedra Sobre Pedra

    Mauricio Mattar e Adriana Esteves em Pedra Sobre Pedra

    Nelson Xavier e Arlete Salles em Pedra Sobre Pedra

    Armando Bógus em Pedra Sobre Pedra

    cecil Thiré, lima Duarte, Eva Wilma e Mauricio Mattar em Pedra Sobre Pedra

    Eloísa Mafalda, Andreia Beltrão, Maurício Mattar, Eva Wilma e Lima Duarte numa cena de Pedra Sobre Pedra

    Humberto Martins, Luiza Tomé e Eduardo Moscovis, o núcleo dos ciganos de Pedra Sobre Pedra

    O prevertido retratista sedutor interpretado por Fábio Júnior foi um dos destaques de Pedra Sobre Pedra

    Tânia Alves, Lília Cabral, Pedro Paulo Rangel e Paula Burlamaqui em Pedra Sobre Pedra

    Fera Ferida (TV Globo, 1993) novela de Aguinaldo Silva, baseada em Nova Califórnia e outras obras de Lima Barreto

    Edson Celulari e Giulia Gam em Fera Ferida

    Suzana Vieira e Hugo Carvana em Fera Ferida. A exuberante Rubra Rosa foi um dos maiores sucessos da novela.

    José Wilker, Juca de Oliveira e Lima Duarte, trio de ouro em Fera Ferida

    Vera Holtz e Cassia Kiss, ótimas em Fera Ferida

    Suzana Vieira e José Wilker em Fera Ferida

    Arlete Salles e Cláudio Marzo em Fera Ferida

    Paulo Gorgulho (Ataliba Timbó) e Cassia Kiss (Ilka Tibiriçá) garantiram o humor em Fera Ferida. Os pratos afrodisíacos que a solteirona preparava para levantar o "moral" do jogador fizeram o maior sucesso

    A Indomada (TV Globo, 1997) novela de Aguinaldo Silva

    A tresloucada beata Maria Altiva interpretada com paixão por Eva Wilma foi a maior atração da novela  A Indomada

    José Mayer e Adriana Esteves em A Indomada

    Renata Sorrah foi Zenilda, a dona do bordel em A Indomada

    Betty Faria e Licurcio Spínola também brilharam em A Indomada. Ela era a austera Juiza Mirandinha e ele, seu apaixonado assessor Egídio

    Eva Wilma e Cláudio Marzo em A Indomada


      Aguinaldo Silva foi um dos criadores do seriado A Justiceira (TV Globo, 1997)

    Malu Mader foi a estrela do seriado A Justiceira

    Malu Mader, A Justiceira

    Suave Veneno (TV Globo, 1999) novela de Aguinaldo Silva
    Patricia França e José Wilker em Suave Veneno

    José Wilker e Glória Pires em Suave Veneno

    Letícia Spiller, Nívea Maria e Irene Ravache em Suave Veneno

    Sérgio Viotti, Letícia Spiller, Irene Ravache, Luana Piovani, Kadu Moliterno, José Wilker, Vanessa Lóes e Tarcísio Filho em Suave Veneno

      Irene Ravache, Luana Piovani, Letícia Spiller, Vanessa Lóes e José Wilker em Suave Veneno

    Porto dos Milagres (TV Globo, 2001) novela de Aguinaldo Silva, baseada nas obras Mar Morto e A Descoberta da América pelos Turcos, ambas de Jorge Amado

    Antônio Fagundes e Cassia Kiss tiveram os principais papéis de Porto dos Milagres

    Camila Pitanga, Marcos Palmeira e Flávia Alessandra em Porto dos Milagres

    Antônio Fagundes (Félix) e Luiza Tomé (Rosa Palmeirão) em Porto dos Milagres

    Julia Lemmertz como uma beata solteirona e Wladmir Britcha como um ingênuo sedutor encantaram o público em Porto dos Milagres

    Marcos Palmeira foi o principal galã de Porto dos Milagres

    A ambiciosa Adma interpretada por Cassia Kiss em Porto dos Milagres tem lugar garantido na galeria de vilãs criadas por Aguinaldo Silva

     Cassia Kiss aplicando seu inseparável veneno foi uma das maiores atrações de Porto dos Milagres

    Senhora do Destino (TV Globo, 2004) novela de Aguinaldo Silva

    José Wilker, Suzana Vieira e José Mayer foram os protagonistas de Senhora do Destino

     Suzana Vieira e José Mayer em Senhora do Destino

    Raul Cortez e Glória Menezes, o Barão e a Baronesa de Bonsucesso,  estiveram maravilhosos em Senhora do Destino

    A tresloucada vilã Nazaré Tedesco, em interpretação arrebatadora de Renata Sorrah em Senhora do Destino, está na galeria das maiores vilãs da história da televisão. 

    Renata Sorrah em Senhora do Destino

    Yoná Magalhães interpretou Flaviana, uma conservadora suburbana que não dá folga ao genro viúvo, Giovani Improtta (José Wilker) em Senhora do Destino. Bárbara Borges e Heitor Martinez eram os netos criados pela avó. 

    Suzana Vieira em Senhora do Destino foi a matriarca Maria do Carmo, uma viúva nordestina que se torna uma próspera comerciante na Baixada Fluminense. Eduardo Moscovis, Leonardo Vieira, Marcelo Anthony e Dado Dolabella eram os seus filhos homens. 

     Dado Dolabella, Leonardo Vieira, Carolina Dieckmann, Marcelo Anthony e  Eduardo Moscovis interpretaram os filhos da matriarca Maria do Carmo (Suzana Vieira) em Senhora do Destino. A filha lhe fora roubada ainda bebê pela tresloucada vilã Nazaré Tedesco (Renata Sorrah) 

    Wolf Maya e Ângela Vieira integravam a ala rica de Senhora do Destino. Ítalo Rossi era o mordomo

    Suzana Vieira, a Senhora do Destino

    Duas Caras (TV Globo, 2007) novela de Aguinaldo Silva


    Duas Caras reuniu o trio Renata Sorrah, José Wilker e Suzana Vieria em mais uma novela do autor

     Dalton Vigh e Marjorie Estiano foram os protagonistas de Duas Caras

    Antônio Fagundes e Lázaro Ramos foram dois destaques de Duas Caras

    Stênio Garcia e Marília Pêra, como um casal milionário, também brilharam em Duas Caras 

    Flávia Alessandra como uma sensual bailarina, foi uma das atrações de Duas Caras

    Cinquentinha (TV Globo, 2009) seriado de Aguinaldo Silva

    Marília Gabriela, Maria Padilha, Suzana Vieira e Betty Lago foram as estrelas do seriado Cinquentinha

    Marília Gabriela,  Betty Lago e Suzana Vieira no seriado Cinquentinha

    Fina Estampa (TV Globo, 2011) novela de Aguinaldo Silva

    Lília Cabral foi a mecânica Griselda, conhecida como "Pereirão", a protagonista de Fina Estampa

    Christiane Torloni, na foto com José Mayer,  foi a louquíssima vilã Teresa Cristina de Fina Estampa

      Griselda (Lília Cabral), objeto do desejo do português Guaracy (Paulo Rocha) em Fina Estampa

    o milionário Chefe de Cozinha René Velmont (Dalton Vigh) também se encantou com a humilde Griselda (Lília Cabral)  em Fina Estampa

    Renata Sorrah e Julio Rocha em Fina Estampa

    Dalton Vigh e Christiane Torloni em Fina Estampa

    Uma das maiores atrações de Fina Estampa foi o afetado Crô (Marcello Serrado), mordomo da fútil Teresa Cristina (Christiane Torloni)

    A maravilhosa Lília Cabral com Paulo Rocha em Fina Estampa

    Numa de suas vilanias a terrível Teresa Cristina (Christiane Torloni) mata o amante Ferdinand (Carlos Machado) eletrocutado numa banheira em Fina Estampa

    Wolff Maya, na foto com Julio Rocha, como sempre acontece nas novelas de Aguinaldo Silva, acumulou, com a costumeira competência, as funções de ator e diretor geral de Fina Estampa

    Lara Com Z (TV Globo, 2011) seriado de Aguinaldo Silva

    Suzana Vieira e Humberto Martins em Lara Com Z

    Eliane Giardini e Beatriz Segall em Lara Com Z

    Dalton Vigh e Thais de Campos em Lara Com Z

    Suzana Vieira e Guilherme Webber em Lara Com Z
    Império (TV Globo, 2014) novela de Aguinaldo Silva

    Lilia Cabral e Alexandre Nero em Império

    Lilia Cabral, esplêndida em Império

    Leandra Leal e Alexandre Nero em Império

    José Mayer e Paulo Betti interpretaram dois gays em Império

     Em Império, José Mayer, na foto com Suzy Rego,  viveu o drama de um homem casado que se apaixona por um jovem rapaz.

    José Mayer com Klebber Toledo, enfrentando preconceitos em Império

    A maravilhosa Betty Faria na versão para o cinema do romance Lili Carabina, de Aguinaldo Silva

    Betty Faria com Mário Gomes no filme Lili, a Estrela do Crime

    Capa do programa da peça As Tias, de Aguinaldo Silva.

    Edney Giovenazzi, Roberto Lopes, Suzana Vieria, Nildo Parente, Ítalo Rossi e Paulo César Pereio na peça As Tias

    Aguinaldo Silva e a equipe da peça As Tias
    Viviane Araújo brilhando na peça Lili Carabina, adaptação para o teatro feita por Julio Kadetti  do livro de Aguinaldo Silva
    Viviane Araújo  com os atores Cleber Colombo, Mateus Carriere, Alex Gruli  e Higor Vasconcellos na peça Lili Carabina

    Viviane Araújo  com os atores Higor Vasconcellos e Alex Gruli na peça Lili Carabina
    Doc Comparato foi o primeiro parceiro de Aguinaldo Silva na TV Globo. Juntos escreveram Plantão de Polícia (1979), Lampião e Maria Bonita (1982)Bandidos da Falange (1983), Padre Cícero (1984) e A Justiceira (1997).  


    Ricardo Linhares é o mais constante parceiro de Aguinaldo Silva nas novelas. Juntos escreveram O Outro (1987), Tieta (1989), Pedra Sobre Pedra (1992), Fera Ferida  (1993), A Indomada (1997) e Porto dos Milagres (2001). Ricardo Linhares também escreveu duas novelas a partir de argumentos criados por Aguinaldo Silva: O Campeão (TV Bandeirantes, 1996) e Meu Bem Querer (TV Globo, 1998) 

    Paulo Goulart e Marília Pêra em O Campeão (TV Bandeirantes, 1996), novela de Ricardo Linhares, com argumento de Aguinaldo Silva

    Alessandra Negrini e Mulilo Benício em Meu Bem Querer (TV Globo, 1998), novela de Ricardo Linhares, com argumento e Supervisão de Aguinaldo Silva

    Marília Pêra em Meu Bem Querer




    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog TUDO ISSO É TV (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), Gshow, sites diversos da Internet 


    0 0

    Manoel Carlos Gonçalves de Almeida nasceu no dia 14 de março de 1933 em São Paulo. É um dos maiores nomes da teledramaturgia brasileira, tendo começado  nos primórdios da televisão, nos idos anos 1950, quando adaptou e dirigiu dezenas de teleteatros para o Grande Teatro Tupi.  Também marcou época como diretor de programas nos anos 1960 (A Família Trapo, Esta Noite se Improvisa, O Fino da Bossa).

    A partir das década de 1970, contratado pela TV Globo, tornou-se um dos mais importantes autores de telenovelas. Suas tramas quase sempre focam a classe média carioca, mais especificamente o bairro do Leblon.   Também ficou famoso seu costume de batizar as heroínas de suas novelas com o nome de Helena.  Entre seus maiores sucessos estão as telenovelas A Sucessora, Baila Comigo, Sol de Verão, História de Amor, Por Amor, Laços de Família e Mulheres Apaixonadas.  Também são de sua autoria as minisséries Presença de Anita e Maysa - Quando Fala O Coração.



    No seu currículo Manoel Carlos também contabiliza textos escritos para emissoras estrangeiras: Brilho(Colômbia),  A Intrusa (Argentina/Peru),  Imaginate (Colômbia),  El Circulo (Colômbia),  Uma Família Como Qualquer Outra(Colômbia),  El Magnate (Estados Unidos/México),  Manuela(Argentina/Itália),  e Isabella: Una Mujer Enamorada(Argentina/Peru).


    Manoel Carlos

    Manoel Carlos

    Manoel Carlos e Lilia Cabral

    Manoel Carlos com Regina Duarteb e Ana Paula Arosio

    Manoel Carlos com Márcia Real no Grante Teatro Tupi

    Uma das primeiras novelas de Manoel Carlos foi Helena (TV Paulista, 1952), com Paulo Goulart

    Helena (TV Paulista, 1952), foi protagonizada pela atriz Vera Nunes

    Maria Maria (TV Globo, 1978), novela de Manoel Carlos, adaptada do romance Maria Dusá, de Lindolfo Rocha


    Cláudio Cavalcanti e Nívea Maria foram os astros de Maria Maria 


    Léa Garcia,  Nívea Maria e Isis Koskidoshi em Maria Maria

    Nívea Maria e Roberto Pirillo em Maria Maria

    Cláudio Cavalcanti e Nívea Maria em Maria Maria

    A Sucessora (TV Globo, 1978), novela de Manoel Carlos, adaptada do romance homônimo de Carolina Nabuco


    Suzana Vieira e Rubens de Falco protagonizaram A Sucessora

    Rubens de Falco e Suzana Vieira em A Sucessora

    Kadu Moliterno e Arlete Salles também foram destaques em A Sucessora

    Kadu Moliterno e Arlete Salles em A Sucessora

    Nathalia Timberg foi a antagonista de Suzana Vieira em A Sucessora