Are you the publisher? Claim or contact us about this channel


Embed this content in your HTML

Search

Report adult content:

click to rate:

Account: (login)

More Channels


Showcase


Channel Catalog


Channel Description:

Quando eu era menino, minha mãe me comprava uma série de revistas especializadas em astros da televisão. Muitas dessas revistas se perderam ao longo do tempo, muitas eu preservei e outras eu guardei apenas recortes. Nossos ídolos envelhecem, a gente envelhece, mas no nosso coração ficam guardadas as lembranças de um tempo que passou.Esse blog é minha forma de compartilhar com o mundo as imagens desse tempo. Boa viagem! Contato do blog: oriaselias@gmail.com

older | 1 | (Page 2) | 3 | 4 | .... | 11 | newer

    0 0

    Cacilda Becker Iáconis nasceu na cidade paulista Pirassununga em  6 de abril de 1921.  
    Filha de um imigrante italiano (Edmondo Iáconis) e uma professora (Alzira Becker), Cacilda era a mais velha entre as três filhas do casal que se separou quando ela era ainda uma menina. Sua irmã caçula era a legendária atriz Cleyde Yáconis.

    Depois de uma temporada atuando no Rio de Janeiro, Cacilda foi contratada pelo TBC (Teatro Brasileiro de Comédia), onde permaneceu por 10 anos, se firmando como grande estrela e protagonizando dezenas de espetáculos. No TBC, graças ao mecenato do italiano Franco Zampari,  ela teve a oportunidade de construir um repertório de personagens que talvez nenhuma outra atriz conseguiu na história do teatro brasileiro.  

    Quando abandonou o TBC, fundou junto com o então marido Walmor Chagas, a Cia “Teatro Cacilda Becker” e deu prosseguimento à sua fulgurante carreira. Em 30 anos de palco, Cacilda Becker esteve no elenco de 68 peças, atuou em dois filmes (Luz dos Seus Olhos, 1947 e Floradas na Serra, 1954) e uma telenovela (Ciúmes, TV Tupi, 1966). Na televisão foi também responsável pelo programa de teleteatros  “Teatro Cacilda Becker” na TV Bandeirantes.

    No dia 6 de Maio de 1969, no intervalo da peça Esperando Godot, onde atuava ao lado de Walmor Chagas, Cacilda Becker sofreu um derrame cerebral, entrando em coma e vindo a morrer 38 dias depois, no dia 14 de junho de 1969.

    Graças ao seu imenso talento, seu extraordinário repertório, sua personalidade aguerrida e um imenso respeito que gozava entre todos os colegas, público, críticos e políticos, Cacilda Becker se transformou, com sua morte prematura,  num dos maiores mitos do teatro brasileiro.

    Cacilda Becker

    Cacilda Becker na peça Mary Stuart

    Cacilda Becker
    Cacilda Becker

    Cacilda Becker

    Cacilda Becker

    Cacilda Becker

    Cacilda Becker

    Cacilda Becker

    Cacilda Becker

    Cacilda Becker

    Cacilda Becker na peça A Dama das Camélias

    Cacilda Becker

    Cacilda Becker no teleteatro Inês de Castro (TV Bandeirantes)

    Cacilda Becker na peça Mary Stuart

    Cacilda Becker na peça Em Moeda Corrente no País

    Cacilda Becker na peça Gata em Teto de Zinco Quente

    Cacilda Becker

    Cacilda Becker

    Cacilda Becker

    Cacilda Becker

    Cacilda Becker na peça Pega Fogo 

    Cacilda Becker 

    Cacilda Becker

    Cacilda Becker

    Cacilda Becker

    Cacilda Becker

    Cacilda Becker com Walmor Chagas

    Cacilda Becker com Fredi Kleemann, Walmor Chagas e Ziembinski ensaiando a peça Adorável Julia

    Cleyde Yáconis, Walmor Chagas, Cacilda Becker, Ziembinski, Kleber Macedo e Fredi Kleemann na inauguração da Cia "Teatro Cacilda Becker" (TCB) 


    Cacilda Becker e Ziembinski

    Cacilda Becker e Cleyde Yáconis

    Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade, Cacilda Becker e Cleyde Yáconis

    Cacilda Becker com Kleber Macedo, o presidente Juscelino Kubitschek e  Walmor Chagas

    Cacilda Becker com o diretor Flávio Rangel e Walmor Chagas

    Cacilda Becker com o jornalista Hilton Viana e Walmor Chagas

    Cacilda Becker com Cleyde Yáconis e Fredi Kleemann

    Cacilda Becker e Walmor Chagas

    Cacilda Becker e Walmor Chagas 

    Cacilda Becker e Walmor Chagas 

    Cacilda Becker e Walmor Chagas 

    Cacilda Becker e Walmor Chagas 

    Cacilda Becker - revista O Cruzeiro   

    Cacilda Becker - revista 7 Dias na TV 
    Cacilda Becker e Cleyde Yáconis - revista Manchete 

    Cacilda Becker - revista Bravo! 
    Cacilda Becker - revista Veja 

    Cacilda Becker - capa do livro "Cacilda Becker o Teatro e Suas Chamas" 
    Cacilda Becker - capa do livro "Cacilda Becker Fúria Santa" 

    Cacilda Becker - capa do livro "Uma Atriz: Cacilda Becker" 
    Cacilda Becker - capa do livro "Fredi Kleemann Foto em Cena" 

    Cacilda Becker - capa do livro "Cacilda Becker Uma Mulher Muito Importante" 

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, sites diversos da Internet 



    0 0

    Reynaldo Gianecchini com Vera Fischer em Laços de Família (TV Globo, 2000), novela de Manoel Carlos

    Reynaldo Gianecchini com Vera Fischer em Laços de Família 

    Reynaldo Gianecchini com Vera Fischer em Laços de Família 

    Reynaldo Gianecchini com Vera Fischer e Tony Ramos em Laços de Família 

    Reynaldo Gianecchini com Vera Fischer e Carolina Dieckman em Laços de Família 
    Reynaldo Gianecchini em Laços de Família 

    Reynaldo Gianecchini com Cláudia Gimenez em As Filhas da Mãe (TV Globo, 2001), novela de Silvio de Abreu

    Reynaldo Gianecchini com Cláudia Gimenez em As Filhas da Mãe 

    Reynaldo Gianecchini com Cláudia Gimenez em As Filhas da Mãe 

    Reynaldo Gianecchini com Cláudia Gimenez em As Filhas da Mãe 

    Reynaldo Gianecchini com Priscila Fantin em Esperança (TV Globo, 2002), novela de Benedito Ruy Barbosa

    Reynaldo Gianecchini com Priscila Fantin em Esperança 

    Reynaldo Gianecchini com Ana Paula Arósio em Esperança 

    Reynaldo Gianecchini com Raul Cortez e Priscila Fantin em Esperança 

    Reynaldo Gianecchini com Priscila Fantin em Esperança 


    Reynaldo Gianecchini com Thaís Araújo em Da Cor do Pecado (TV Globo, 2004), novela de João Emanuel Carneiro, um grande sucesso

    Reynaldo Gianecchini e Thaís Araújo esbanjaram simpatia em Da Cor do Pecado 

    Reynaldo Gianecchini com Giovana Antonelli em Da Cor do Pecado 

    Reynaldo Gianecchini com suas parceiras Thaís Araújo e Giovanna Antonelli em Da Cor do Pecado 

    Reynaldo Gianecchini com Thaís Araújo em Da Cor do Pecado. Na novela ele viveu dois papéis: os gêmeos Paco e Apolo, que cresceram separados sem saber da existência um do outro. 

    Reynaldo Gianecchini com Thaís Araújo em Da Cor do Pecado, dois atores em grande sintonia 

    Reynaldo Gianecchini com Thaís Araújo em Da Cor do Pecado 

    Reynaldo Gianecchini com Thaís Araújo em Da Cor do Pecado 

    Reynaldo Gianecchini com o menino Sergio Malheiros em Da Cor do Pecado 

    Reynaldo Gianecchini com sua família de Da Cor do Pecado 

    Reynaldo Gianecchini em Da Cor do Pecado 

    Caio Blat, Reynaldo Gianecchini, Rosi Campos, Cauã Raymond, Pedro Neschling e Leonardo Brício em Da Cor do Pecado. A Mamucha e seus pimpolhos foram um acontecimento. 

    Reynaldo Gianecchini com Thaís Araújo em Da Cor do Pecado 

    Reynaldo Gianecchini com Cláudia Raia em Belíssima (TV Globo, 2005), novela de Silvio de Abreu

    Reynaldo Gianecchini com Cláudia Raia em Belíssima

    Reynaldo Gianecchini com Cláudia Raia em Belíssima 

    Reynaldo Gianecchini com Cláudia Raia em Belíssima

    Reynaldo Gianecchini em Belíssima 

    Reynaldo Gianecchini com Cacá Carvalho numa cena de Belíssima 

    Reynaldo Gianecchini em Belíssima 

    Reynaldo Gianecchini com Cacá Carvalho em Belíssima

    Reynaldo Gianecchini com Cláudia Raia em Belíssima, parceria de sucesso

    Reynaldo Gianecchini com Cláudia Raia em Belíssima 

    Reynaldo Gianecchini com Cláudia Raia parceria bem sucedida Belíssima 

    Reynaldo Gianecchini com Giovana Antonelli em Sete Pecados (TV Globo, 2007), novela de Walcyr Carrasco. Mais um sucesso.

    Reynaldo Gianecchini com Priscila Fantin em Sete Pecados 

    Reynaldo Gianecchini com Priscila Fantin em Sete Pecados

    Reynaldo Gianecchini com Mariana Ximenes, a dupla de vigaristas de Passione (TV Globo, 2010), novela de Silvio de Abreu

    Reynaldo Gianecchini como Fred, o grande vilão de Passione

    Reynaldo Gianecchini com Paola Oliveira no filme Entre Lençóis

    Reynaldo Gianecchini com Glória Pires no remake de Guerra dos Sexos (TV Globo, 2012/2013), novela de Silvio de Abreu

    Reynaldo Gianecchini em Guerra dos Sexos

    Reynaldo Gianecchini com Mariana Ximenes em Guerra dos Sexos

    Reynaldo Gianecchini com o modelo Jesus Luz em Guerra dos Sexos

    Reynaldo Gianecchini com Mariana Ximenes em Guerra dos Sexos

    Reynaldo Gianecchini com Mariana Ximenes em Guerra dos Sexos

    Reynaldo Gianecchini, terceira parceria com Giovanna Antonelli em Em Família (TV Globo, 2014), novela de Manoel Carlos

    Reynaldo Gianecchini e Giovanna Antonelli numa cena de Em Família
    Reynaldo Gianecchini com Giovanna Antonelli em Em Família

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), site TV Globo, site Gshow, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet 



    0 0

    Uma postagem sobre Reynaldo Gianecchini sem suas fotos sensuais estaria incompleta. Então, reunimos aqui algumas de suas inúmeras aparições em fotos que exploram sua inegável beleza e charme. Embora não preponderantes, esses atributos contribuíram em muito para o seu sucesso como galã de televisão.

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini
    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini
    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini


    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini


    Reynaldo Gianecchini


    Reynaldo Gianecchini
    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Manchete (Bloch Editores), Revistas Tititi, Minha Novela, QuemBlog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), site Paparazzo, sites diversos da Internet 


    0 0

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista


    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista


    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista


    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista


    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista
    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista

    Reynaldo Gianecchini - capa de Revista
    Fotos - acervo de Orias Elias, Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), sites diversos da Internet 


    0 0

    Bonito, bem criado e bom caráter,  Reynaldo Gianecchini reunia os ingredientes básicos para se tornar mais um galã na constelação de astros da TV Globo. Depois de um tempo como modelo internacional, ingressou no teatro pelas mãos do legendário diretor José Celso Martinez Correia e logo após seu segundo trabalho no palco, com um empurrãozinho da então namorada, a prestigiada apresentadora Marília Gabriela, já era o protagonista de uma novela das oito, Laços de Família, de Manoel Carlos, atuando com atores tarimbados como Tony Ramos e Vera Fischer.

    Muita gente apostou no fracasso do jovem astro, acreditando ser mais um rostinho bonito de um único sucesso. Uma importante revista semanal ridicularizou o rapaz numa matéria de 2 páginas e uma jovem colega de elenco com quem contracenava, não lhe facilitou as coisas. Esforçado e disciplinado, o jovem galã não se deixou abater e seguiu em frente no seu intento, acabando por se tornar um dos mais festejados e queridos atores da televisão brasileira.

    Sempre no primeiro escalão da TV Globo, atuou em várias novelas do autor Sílvio de Abreu, de quem é um dos atores favoritos, protagonizou a novela Esperança, de Benedito Ruy Barbosa e emplacou um imenso sucesso com um duplo papel na novela Da Cor do Pecado, de João Emanuel Carneiro. Para quem tinha alguma dúvida de seu talento e carisma, a fatura estava liquidada.

    E eis que, no auge do sucesso o destino prega uma peça no festejado galã. Num exame de rotina, quando tratava de uma faringite, descobriu-se uma doença de extrema gravidade. Sem medo de se expor, com  serenidade, disciplina e o imprescindível apoio da família e amigos, enfrentou meses de tratamento e comoveu o Brasil numa luta destemida pela vida. A recompensa veio na forma de mais um final feliz, desta vez como protagonista de um drama real, o seu próprio drama, e sua imensa legião de admiradores voltou a ter o privilégio de vê-lo em novas tramas na tela da TV Globo.


    Depois de um longo período como galã de novelas, sereno frente à maledicência dos invejosos de plantão, que não perdoam a beleza e o sucesso alheio, Reynaldo Gianecchini não se furtou a novos desafios, achando por bem voltar ao teatro e ao cinema, atuando em diversos filmes e peças, diversificando assim, sua área de atuação. Em todos os veículos, assim como em sua aguerrida luta de vida, tem sido um sucesso. Ele merece!

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini


    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini com o modelo Paulo Zulu em foto para a revista Contigo!

    Reynaldo Gianecchini com a apresentadora Marilia Gabriela, mulher de grande importância na vida e na carreira do ator.
    Reynaldo Gianecchini com Cláudia Raia e Mariana Ximenes, parceiras nas novelas e grandes amigas na vida.

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Reynaldo Gianecchini

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores),  Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), revistas Minha Novela, Tititi, Capricho, sites diversos da Internet 


    0 0

    Felipe Carone nasceu em São Paulo no dia 25 de Julho de 1920. Começou na televisão em 1963, na TV Record, onde atuou em diversas telenovelas. Em 1968 foi para a TV Globo trabalhar na novela A Grande Mentira. Na emissora carioca atuou em 20 novelas, com personagens de destaque como o bicheiro Jovelino Sabonete de Bandeira 2 (1971),o italiano Giovani Petroni de Uma Rosa Com Amor(1972) e o vilão Gildo Graça de O Semideus (1973). Entre os anos 1975 e 1977 esteve na TV Tupi atuando na novela Um Dia o Amor e no seriado Senhoras e Senhores.  De volta à TV Globo, atuou em novelas até 1993. Além da televisão, Carone também marcou presença em muitos espetáculos de teatro e no cinema, atuando em diversas pornochanchadas nos anos 1970 como Lua de Mel e Amendoim(1971), Os Mansos (1972), O Roubo das Calcinhas  (1974), Uma Mulata Para Todos (1975) e A Árvore dos Sexos (1977). Felipe Carone morreu no Rio de Janeiro em 27 de Março de 1995, aos 74 anos de idade, vítima de  câncer no esôfago.

    Trabalhos na televisão:  Gente como a Gente (Seriado, TV Record, 1963); João Pão (novela, TV Record, 1964); Marcados pelo Amor (novela, TV Record, 1964); Renúncia (novela, TV Record, 1964); Em Busca da Felicidade (novela, TV Excelsior, 1965); Os Miseráveis (novela, TV Bandeirantes, 1967); Os Tigres (novela, TV Excelsior, 1968); A Grande Mentira (novela, TV Globo, 1968); A Cabana do Pai Tomás (novela, TV Globo, 1969); Pigmalião 70 (novela, TV Globo, 1970); A Próxima Atração (novela, TV Globo, 1970); O Cafona (novela, TV Globo, 1971); Bandeira 2 (novela, TV Globo, 1971); Uma Rosa com Amor (novela, TV Globo, 1972); O Semideus (novela, TV Globo, 1973); Cuca Legal (novela, TV Globo, 1975);  Um Dia, o Amor (novela,TV Tupi, 1975) ; O Pulo do Gato (novela, TV Globo, 1978); Pecado Rasgado (novela, TV Globo, 1978); Feijão Maravilha (novela, TV Globo, 1979); Chega Mais (novela, TV Globo, 1980); Plumas e Paetês (novela, TV Globo, 1980); Elas por Elas (novela, TV Globo, 1982); Voltei pra Você (novela, TV Globo, 1983);  Mario Fofoca (Seriado, TV Globo, 1983); De Quina pra Lua  (novela, TV Globo, 1985); Vida Nova (novela, TV Globo, 1968); Top Model (novela, TV Globo, 1989); Fronteiras do Desconhecido (Seriado, TV Manchete, 1990 -episódio: "Adelino, uma Vida de Amor") ; Mulheres de Areia (novela, TV Globo, 1993).



    Trabalhos no Cinema:  Macumba na Alta (1958);   Moral em Concordata (1959);  A Compadecida (1969);  Lua de Mel e Amendoim (1971);  Um Marido Sem…é Como Um Jardim Sem Flores (1972); Os Mansos (1972); Obsessão (1973); Banana Mecânica (1974); O Roubo das Calcinhas (1974); Uma Mulata para Todos (1975); E as Pílulas Falharam (1976); Guerra é Guerra (1976); A Árvore dos Sexos (1977); O Diabo na Cama (1988).

    Felipe Carone

    Felipe Carone

    Felipe Carone com Paulo Gracindo em Bandeira 2

    Felipe Carone em Bandeira 2

    Felipe Carone e Ilka Soares em Bandeira 2

    Felipe Carone com Paulo Goulart e Marília Pêra em Uma Rosa com Amor

    Felipe Carone

    Felipe Carone com a amiga Rosita Tomaz Lopes

    Felipe Carone com Cláudio Correia e Castro na TV Tupi

    Felipe Carone com os amigos Estelita Bell, Mário Lago e Vanda Lacerda

    Felipe Carone com Paulo Goulart

    Felipe Carone com Sérgio Cardoso em Pigmalião 70 (TV Globo, 1970), novela de Vicente Sesso

    Felipe Carone com Sérgio Cardoso em Pigmalião 70 

    Felipe Carone com Isabel Teresa, Juan de Bourbon, Renata Sorrah e Francisco Cuoco em O Cafona (TV Globo, 1971), novela de Bráulio Pedroso

    Felipe Carone com  Francisco Cuoco em O Cafona 

    Felipe Carone com Paulo Gracindo e Ilka Soares em Bandeira 2 (TV Globo, 1971), novela de Dias Gomes

    Felipe Carone com Ilka Soares em Bandeira 2 

    Felipe Carone com Plínio Marcos e Cláudia Barroso em Bandeira 2 

    Felipe Carone em Bandeira 2 

    Felipe Carone em Bandeira 2 
    Felipe Carone com Lélia Abramo e Marília Pêra em Uma Rosa com Amor (TV Globo, 1972), novela de Vicente Sesso

    Felipe Carone com Lélia Abramo e Marília Pêra em Uma Rosa com Amor 

    Felipe Carone com Lélia Abramo, Marília Pêra e Nívea Maria em Uma Rosa com Amor 

    Felipe Carone com Lélia Abramo  em Uma Rosa com Amor 

    Felipe Carone com Lélia Abramo, Ary Fontoura e Marília Pêra em Uma Rosa com Amor 

    Felipe Carone com Ary Fontoura e Lélia Abramo em Uma Rosa com Amor 

    Felipe Carone com Henriqueta Brieba  em Uma Rosa com Amor 

    Felipe Carone com Nélson Caruso em Uma Rosa com Amor 

    Felipe Carone com Lélia Abramo e Yoná Magalhães em Uma Rosa com Amor 
    Felipe Carone com  Yoná Magalhães em O Semideus (TV Globo, 1973), novela de Janete Clair

    Felipe Carone e  Yoná Magalhães foram pai e filha em O Semideus

    Felipe Carone com  Yoná Magalhães em O Semideus

    Felipe Carone com  Yoná Magalhães em O Semideus

    Felipe Carone com  Yoná Magalhães em O Semideus

    Felipe Carone com  Yoná Magalhães em O Semideus

    Felipe Carone com  Juca de Oliveira e Yoná Magalhães em O Semideus

    Felipe Carone com Ana Ariel, Tarcísio Meira e Yoná Magalhães em O Semideus

    Felipe Carone com  Juca de Oliveira em O Semideus

    Felipe Carone com  Paulo Padilha e Juca de Oliveira em O Semideus

    Felipe Carone com  Elizangela, Suely Franco e Miriam Pires em Cuca Legal (TV Globo, 1973), novela de Marcos Rey

    Felipe Carone com  Miriam Pires, Elizangela e Suely Franco em Cuca Legal 

    Felipe Carone com  Elizangela, Suely Franco e Miriam Pires em Cuca Legal 

    Felipe Carone com  Vera Nunes e Cleyde Yáconis em Um Dia, O Amor (TV Tupi, 1975), novela de Teixeira Filho

    Felipe Carone com  Jussara Freite no seriado Senhoras e Senhores (TV Tupi, 1976)

    Felipe Carone com  Marta Anderson, Alfredo Mutphy e Carlos Kroeber em O Pulo do Gato (TV Globo, 1978), novela de Bráulio Pedroso

    Felipe Carone com  Ivan Setta e Older Cazarré em Feijão Maravilha (TV Globo, 1979), novela de Bráulio Pedroso

    Felipe Carone com  Gracinda freire, Osmar Prado, Renata Sorrah e Heloísa Helena em Chega Mais  (TV Globo, 1980), novela de Carlos Eduardo Novaes

    Felipe Carone com  Sandra Bréa, Ana Ariel e Luis Gustavo em Elas por Elas (TV Globo, 1982), novela de  Cassiano Gabus Mendes
    Felipe Carone com  Ana Ariel em Mário Fofoca (TV Globo, 1983), seriado de Cassiano Gabus Mendes
    Felipe Carone com  Elizabeth Savalla e Agildo Ribeiro em De Quina Pra Lua (TV Globo, 1985), novela de Alcides Nogueira

    Felipe Carone com  Nádia Lippi numa fotonovela da revista Sétimo Céu 

    Felipe Carone com  Francisco di Fanco no filme Um Marido sem... É como Um Jardim sem Flores 

    Felipe Carone com  Maria Luiza Castelli na peça Jogo do Sexo

    Felipe Carone com  Maria Luiza Castelli no teatro

    Felipe Carone com  Denise Dumont e João Paulo Adour no teatro

    Felipe Carone com  Lúcio Mauro e Alcione Mazzeo na peça Bota Mulher Nesse Trem 

    Felipe Carone com  Vanda Lacerda, Anilza Leoni, Alcione Mazzeo e Lúcio Mauro na peça  De Camas Redondas, Casais Quadrados

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet 


    0 0

    José Dionísio Marcelo Salles Picchi nasceu em São Carlos(SP) em 08 de agosto de 1948. Estreou no teatro em 1970, com a peça O Cão Siamês, de Antonio Bivar, sob a direção de Antonio Abujamra. Também no teatro se destacou na peça Greta Garbo, Quem Diria, Acabou no Irajá,ao lado de Raul Cortez.
    No cinema, começou em 1971, no filme Noites de Iemanjá. Participou também dos filmes O Exorcismo Negro, Amor Voraz, Marília e Marina, Sábado Alucinante, Os Campeões, Eternamente Pagu, Uma Escola Atrapalhada, A República dos Anjos e A Morte da Mulata.

    Na televisão, começou em 1972 na TV Tupi de São Paulo na novela Camomila e Bem-me-Quer de Ivani Ribeiro. Depois de 4 novelas na emissora, transferiu-se para a TV Globo em 1975, estreando em Bravo!, novela de Janete Clair e Gilberto Braga. Permaneceu na emissora carioca por 10 anos como um de seus principais galãs, atuando em várias novelas de sucesso. Em 1985 foi contratado pela TV Manchete, onde fez 3 novelas (Mania de Querer, Dona Beija e Helena). Voltou à TV Globo em 1987 para mais uma série de novelas, com destaque para Mico Preto em 1990. Estranhamente, seus papéis na televisão foram ficando escassos a partir de então, evidenciando a dificuldade de alguns atores na transição da juventude para a maturidade quando o viço se esvai, as rugas aparecem e a perversa busca por novos rostos os relegam a um segundo plano na escalação de elencos. A partir de 2000 suas participações em televisão se resumiram a episódios em seriados e participações especiais em algumas poucas novelas.
    Entre seus trabalhos na televisão, estão registradas  ainda as novelas A Volta de Beto Rockfeller, Rosa dos Ventos, As Divinas e... Maravilhosas, O Casarão, À Sombra dos Laranjais, Sem Lenço Sem Documento, Feijão Maravilha, Coração Alado, Ciranda de Pedra, O Homem Proibido, Corpo a Corpo, Mandala, Que Rei Sou Eu?, Colônia Cecília, Vamp,De Corpo e Alma, 74.5 Uma Onda no Ar e Tocaia Grande. Também esteve presente nas minisséries O Sorriso do Lagarto e Teresa Batista.
    Marcelo Picchi foi casado nos anos 1970 com a atriz Elizabeth Savalla, com quem tem 4 filhos. Fora de televisão estudou filosofia e ainda posou para um ousado ensaio da revista gay G Magazine. Ainda que esteja hoje esquecido pelos escaladores de elenco das novelas, Marcelo Picchi permanece na memória do público como um de seus maiores galãs. 

    Marcelo Picchi

    Marcelo Picchi

    Marcelo Picchi

    Marcelo Picchi

    Marcelo Picchi

    Marcelo Picchi e Christiane Torloni em Sem Lenço, Sem Documento

    Marcelo Picchi e Christiane Torloni em Sem Lenço, Sem Documento

    Marcelo Picchi e Elizabeth Savalla

    Marcelo Picchi e Elizabeth Savalla

    Marcelo Picchi e Elizabeth Savalla

    Marcelo Picchi e Elizabeth Savalla

    Marcelo Picchi e Christiane Torloni em Sem Lenço, Sem Documento

    Marcelo Picchi e Elizabeth Savalla

    Marcelo Picchi na revista G Magazine

    Marcelo Picchi e Elizabeth Savalla

    Marcelo Picchi e Elizabeth Savalla

    Marcelo Picchi e Elizabeth Savalla

    Marcelo Picchi e Elizabeth Savalla

    Marcelo Picchi e Elizabeth Savalla
    Marcelo Picchi e Elizabeth Savalla

    Marcelo Picchi  
    Marcelo Picchi com Maitê Proença  
    Marcelo Picchi e Elizabeth Savalla
    Marcelo Picchi e Elizangela

    Marcelo Picchi com Tereza Teller e Gianfrancesco Guarnieri em Camomila e Bem-me-Quer (TV Tupi, 1972), novela de Ivani Ribeiro

    Marcelo Picchi (em pé ao centro) e o elenco de Camomila e Bem-me-Quer  
    Marcelo Picchi com Ênio Carvalho em As Divinas e... Maravilhosas (TV Tupi, 1974), novela de Vicente Sesso
    Marcelo Picchi com Bete Mendes em Bravo! (TV Globo, 1975), novela de Janete Clair e Gilberto Braga

    Marcelo Picchi com Carlos Eduardo Dolabella em Bravo! 

    Marcelo Picchi com Dolabella, Dayse Lúcidi e Grande Otelo em Bravo!  

    Marcelo Picchi com Dolabella e Grande Otelo em Bravo!  

    Marcelo Picchi com Christiane Torloni em Sem lenço, Sem Documento (TV Globo, 1976), novela de Mário Prata

    Marcelo Picchi com Ana Helena Berenger, Chistiane Torloni e Jayme Barcellos em Sem Lenço, Sem Documento  

    Marcelo Picchi com Catita Soares e Jayme Barcellos em Sem Lenço, Sem Documento

    Marcelo Picchi com  Chistiane Torloni  em Sem Lenço, Sem Documento

    Marcelo Picchi com Elizangela em Feijão Maravilha (TV Globo, 1979), novela de Bráulio Pedroso

    Marcelo Picchi com José Lewgoy, Clarice Piovesan e Maria Cláudia em Feijão Maravilha  

    Marcelo Picchi com Lucélia Santos em Ciranda de Pedra (TV Globo, 1981), novela de Teixeira Filho, baseada na obra homônima de Lygia Fagundes Telles
    Marcelo Picchi com Lucélia Santos e Roberto Pirillo em Ciranda de Pedra

    Marcelo Picchi com David Cardoso e Elizabeth Savalla em O Homem Proibido (TV Globo, 1982), novela de Teixeira Filho, baseada na obra de Nélson Rodrigues
    Marcelo Picchi com Lilia Cabral, Lauro Corona, Malu Mader e Hugo Carvana em Corpo a Corpo  (TV Globo, 1985), novela de Gilberto Braga

    Marcelo Picchi com Maitê Proença em Dona Beija (TV Manchete, 1986), novela de Wilson Aguiar Filho

    Marcelo Picchi com Nívea Maria em Mania de Querer (TV Manchete, 1986), novela de Sylvan Paezzo
    Marcelo Picchi com Marieta Severo e Daniel Filho em Que Rei Sou Eu? (TV Manchete, 1989), novela de Cassiano Gabus Mendes

    Marcelo Picchi com Miguel Falabella em Mico Preto (TV Globo, 1990), novela de Euclides Marinho

    Marcelo Picchi com Glória Pires e Miguel Falabella em Mico Preto 

    Marcelo Picchi com Miguel Falabella em Mico Preto 

    Marcelo Picchi com Alexandre Frota em O Sorriso do Lagarto (TV Globo, 1991), Minissérie de walter negrão baseada na obra de João Ubaldo Ribeiro

    Marcelo Picchi com Carlos Kroeber em O Sorriso do Lagarto 

    Marcelo Picchi com Vanessa Gerbelli em Prova de Amor (TV Record, 2005), novela de Tiago Santiago

    Marcelo Picchi com Yolanda Cardoso na peça O Cão Siamês

    Marcelo Picchi com Raul Cortez na peça Greta Garbo, Quem Diria, Acabou no Irajá

    Marcelo Picchi com Elizangela, Fancisco Milani e João Carlos Barroso no teatro

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet 




    0 0

    Fernando Antônio Alvim Eiras nasceu no Rio de Janeiro em  21 de fevereiro de 1957. Filho de pai radialista, músico e produtor de TV, desde cedo se mostrou inclinado pela vida artística. Seu projeto inicial era ser cantor, mas aos 14 anos, pelas mãos do legendário diretor e ator Ziembinski, foi levado para o curso do Teatro Tablado, de Maria Clara Machado, trocando os estúdios de gravadoras pelo palco. Definitivamente.  
    Sua estréia profissional foi na peça O Santo Inquérito, de Dias Gomes, em 1976, contracenando com Isabel Ribeiro, uma atriz referência na carreira do jovem ator. Sua experiência na peça lhe valeu um convite para participar da novela Sinal de Alerta, também de Dias Gomes. Em seguida fez um pequeno papel na peça A Morte do Caixeiro Viajante, contracenando com Paulo Autran, que seria seu pai no seu primeiro sucesso na televisão: a novela Pai Herói, de Janete Clair. Bonito e talentoso, parecia estar-lhe assegurada uma vaga no time de jovens galãs da TV Globo, mas os planos de Eiras eram outros, optando por caminhos menos tranqüilos em busca de um resultado pleno. Juntando-se ao fabuloso time do Teatro Ipanema, atuou ao lado de Rubens Corrêa em Jorge Dandin, peça de Molière, com direção de Ivan Albuquerque.  Do palco foi para as telas do cinema, atuando sob a direção de Julio Bressane, sempre defendendo complexos personagens. Entre suas premiadas atuações no cinema destacam-se os filmes O Mandarim (1995) e Os Incuráveis(2005).
    Outra parceria frutífera foi com o diretor de teatro Enrique Dias, tendo como apogeu a sua participação no premiado espetáculo In On It, ao lado de Emílio de Melo, que lhe rendeu o Prêmio Shell de melhor ator. Entre suas participações no teatro destacam-se ainda sua atuação em As Três Irmãs de Tchekov, Ensaio.Hamlet, Fausto (Goethe) e Noite Feliz, um grande sucesso de Euclydes Marinho, ao lado de Aracy Balabanian.
    Seu sonho de ser cantor, aliado à sua opção por ser ator foi totalmente compensado com o convite de Charles Moeller e Cláudio Botelho para integrar o elenco de outro grande sucesso, o musical A Noviça Rebelde. Outra experiência com musicais foiÓpera do Malandro, de Chico Buarque e mais recentemente O Grande Circo Místico
    Paralelamente à atividade no teatro e cinema, Fernando Eiras também participou de algumas novelas, como Água Viva, Xica da Silva, Dona Beija, Páginas da Vida e mais recentemente, Cordel Encantado e o remake de Guerra dos Sexos.

    Optando por caminhos complexos em sua trajetória, o menino que sonhava ser cantor, descartou a chance de ser galã,  bebeu na fonte de grandes mestres, não se furtou aos desafios e se transformou num dos mais respeitados e premiados atores contemporâneos. Nada fácil, mas um exemplo, enfim.  

    Fernando Eiras

    Fernando Eiras

    Fernando Eiras

    Fernando Eiras

    Fernando Eiras

    Fernando Eiras

    Fernando Eiras

    Fernando Eiras

    Fernando Eiras

    Fernando Eiras

    Fernando Eiras

    Fernando Eiras

    Fernando Eiras

    Fernando Eiras com Maria Fernanda em Pai Herói (TV Globo, 1979), novela de Janete Clair

    Fernando Eiras com Dionísio Azevedo em Pai Herói

    Fernando Eiras com Nadia Lippi em Pai Herói

    Em Pai Herói Fernando Eiras era um dos filhos de Paulo Autran. O outro era Jorge Fernando.

    Fernando Eiras com Tony Ramos em Pai Herói

    Fernando Eiras com Tony Ramos em Pai Herói  

    Fernando Eiras com Beatriz Segall em Água Viva (TV Globo, 1980), novela de Gilberto Braga

    Fernando Eiras em Água Viva
    Fernando Eiras com Beatriz Segall em Água Viva  

    Fernando Eiras em Água Viva  

    Fernando Eiras com Jorge Fernando numa fotonovela

    Fernando Eiras (à direita) e o elenco de Sétimo Sentido (TV Globo, 1982), novela de Janete Clair

    Fernando Eiras com Maitê Prença e Gracindo Jr. em A Marquesa de Santos (TV Manchete, 1984), minissérie de Wilson Aguiar Filho

    Fernando Eiras em Xica da Silva (TV Manchete, 1996/97), Novela de Walcyr Carrasco

    Fernando Eiras com Thiago Picchi em Páginas da Vida (TV Globo, 2006), Novela de Manoel Carlos

    Fernando Eiras com Thiago Picchi em Páginas da Vida  

    Fernando Eiras viveu o cantor Francisco Alves em Dalva e Herivelto (TV Globo, 2010), minissérie de Maria Adelaide Amaral

    Fernando Eiras em Dalva e Herivelto  

    Fernando Eiras em Dalva e Herivelto

    Fernando Eiras com Heloisa Perissé em Dercy de Verdade (TV Globo, 2012), minissérie de Maria Adelaide Amaral
    Fernando Eiras com Heloisa Perissé em Dercy de Verdade  

    Fernando Eiras com Heloisa Perissé em Dercy de Verdade  
     
    Fernando Eiras com Glória Pires e Drica Morais em Guerra dos Sexos (TV Globo, 2013), novela de Sílvio de Abreu

    Fernando Eiras com Edson Celulari e Drica Morais em Guerra dos Sexos  

    Fernando Eiras com o elenco da série em Sessão de Terapia (GNT, 2014)

    Fernando Eiras com Caetano Veloso no filme O Mandarim (1995)
    Fernando Eiras com Gilberto Gil no filme O Mandarim

    Fernando Eiras com Caetano Veloso no filme O Mandarim

    Fernando Eiras n- cartaz do filme O Mandarim

    Fernando Eiras - cartaz do filme Filme de Amor


    Fernando Eiras com Rubens Corrêa, Leyla Ribeiro e Nildo Parente na peça Jorge Dandan
    Fernando Eiras com Emílio de Melo na peça In on It (direção de Enrique Dias)
    Fernando Eiras com Emílio de Melo no anúncio da peça In on It

    Fernando Eiras com Emílio de Melo na peça In on It

    Fernando Eiras, Emílio de Melo e Enrique Dias, o trio premiado de In on It  
    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores),  Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet, site Banco de Conteudos Culturais (www.bcc.org.br) 


    0 0

    Maria Isabel de Lizandra em seu maior sucesso na televisão, a irascível Catarina de O Machão, ao lado de Antônio Fagundes

    Maria Isabel de Lizandra com Stênio Garcia e Yvan Mesquita em As Minas de Prata (TV Excélsior, 1966), novela de Ivani Ribeiro

    Maria Isabel de Lizandra com Geórgia Gomide em O Tempo e o Vento (TV Excélsior, 1967), novela de Teixeira Filho, adaptada da obra homônima de Érico Veríssimo

    Maria Isabel de Lizandra com Stênio Garcia, Edgar Franco, Regina Duarte e Yara Lins em O Terceiro Pecado (TV Excélsior, 1968), novela de Ivani Ribeiro

    Maria Isabel de Lizandra com  Yara Lins e Edgar Franco em O Terceiro Pecado 

    Maria Isabel de Lizandra com Nicete Bruno e Nathália Timberg em A Muralha (TV Excélsior, 1968/69), novela de Ivani Ribeiro, baseada na obra homônima de Dinah Silveira de Queiroz
    Maria Isabel de Lizandra com Mauro Mendonça e Fernanda Montenegro em A Muralha


    Maria Isabel de Lizandra com Gianfrancesco Guarnieri em Dez Vidas (TV Excélsior, 1969), novela de Ivani Ribeiro

    Maria Isabel de Lizandra com Joana Fomm em As Bruxas (TV Tupi, 1970), novela de Ivani Ribeiro

    Maria Isabel de Lizandra com Joana Fomm e Cláudio Correia e Castro em As Bruxas  


    Maria Isabel de Lizandra com Cláudia Melo, Suely Franco, Ana Rosa e Marilu Martinelli em  Hospital (TV Tupi, 1971), novela de Benjamin Cattan

    Maria Isabel de Lizandra com Jacques Lagoa, Marilu Martinelli e Henrique Martins em Hospital
    Maria Isabel de Lizandra com Nicete Bruno e Geraldo del Rey em Camomila e Bem-me-Quer (TV Tupi, 1972/73), novela de Ivani Ribeiro

    Maria Isabel de Lizandra (em pé ao centro) e o elenco de Camomila e Bem-me-Quer  

    Maria Isabel de Lizandra com Antônio Fagundes em Mulheres de Areia (TV Tupi, 1973), novela de Ivani Ribeiro

    Maria Isabel de Lizandra com Antônio Fagundes em Mulheres de Areia 

    Maria Isabel de Lizandra  em Mulheres de Areia 
    Maria Isabel de Lizandra com Antônio Fagundes em Mulheres de Areia 


    Maria Isabel de Lizandra com Antônio Fagundes em Mulheres de Areia 

    Cena de Mulheres de Areia. Em primeiro plano Carlos Zara, Eva Wilma, Maria Estela, Antônio Fagundes e Maria Isabel de Lizandra . 

    Maria Isabel de Lizandra com Carlos Zara, Eva Wilma, Cleyde Yáconis e Serafin Gonzales numa cena de Mulheres de Areia  

    Maria Isabel de Lizandra viveu a rebelde Malu em Mulheres de Areia. No elenco também estavam Ana Rosa, Gianfrancesco Guarnieri, Rolando Boldrin, Maria Estela, Cleyde Yáconis, Cláudio Correa e Castro e Márcia Maria. Um super time de atores!

    Maria Isabel de Lizandra com Antônio Fagundes, Carlos Zara e Eva Wilma em Mulheres de Areia  

    A rebelde Malu (Maria Isabel de Lizandra) desafia o pai, o poderoso Dr. Virgílio (Cláudio Correa e Castro), ao casar-se com caseiro da fazenda, o matuto Alaor (Antônio Fagundes) em Mulheres de Areia.

    Maria Isabel de Lizandra com Antônio Fagundes em Mulheres de Areia 

    Maria Isabel de Lizandra com Antônio Fagundes em Mulheres de Areia (

    Maria Isabel de Lizandra numa cena de Mulheres de Areia com Ana Rosa, Cleyde Yáconis e Gianfrancesco Guarnieri

    O sucesso de Maria Isabel de Lizandra e Antônio Fagundes em Mulheres de Areia levou à escalação da dupla  para protagonizar O Machão (TV Tupi, 1974/75), novela de Ivani Ribeiro, baseada na peça A Megera Domada, de Shakespeare, que já havia servido de base para uma novela anterior da autora para a TV Excélsior em 1965: A Indomável

    Maria Isabel de Lizandra e Antônio Fagundes em O Machão. Um grande sucesso. Inicialmente escrita por Ivani Ribeiro, a partir do capítulo 150 a novela passou a ser escrita por Sérgio Jockyman, chegando aos 371 capítulos. Só não continuou porque o protagonista Antônio Fagundes reivindicou maior salário e para não ter que corrigir o salário do elenco inteiro,a emissora resolveu finalizar a história. Um erro estratégico sem precedentes! Fagundes foi para a TV Globo e a novela seguinte não emplacou...

    Maria Isabel de Lizandra e Antônio Fagundes em O Machão, que contou também com Irene Ravache no elenco

    Maria Isabel de Lizandra e Antônio Fagundes em O Machão

     Tereza Sodré, Maria Isabel de Lizandra, Rogério Márcico, Marcos Plonka, Etty Frazer, Roberto Bolant e Lisa Vieira em O Machão

    Maria Isabel de Lizandra e Antônio Fagundes em O Machão. Liana Duval como a escrachada Lulu Abranches deu um show de interpretação. 

    Maria Isabel de Lizandra e Antônio Fagundes em O Machão

    Maria Isabel de Lizandra e Antônio Fagundes na cena final de O Machão

    Maria Isabel de Lizandra e Antônio Fagundes em O Machão. Impagáveis!

    Antônio Fagundes (Julião Petruchio), João José Pompeo (Cornélio Valente), Rogério Márcico (Batista), Irene Ravache (Dinorah) e Maria Isabel de Lizandra (Catarina) em O Machão

    Maria Isabel de Lizandra e Liana Duval em O Machão. Ótimas!

    Maria Isabel de Lizandra e Antônio Fagundes, excelentes em O Machão

    Maria Isabel de Lizandra e Antônio Fagundes em O Machão

    Maria Isabel de Lizandra com Cleide Ruth e Riva Nimitz em O Machão

    Maria Isabel de Lizandra com Ruthinéia de Morais em O Machão
    Maria Isabel de Lizandra com Sebastião Campos e Ricardo Petráglia em O Machão

    Maria Isabel de Lizandra e Antônio Fagundes no anúncio de O Machão


    Maria Isabel de Lizandra e Rodrigo Santiago em Vila do Arco (TV Tupi, 1975), novela de Sérgio Jockyman, baseada no conto O Alienista de Machado de Assis

    Laerte Morrone, Maria Isabel de Lizandra, Maria Eugênia di Domênico e Kito Junqueira em Vila do Arco 

    Rodrigo Santiago, Maria Isabel de Lizandra , Laerte Morrone e Liana Duval numa cena de Vila do Arco. Bom autor, boa história e bom elenco. Mas não emplacou

    Maria Isabel de Lizandra e Rodrigo Santiago em Vila do Arco 

    Maria Isabel de Lizandra com Ênio Gonçalves em Xeque Mate (TV Tupi, 1976), novela de Walter Negrão e Chico de Assis. Um grande sucesso!

    Maria Isabel de Lizandra com Ênio Gonçalves em Xeque Mate


    Maria Isabel de Lizandra com Ênio Gonçalves em Xeque Mate

    Maria Isabel de Lizandra com Ênio Gonçalves em Xeque Mate

    Lílian Lemmertz, a pérfida Nanci,  Ênio Gonçalves, o mocinho Aldo e Maria Isabel de Lizandra, a boa Lúcia: o principal triângulo amoroso de Xeque Mate

      Ênio Gonçalves, Maria Isabel de Lizandra, Lílian Lemmertz, Rodolfo Mayer e Elias Gleizer em Xeque Mate


    Maria Isabel de Lizandra com Eduardo Abbas, Cláudio Correa e Castro e Ênio Gonçalves em Xeque Mate

    Maria Isabel de Lizandra em Xeque Mate. No elenco também estavam Raul Cortez, Ednei Giovenazzi e Lia de Aguiar 

    Maria Isabel de Lizandra com Ednei Giovenazzi em Xeque Mate

    Maria Isabel de Lizandra com Rodolfo Mayer e Marcos Weimberg  em Xeque Mate

    Maria Isabel de Lizandra com  Ênio Gonçalves em Xeque Mate

    Maria Isabel de Lizandra, a mocinha, e Ednei Giovenazzi, o apaixonado vilão,  em Xeque Mate

    Maria Isabel de Lizandra interpretou Lúcia, a filha boa de Rodolfo Mayer em Xeque Mate

    Maria Isabel de Lizandra com Raul Cortez e Rodolfo Mayer numa cena de Xeque Mate

    Maria Isabel de Lizandra e Ênio Gonçalves em Xeque Mate

    Maria Isabel de Lizandra no anúncio de Xeque Mate

    Maria Isabel de Lizandra e Ednei Giovenazzi em Xeque Mate

    Éramos Seis (TV Tupi, 1977), brilhante adaptação de Silvio de Abreu e Rubens Ewald Filho do romance de Maria José Dupré foi um grande sucesso. Extraordinariamente protagonizada  por Nicete Bruno, a sofrida Dona Lola, teve no elenco Gianfrancesco Guarnieri como Júlio, o pai, e no papel dos filhos, Carlos Augusto Strazzer (Carlos), Carlos Alberto Riccelli (Alfredo), Ewerton de Castro (Julinho) e Maria Isabel de Lizandra (Isabel). 

    Nicete Bruno, Gianfrancesco Guarnieri, Carlos Augusto Strazzer, Carlos Alberto Riccelli,  Maria Isabel de Lizandra e Ewerton de Castro em Éramos Seis.

     Carlos Alberto Riccelli, Carlos Augusto Strazzer,  Maria Isabel de Lizandra e Ewerton de Castro em Éramos Seis.

     Maria Isabel de Lizandra em Éramos Seis.
    Gianfrancesco Guarnieri, Nicete Bruno, Ewerton de Castro, Maria Isabel de Lizandra,  Carlos Alberto Riccelli e Carlos Augusto Strazzer em Éramos Seis.

    Maria Isabel de Lizandra com Ênio Gonçalves em Salário Mínimo (TV Tupi, 1975), novela de Chico de Assis

    Maria Isabel de Lizandra com Raimundo de Souza e Ênio Gonçalves em Salário Mínimo

    Maria Isabel de Lizandra em O Tronco de Ipê (TV Cultura, 1982), teleconto de Edmara Barbosa, adaptada do romance homônimo de José de Alencar

    Maria Isabel de Lizandra com Carlos Augusto Strazzer em Champagne (TV Globo, 1983), novela de Cassiano Gabus Mendes

    Maria Isabel de Lizandra com Isabel Ribeiro e Carlos Augusto Strazzer em Champagne  

    Maria Isabel de Lizandra com Cláudio Marzo, Nicete Bruno e Miriam Pires em Tenda dos Milagres (TV Globo, 1985), minissérie de Aguinaldo Silva com colaboração de Regina Braga, adaptada do romance homônimo de Jorge Amado

    Maria Isabel de Lizandra com Jayme Periard em Dona Beija (TV Manchete, 1986), novela de Wilson Aguiar Filho

    Maria Isabel de Lizandra com Jayme Periard em Dona Beija 

    Maria Isabel de Lizandra com Jayme Periard em Pacto de Sangue (TV Globo, 1989), novela de Regina Braga e Sérgio Marques


     Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet





    0 0

    Maria Isabel de Lizandra com Ênio Gonçalves numa fotonovela da revista Sétimo Céu

    Maria Isabel de Lizandra com Elizabeth Hartman no filme A Noite da Fêmeas

    Maria Isabel de Lizandra com Elizabeth Hartman no filme A Noite da Fêmeas


    Maria Isabel de Lizandra com Cláudio Correa e Castro, Leonor Bruno, Pedro  Paulo Rangel e Suely Franco na peça Jorginho, o Machão

    Maria Isabel de Lizandra com Ênio Gonçalves na peça Elas Complicam Tudo


    Maria Isabel de Lizandra com Ruthinéia de Morais na peça Quarto de Empregada

    Maria Isabel de Lizandra com Ruthinéia de Morais na peça Quarto de Empregada

    Maria Isabel de Lizandra com Carlos Silveira e Raul Cortez na peça Amadeus

    Maria Isabel de Lizandra com Toni Correia numa fotonovela da revista Sétimo Céu
    Maria Isabel de Lizandra numa fotonovela da revista Sétimo Céu

    0 0


    Maria Isabel de Lizandra nasceu em São Paulo no dia  5 de junho de 1946.

    Ainda que conste em seu currículo algumas peças de teatro e filmes, sua carreira foi construída basicamente como atriz de telenovelas. A estréia foi em 1964 na novela Se o Mar Contasse, de Ivani Ribeiro para a TV Tupi, com direção de Geraldo Vietri.

    Em 1966 transferiu-se para a TV Excélsior, onde participou de várias novelas de sucesso como Anjo Marcado, As Minas de Prata, O Terceiro Pecado, Dez Vidas, A Menina do Veleiro Azul e A Muralha, todas escritas por Ivani Ribeiro. Também marcou presença em O Tempo e o Vento, outra superprodução da emissora, escrita por Teixeira Filho, tendo por base a obra de Érico Veríssimo.

    Com o fechamento da TV Excelsior, voltou para a TV Tupi, participando de novos sucessos escritos por Ivani Ribeiro: As Bruxas, Camomila e Bem-me-Quer, Mulheres de Areia e O Machão.  Na TV Tupi protagonizou ainda Vila do Arco, de Sérgio Jockymann,  Xeque-Mate, de Walter Negrão e interpretou a filha caçula de Éramos Seis, a premiada adaptação do romance homônimo de Maria José Dupré, escrita por Silvio de Abreu e Rubens Ewald Filho.

     No teatro participou de algumas montagens, entre elas os espetáculos Quarto de Empregada, O Duelo, Felisberto do Café, Elas Complicam Tudo, Adiós Geralda, Freud, Além da Alma e Amadeus.

    No cinema, estreou num filme clássico, Vereda da Salvação, dirigido por Anselmo Duarte em  1964 e nos anos 1970 participou de algumas pornochanchadas como As Mulheres Sempre Querem Mais (Roberto Mauro, 1974),  O Supermanso (Ary Fernandes, 1974), A Noite das Fêmeas (Fauzi Mansur, 1976) e Belas e Corrompidas (Fauzi Mansur, 1977).

     

     
    Com a derrocada da TV Tupi participou de algumas novelas da TV Globo (Champagne, Pacto de Sangue), TV Manchete (Dona Beija) e alguns telecontos para a TV Cultura. Estranhamente, a partir dos anos 1990 sua carreira declinou absurdamente. A outrora estrela de primeiro escalão foi completamente esquecida pelos escaladores de elenco das emissoras.


    A título de curiosidade, lembro-me de um episódio ocorrido comigo, ocasião em que ela foi muito antipática: Em  1977, recém chegado a São Paulo, num salão de cabeleireiro na Rua dos Ingleses, onde eu havia ido fazer uma entrega, encontrei a atriz. Menino ingênuo a cumprimentei. Ela, de óculos escuros, escondeu-se atrás de uma revista e não me respondeu, ficando eu completamente embaraçado. Muitos atores, no auge de popularidade, desprezam o público. A glória, no entanto, muitas vezes é efêmera... 

    Nessas postagens, que eu dedico ao incansável blogueiro Césio Gauderetto (Blog Revista Amiga e Novelas), fã da atriz, algumas imagens da carreira de uma das maiores estrelas da televisão brasileira.

    Maria Isabel de Lizandra

    Maria Isabel de Lizandra

    Maria Isabel de Lizandra

    Maria Isabel de Lizandra

    Maria Isabel de Lizandra

    Maria Isabel de Lizandra

    Maria Isabel de Lizandra

    Maria Isabel de Lizandra

    Maria Isabel de Lizandra

    Maria Isabel de Lizandra

    Maria Isabel de Lizandra

    Maria Isabel de Lizandra
    Maria Isabel de Lizandra

    Maria Isabel de Lizandra

    Maria Isabel de Lizandra

    Maria Isabel de Lizandra

    Maria Isabel de Lizandra

    Maria Isabel de Lizandra e Ênio Gonçalves em Xeque-Mate

    Maria Isabel de Lizandra e Ênio Gonçalves em Xeque-Mate
    Maria Isabel de Lizandra

    Maria Isabel de Lizandra em Éramos Seis

    Maria Isabel de Lizandra e Jayme Perriard em Dona Beija

    Maria Isabel de Lizandra e Carlos Augusto Strazzer em Champagne

    Maria Isabel de Lizandra e Carlos Augusto Strazzer em Champagne

    Maria Isabel de Lizandra 

    Maria Isabel de Lizandra num ensaio de moda com o galã Fausto Rocha

    Maria Isabel de Lizandra num ensaio de moda com o galã Fausto Rocha

    Maria Isabel de Lizandra num ensaio de moda com o galã Fausto Rocha

    Maria Isabel de Lizandra com Antônio Fagundes e Ruthinéia de Morais no lançamento da novela O Machão

    Maria Isabel de Lizandra com Lisa Vieira e Antônio Fagundes no lançamento da novela O Machão

    Maria Isabel de Lizandra com Raul Cortez, Laerte Morrone, Ednei Giovenazzi e Lílian Lemmertz no lançamento da novela Xeque-Mate

    Maria Isabel de Lizandra com o ator e diretor Henrique Martins nos anos 1970

    Maria Isabel de Lizandra e Antônio Fagundes, dupla de sucesso na novela Mulheres de Areia
    Maria Isabel de Lizandra e Antônio Fagundes, os protagonistas de O Machão

    Maria Isabel de Lizandra e Antônio Fagundes, novela O Machão

    Maria Isabel de Lizandra e Ênio Gonçalves, sucesso em Xeque Mate

    Maria Isabel de Lizandra e Ênio Gonçalves
    Maria Isabel de Lizandra (em pé, à esquerda) e o elenco de Mulheres de Areia

    Maria Isabel de Lizandra (sentada, de turbante, ao centro) e o elenco de Éramos Seis
    Maria Isabel de Lizandra (em pé, ao centro) e o elenco de Camomila e Bem-me-Quer

    Maria Isabel de Lizandra 

    Maria Isabel de Lizandra

    Maria Isabel de Lizandra

    Maria Isabel de Lizandra

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Noturno (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet 

    0 0

    Sônia Oiticica nasceu em Rio Largo, Alagoas, no dia 19 de dezembro de 1918.
    Filha de um intelectual, o professor José Oiticica, um anarquista militante, diversas vezes preso, Sônia fazia parte de uma numerosa família de oito irmãos, sete mulheres e um rapaz. Com alguns meses de vida veio com a família para o Rio de janeiro, onde passou a infância e adolescência.
    Sua estreia nos palcos de deu pelas mãos do legendário diretor Paschoal Carlos Magno, responsável também pela estréia de Sérgio Cardoso no teatro.  A peça de estréia foi   Romeu e Julieta, de Shakespeare, sob a direção de Itália Fausta, ao lado de Paulo Porto em 1938. Já na estréia se mostrou uma atriz ousada ao beijar de verdade, o galã  em cena, provocando um verdadeiro escândalo. A fama de atriz abusada foi confirmada por suas atuações nas peças do  dramaturgo Nélson Rodrigues, entre elas A Falecida (1953); Senhora dos Afogados (1954); Perdoa-me por me Traíres (1957); O Anti-Nelson Rodrigues (1974) e  Vestido de Noiva (1994).

    Em 1944 abandonou temporariamente a carreira artística para se casar com Charles Edward, um capitalista. Não deu certo e seis anos depois estava separada do marido, retornando aos palcos e ao rádio.

    Em 1953 formou uma companhia de teatro com Sérgio Cardoso, Leonardo Villar e Nydia Licia, a Cia. Dramática Nacional. Foi nessa companhia que fez A Falecida, sua primeira peça de Nelson Rodrigues. Em 1958 mudou-se para São Paulo e ao lado de Sérgio Cardoso atuou em O Soldado Tanaka. Nessa época integrou o elenco do Teatro Popular do Sesi, sob a direção de Osmar Rodrigues Cruz, nas peças Manhãs de Sol, A Moreninha e Intriga e Amor.

    Em 1966, estreou em telenovelas, em As Minas de Prata de Ivani Ribeiro, sob a direção de Walter Avancini, diretor de muitos de seus trabalhos futuros na televisão. Atuou ainda em Redenção(TV Excélsior, 1966), Legião dos Esquecidos (TV Excélsior, 1968), Ana(TV Record, 1968), Cavalo de Aço (TV Globo, 1973), Gabriela (TV Globo, 1975), Nina (TV Globo, 1977), Gaivotas (TV Tupi, 1979), Dulcinéia Vai à Guerra (TV Bandeirantes, 1980), Os Adolescentes (TV Bandeirantes, 1981), Ninho da Serpente (TV Bandeirantes, 1982) e O Campeão (TV Bandeirantes, 1982).

    Além de peças e novelas, Sônia Oiticica também teve passagem pelo cinema, participando de algumas produções como Pureza (Chianca de Garcia,1940), A Moreninha (Glauco Mirko, 1970), O Desconhecido (Ruy Santos, 1978), O Caso Cláudia (Miguel Borges, 1979) e Bonitinha, mas Ordinária (Braz Chediak, 1981).

    Na década de 1990 participou de diversas montagens do grupo TAPA, incluindo um retorno à obra de Nelson Rodrigues na peça Vestido de Noiva, sob a direção de Eduardo Tolentino de Araújo


    Sônia Oiticica morreu no dia 26 de fevereiro de 2007, aos 88 anos, de infecção generalizada após submeter-se a uma cirurgia devido a uma fratura no fêmur, resultado de uma queda em sua casa. 

    Aqui uma pequena homenagem a essa grande atriz brasileira, simpática e talentosa.

    Sônia Oiticica

    Sônia Oiticica

    Sônia Oiticica no filme A Moreninha

    Sônia Oiticica

    Sônia Oiticica
    Sônia Oiticica
    Sônia Oiticica
    Sônia Oiticica

    Sônia Oiticica com Eva Todor e Heloísa Helena na peça Feia (1940)

    Sônia Oiticica com Sérgio Cardoso e Leonardo Villar na peça A Falecida (1953)

    Sônia Oiticica com Sérgio Cardoso na peça A Falecida

    Sônia Oiticica com Nélson Rodrigues na peça Perdoa-me por me Traíres (1957)

    Sônia Oiticica com Paulo Porto na peça Romeu e Julieta (1938)

    Sônia Oiticica com Carlos Mello na peça Senhora dos Afogados (1954)

    Sônia Oiticica com Henriette Morineau na peça Jezebel (1952)

    Sônia Oiticica com Ana Lúcia Torre na peça Vestido de Noiva (1994)

    Sônia Oiticica com Denise Waimberg na peça Vestido de Noiva (1994)

    Sônia Oiticica com o elenco do Grupo Tapa em 1995

    Sônia Oiticica no filme Pureza (1940)

    Sônia Oiticica com David Cardoso e Sônia Braga no filme A Moreninha (1970)

    Sônia Oiticica com Luiz Linhares no filme O Desconhecido (1978)

    Sônia Oiticica em As Minas de Prata (TV Excélsior, 1966), novela de Ivani Ribeiro, direção de Walter Avancini

    Sônia Oiticica (em pé, de preto, à direita) em Ana (TV Record, 1968), novela de Sylvan Paezzo, direção de Fernando Torres

    Sônia Oiticica em Ana 

    Sônia Oiticica com Maria Estela e Walter Avancini em Ana 

    Sônia Oiticica com Ziembinki em Cavalo de Aço (TV Globo, 1973), novela de Walter Negrão, direção de Walter Avancini

    Sônia Oiticica em Cavalo de Aço
     
    Sônia Oiticica em Cavalo de Aço

    Sônia Oiticica com Cláudio Cavalcanti e Ziembinki em Cavalo de Aço

    Sônia Oiticica com Maria Luiza Castelli em Cavalo de Aço

    Sônia Oiticica com Nívea Maria em Gabriela (TV Globo, 1975), novela de Walter George Durst, direção de Walter Avancini

    Sônia Oiticica com José Wilker e Nívea Maria em Gabriela

    Sônia Oiticica em Gabriela

    Sônia Oiticica com Norma Suely e Regina Duarte em Nina (TV Globo, 1977), novela de Walter George Durst, direção de Walter Avancini

    Sônia Oiticica com Laura Cardoso, Yoná Magalhães e Berta Zemel em Gaivotas (TV Tupi, 1979), novela de Jorge Andrade, direção de Walter Avancini

    Sônia Oiticica com Hélio Souto em Dulcinéia Vai à Guerra (TV Bandeirantes, 1980/81), novela de Sérgio Jockyyman, direção de Henrique Martins

    Capa do livro  Sônia Oiticica Uma Atriz Rodriguiana, escrito por Maria Tereza Vargas para a Série Aplauso, editado pela Imprensa Oficial do Estado de São Paulo

    Sônia Oiticica com Orias Elias no evento Satirianas (2001)

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet,  site Banco de Conteudos Culturais (www.bcc.org.br) 


    0 0

    Jayme Guimarães Periard  nasceu em Niterói (RJ) em 14 de junho de 1961. Começou sua carreira no teatro amador, tendo se profissionalizado em 1983. Ficou conhecido através de um comercial de TV da marca de cigarros Free, passando a seguir a integrar o cast de galãs da TV Globo, onde atuou com destaque nas novelas Roda de Fogo (1986), Brega e Chique (1987), Pacto de Sangue (1989) e na minissérie O Portador (1991).  Na TV Manchete se destacou na novela Dona Beija (1986) e no SBT no remake de Sangue do Meu Sangue (1995).

    A partir da segunda metade dos anos 1990, embora continue atuando na televisão, suas participações têm sido em papéis de menor destaque.  Além de novelas, participou de vários programas e seriados de TV. Também marcou presença no cinema (Dama do Cine Shangai, Rádio Pirata) e no teatro, em dezenas de espetáculos. Há alguns anos criou, junto com sua irmã,  uma escola de artes e segue sua trajetória como em seu início: Free. 

    Trabalhos na TV: Salve Jorge  (TV Globo, 2012), Amor e Revolução  (SBT, 2011), Água na Boca (TV Bandeirantes,2008), Amigas e Rivais (SBT, 2007), Cidadão Brasileiro  (TV Record), Pequena Travessa (SBT, 2002), O Clone (TV Globo,2001), Vidas Cruzadas (TV Record, 2000), Malhação(TV Globo, 2000), Força de um Desejo(TV Globo, 1999), Mandacaru (TV Manchete, 1997), Xica da Silva (TV Manchete, 1996), Sangue do Meu Sangue(SBT, 1995), A Viagem (TV Globo, 1994), Sonho Meu (TV Globo, 1993), Despedida de Solteiro (TV Globo, 1992), Teresa Batista  (TV Globo, 1992), O Portador (TV Globo, 1991), Gente Fina (TV Globo, 1990), Cortina de Vidro (SBT, 1989), Pacto de Sangue (TV Globo, 1989), Mandala (TV Globo, 1987), Brega & Chique (TV Globo, 1987), Roda de Fogo (TV Globo, 1986), Dona Beija (TV Manchete, 1986), A Gata Comeu (TV Globo, 1985), Guerra dos Sexos (TV Globo, 1983)

    Trabalhos no Teatro: Jung - Sonhos de uma Vida,  Casa, Comida e Alma Lavada, Um Pijama para Seis, O Dia que Alfredo Virou a Mão, Só pra Divertir, Meus Prezados Canalhas, O Cio da Lua Cheia, O Olho Azul da Falecida, Alice Através do Espelho, A Farsa da Esposa Perfeita, O Diário de um Mago, Black-Out e  Sonho de uma Noite de Verão 

    Jayme Periard

    Jayme Periard

    Jayme Periard

    Jayme Periard

    Jayme Periard

    Jayme Periard

    Jayme Periard


    Jayme Periard

    Jayme Periard na novela Despedida de Solteiro

    Jayme Periard
    Jayme Periard

    Jayme Periard na novela Brega e Chique
    Jayme Periard

    Jayme Periard na novela Pacto de Sangue

    Jayme Periard com amigos no carnaval

    Jayme Periard com amigos no carnaval

    Jayme Periard no comercial dos Cigarros Free

    Jayme Periard com Maria Izabel de Lizandra na novela Dona Beija (TV Manchete, 1986), escrita por Wilson Aguiar Filho

    Jayme Periard com Maria Izabel de Lizandra na novela Dona Beija 
    Jayme Periard com Maria Izabel de Lizandra na novela Dona Beija
    Jayme Periard (em pé à esquerda) com o elenco de Dona Beija

    Jayme Periard com Maria Izabel de Lizandra na novela Dona Beija 

    Jayme Periard numa cena de Roda de Fogo (TV Globo, 1986), novela escrita por Lauro César Muniz

    Jayme Periard com Cláudia Magno em Roda de Fogo 

    Jayme Periard com Patrícia Pillar em Brega e Chique (TV Globo, 1987), novela de Cassiano Gabus Mendes

    Jayme Periard com Patrícia Pillar em Brega e Chique 

    Jayme Periard com Patrícia Pillar em Brega e Chique 

    Jayme Periard com Lúcia Veríssimo em Mandala (TV Globo, 1987), novela de Dias Gomes e Marcílio Morais

    Jayme Periard com Lúcia Veríssimo em Mandala 

    Jayme Periard com Maria Izabel de Lizandra em Pacto de Sangue (TV Globo, 1989), novela de Regina Braga e Sérgio Marques

    Jayme Periard com Juciléa Telles em Pacto de Sangue 

    Jayme Periard com Ana Annemberg em Cortina de Vidro (SBT, 1989), novela de Walcir Carrasco

    Jayme Periard na capa do LP de Gente Fina (TV Globo, 1990), novela de Luiz Carlos Fusco, Marilu Saldanha e Walter George Durst
    Jayme Periard em O Portador (TV Globo, 1991), minissérie de José Antônio de Souza e Aziz Bajur, direção de Herval Rossano 
    Jayme Periard com Bia Seidl em Sangue do Meu Sangue (SBT, 1995), novela de Vicente Sesso


    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet 


    0 0

    Sandra Barsotti nasceu no Rio de Janeiro em  25 de abril de 1951. Começou sua carreira como atriz de cinema, atuando em duas dezenas de pornochanchadas na década  de 1970 e também atuando em fotonovelas das revistas Sétimo Céu e Amiga da Editora Bloch. Sua extraordinária beleza logo chamou atenção do diretor Daniel Filho que a lançou na televisão. Inicialmente ela seria Linda Bastos,  uma estrela de cinema, na primeira versão de Roque Santeiro em 1975, mas com a proibição da novela pela censura da época, acabou estreando em Pecado Capital, no papel de Gigi, uma temperamental e ciumenta modelo. No ano seguinte ela teria sua maior oportunidade na televisão, a jovem Carolina na segunda fase de O Casarão. Ao final da novela, depois de um tumultuado final de romance com Daniel Filho, ela se transferiu para a TV Tupi para atuar em Um Sol Maior. A emissora, porém, enfrentava uma de suas costumeiras crises e a novela não fez sucesso.
    A partir daí atuou em produções da TV Bandeirantes e TV Manchete, mas sem repetir o sucesso de suas primeiras novelas na TV Globo, onde voltaria anos depois em papéis de pouco destaque. Também no cinema, suas atuações minguaram e ela dedicou-se a atuações em teatro, sempre em peças de apelo mais comercial.
    Apesar dos reveses, nunca abandonou a carreira e será sempre lembrada como a super gata das pornochanchadas e a doce Carolina de O Casarão.

    Sandra Barsotti

    Sandra Barsotti

    Sandra Barsotti

    Sandra Barsotti

    Sandra Barsotti

    Sandra Barsotti

    Sandra Barsotti

    Sandra Barsotti

    Sandra Barsotti

    Sandra Barsotti

    Sandra Barsotti

    Sandra Barsotti

    Sandra Barsotti

    Sandra Barsotti

    Sandra Barsotti

    Sandra Barsotti com Cláudio Cavalcanti no filme Como se Livrar do Saco

    Sandra Barsotti com Cláudio Cavalcanti no filme O Grande Gozador
    Sandra Barsotti com José Lewgoy no filme O Grande Gozador

    Sandra Barsotti com Cláudio Cavalcanti no filme Assim Nem a Cama Aguenta

    Sandra Barsotti no cartaz do filme Divórcio à Brasileira

    Sandra Barsotti com Agildo Ribeiro no filme Divórcio à Brasileira

    Sandra Barsotti com Marcos Paulo no filme Eu Transo, Ela Transa

    Sandra Barsotti com Marcos Paulo no filme Eu Transo, Ela Transa

    Sandra Barsotti com Ney Latorraca no filme Deixa Amorzinho, Deixa
    Sandra Barsotti  no filme Deixa Amorzinho, Deixa

    Cartaz do filme O Marido Virgem

    Sandra Barsotti  no filme A Difícil Vida Fácil

    Sandra Barsotti  no filme A Difícil Vida Fácil

    Sandra Barsotti  no filme A Difícil Vida Fácil

    Sandra Barsotti  com Hélio Souto no filme Um Casal de 3

    Sandra Barsotti  com Laura Cardoso no filme Um Casal de 3

    Sandra Barsotti  com Raul Cortez no filme Os Primeiros Momentos

    Sandra Barsotti com Toni Tornado no filme Tenda dos Prazeres

    Sandra Barsotti com Toni Tornado no filme Tenda dos Prazeres

    Sandra Barsotti no filme Tenda dos Prazeres

    Sandra Barsotti no filme O Marido Virgem

    Sandra Barsotti com José Wilker no filme Confissões de Uma Viúva Moça

    Sandra Barsotti com José Wilker no filme Confissões de Uma Viúva Moça

    Sandra Barsotti com José Wilker no filme Confissões de Uma Viúva Moça

    Sandra Barsotti com José Wilker no filme Confissões de Uma Viúva Moça

    Sandra Barsotti com Myriam Pérsia no filme Confissões de Uma Viúva Moça

    Sandra Barsotti com Myriam Pérsia no filme Confissões de Uma Viúva Moça

    Sandra Barsotti com Myriam Pérsia no filme Confissões de Uma Viúva Moça

    Sandra Barsotti com José Wilker no filme Confissões de Uma Viúva Moça

    Sandra Barsotti com José Wilker no filme Confissões de Uma Viúva Moça
    Sandra Barsotti com José Wilker no filme Confissões de Uma Viúva Moça

    Sandra Barsotti com Carlos Eduardo Dolabella numa fotonovela da revista Sétimo Céu

    Sandra Barsotti com Navarro Puppin numa fotonovela da revista Sétimo Céu

    Sandra Barsotti com Navarro Puppin

    Sandra Barsotti com Navarro Puppin

    Sandra Barsotti com Navarro Puppin

    Sandra Barsotti com Navarro Puppin

    Sandra Barsotti com Navarro Puppin

    Sandra Barsotti com Navarro Puppin

    Sandra Barsotti com Ângelo Antônio e Pedro Aguinaga numa fotonovela da revista Sétimo Céu

    Sandra Barsotti com Gracindo Júnior numa fotonovela da revista Sétimo Céu

    Sandra Barsotti com Nélson Caruso numa fotonovela da revista Sétimo Céu
    Sandra Barsotti com Eloísa mafalda, Paulo Ramos, Leila Cravo e Navarro Puppin numa fotonovela da revista Sétimo Céu

    Sandra Barsotti numa fotonovela da revista Amiga
    Sandra Barsotti com Francisco di Franco numa fotonovela da revista Amiga

    Sandra Barsotti com Toni Ferreira numa fotonovela da revista Sétimo Céu

    Sandra Barsotti com Toni Ferreira numa fotonovela da revista Sétimo Céu
    Sandra Barsotti com Paulo Ramos numa fotonovela da revista Amiga

    Sandra Barsotti com Lima Duarte e Luiz Armando Queiroz na versão censurada de Roque Santeiro (TV Globo, 1975), novela de Dias Gomes
    Sandra Barsotti com Luiz Armando Queiroz na versão censurada de Roque Santeiro

    Sandra Barsotti com  Luiz Armando Queiroz na versão censurada de Roque Santeiro 

    Sandra Barsotti com Débora Duarte e Luiz Armando Queiroz na versão censurada de Roque Santeiro 

    Sandra Barsotti com Dênis Carvalho e Débora Duarte em Pecado Capital (TV Globo, 1975/76), novela de Janete Clair

    Sandra Barsotti com Dênis Carvalho em Pecado Capital 

    Sandra Barsotti com André Valli em Pecado Capital 

    Sandra Barsotti com Nestor de Montemar em Pecado Capital 

    Sandra Barsotti com Emiliano Queiroz em Pecado Capital 

    Sandra Barsotti com Gracindo Júnior em O Casarão (TV Globo, 1976), novela de Lauro César Muniz

    Sandra Barsotti com Gracindo Júnior em O Casarão 

    Sandra Barsotti com Gracindo Júnior em O Casarão 

    Sandra Barsotti com Gracindo Júnior em O Casarão 

    Sandra Barsotti  em O Casarão 

    Sandra Barsotti com Gracindo Júnior em O Casarão 

    Sandra Barsotti com Dênis Carvalho em O Casarão 

    Sandra Barsotti em O Casarão

    Sandra Barsotti com Dênis Carvalho em O Casarão

    Sandra Barsotti com Dênis Carvalho em O Casarão

    Sandra Barsotti com Gracindo Júnior em O Casarão 

    Durante as gravações de O Casarão Sandra Barsotti sofreu um acidente 

    Sandra Barsotti com Gracindo Júnior em O Casarão 

    Sandra Barsotti com Dênis Carvalho em O Casarão

    Sandra Barsotti com Míriam Pires e Analu Prestes em O Casarão

    Sandra Barsotti com Miriam Pires, Edson França, Dênis Carvalho e laura Soveral em O Casarão

    Sandra Barsotti com Dênis Carvalho em O Casarão

    Sandra Barsotti com Dênis Carvalho em O Casarão

    Sandra Barsotti com Dênis Carvalho em O Casarão

    Sandra Barsotti com Dênis Carvalho em O Casarão

    Sandra Barsotti com Dênis Carvalho em O Casarão

    Sandra Barsotti com Dênis Carvalho em O Casarão
    Sandra Barsotti em Um Sol Maior (TV Tupi, 1977), novela de Teixeira Filho
    Sandra Barsotti com Zanoni Ferrite em Um Sol Maior 

    Sandra Barsotti com Bruna Lombardi, Cleyde Yáconis e Yara Lins em Um Homem Muito Especial (TV Bandeirantes, 1980), novela de Rubens Ewald Filho

    Sandra Barsotti com Bruna Lombardi e Cleyde Yáconis em Um Homem Muito Especial 

    Sandra Barsotti com André Bankoff, Luis Melo e Elizabeth Savalla em Morde e Assopra (TV Globo, 2011), novela de Walcyr Carrasco

    Sandra Barsotti com Luiz Armando Queiroz na década de 1970


    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet, site Banco de Conteudos Culturais (www.bcc.org.br) 

    0 0

    Sebastião Campos  nasceu em São Paulo, no dia  2 de janeiro de 1934. Começou sua carreira em 1959, no filme Moral em Concordata. Na televisão estreou em  1965, atuando em todas as emissoras paulistas.
    Na TV Tupi, atuou nas novelas: A Cor de Sua Pele (1965); Um Rosto Perdido (1966); A Ré Misteriosa (1966), Ciúme (1966), Vitória Bonelli (1972), O Sheik de Ipanema (1975),  Xeque-Mate (1976), Roda de Fogo (1978)
    Na TV Excelsior atuou em A Menina do Veleiro Azul (1969) e Mais Forte que o Ódio (1970).
    Na TV Record esteve em Tilim (1970/71), Pingo de Gente (1971), Sol Amarelo (1972), O Príncipe e o Mendigo,  Os Fidalgos da Casa Mourisca (1972), Quero Viver (1972/73) e Vendaval (1973)
    Na TV Bandeirantes, participou das novelas O Todo Poderoso (1979/80) eMeu Pé de Laranja Lima (1981)
    Na TV Cultura, fez os telecontos Partidas Dobradas (1981), Pic-nic Classe C (1982) e  O Tronco do Ipê (1982).
    No SBT, atuou nas novelas Anjo Maldito (1983). Uma Esperança no Ar (1985),  Razão de Viver (1996) e Marisol (2002)  
    Nos anos 1970 marcou presença em diversas produções do cinema como Clube dos Infiéis; O Signo de Escorpião; O Sexualista, entre outros.

    No teatro, participou de dezenas de espetáculos, tendo se destacado na Cia Maria Della Costa em sucessos como Gimba, Armadilha Para um Homem Só e O Marido Vai à Caça.

    Sebastião Campos

    Sebastião Campos

    Sebastião Campos

    Sebastião Campos

    Sebastião Campos

    Sebastião Campos

    Sebastião Campos
    Sebastião Campos


    Sebastião Campos com Maria Della Costa na peça Gimba

    Sebastião Campos com Maria Della Costa na peça Gimba
    Sebastião Campos com Maria Della Costa na peça Gimba

    Sebastião Campos com Maria Della Costa na peça Armadilha Para Um Homem Só

    Sebastião Campos com Maria Della Costa na peça Armadilha Para Um Homem Só
    Sebastião Campos com Maria Della Costa na peça O Marido Vai à Caça

    Sebastião Campos com Maria Della Costa na peça O Marido Vai à Caça

    Sebastião Campos com Maria Della Costa na peça O Marido Vai à Caça

    Sebastião Campos com Maria Della Costa na peça O Marido Vai à Caça

    Sebastião Campos com Maria Della Costa na peça O Marido Vai à Caça
    Sebastião Campos com Edgar Franco na peça Alegro Desbun, de Oduvaldo Viana Filho

    Sebastião Campos com Nathália Timberg na peça Alpha-Beta
    Sebastião Campos com Maria Della Costa no filme Moral em Concordata
    Sebastião Campos com Agildo Ribeiro e Maracy Melo no filme O Sexualista, direção de Egydio Eccio

    Sebastião Campos com Hélio Souto no filme Viúvas Precisam de Consolo
    Sebastião Campos com Henrique César e Marcos Caruso no filme Viúvas Precisam de Consolo
    Sebastião Campos com Rodolfo Mayer, Kate Lyra, Maria Della Costa, Carlos Lyra e Paulo Hesse no filme O Signo de Escorpião

    Sebastião Campos com Maria Della Costa no filme O Signo de Escorpião

    Sebastião Campos com Rodolfo Mayer no filme O Signo de Escorpião

    Sebastião Campos com o elenco de A Grande Viagem (TV Excélsior, 1966), novela de Ivani Ribeiro
    Sebastião Campos com Cacilda Becker Ciúme (TV Tupi, 1966), novela de Talma de Oliveira

    Sebastião Campos com o elenco de Mais Forte Que o Ódio (TV Excélsior, 1970), novela de Marcos Rey

    Sebastião Campos com Rodolfo Mayer em Mais Forte Que o Ódio 

    Sebastião Campos em Mais Forte Que o Ódio 

    Sebastião Campos com Raul Cotez, participações especiais em Vitória Bonelli (TV Tupi, 1972), novela de Geraldo Vietri

    Sebastião Campos com Lílian Lemmertz, Rolando Boldrin e Nathália Timberg em Quero Viver (TV Record, 1972/73), novela de Amaral Gurgel


    Sebastião Campos com Rodolfo Mayer em Vendaval (TV Record, 1973), novela de Ody Fraga

    Sebastião Campos com Maria Isabel de Lizandra e Ricardo Petráglia em O Machão (TV Tupi, 1974/75), novela de Sérgio Jockymann

    Sebastião Campos com o elenco de O Sheik de Ipanema (TV Tupi, 1975), novela de Sérgio Jockymann

    Sebastião Campos com Célia Helena, Rogério Márcico, Geraldo del Rey, Sílvio Francisco e Laerte Morrone em Vila do Arco (TV Tupi, 1976), novela de Sérgio Jockymann, baseada na obra O Alienista, de Machado de Assis

    Sebastião Campos com Maria Fernanda e Ivete Bonfá em O Tronco de Ipê (TV Cultura, 1982), teleconto de Edmara Barbosa, baseada na obra homônima de José de Alencar

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet, site Banco de Conteudos Culturais (www.bcc.org.br), site Maurice Vaneau (fotos O Marido vai á Caça


    0 0

    Rildo dos Santos Gonçalves  nasceu em Recife (PE) no dia  4 de abril de 1930. Seu interesse pela vida artística teve início na adolescência, cantando em igrejas e rádios.  No início dos anos 1950 mudou-se para o Rio, onde ingressou no Teatro do Estudante, grupo de teatro dirigido por Pachoal Carlos Magno. Do teatro passou a atuar em filmes e teleteatros, passando depois para as novelas como contratado da TV Tupi, onde participou de várias produções em quase duas décadas.  No final dos anos 1970, descontente com sua carreira na televisão formou-se em filosofia e Direito, passando a atuar como advogado criminalista.

    Entre seus muitos trabalhos em teatro estão as peças Pedreira das Almas; Mulher, Melhor Investimento; A Calça; O Que o Mordomo Viu e Novela das Oito

    Na televisão, seus traços fortes e marcantes o levaram a interpretar personagens vilanescos e entre seus trabalhos de maior sucesso  destaca-se o terrível Dr. Gondim, um dos grandes vilões da novela Ídolo de Pano.  

    Rildo Gonçalves

    Rildo Gonçalves
    Rildo Gonçalves

    Rildo Gonçalves

    Rildo Gonçalves

    Rildo Gonçalves

    Rildo Gonçalves

    Rildo Gonçalves

    Rildo Gonçalves

    Rildo Gonçalves

    Rildo Gonçalves
    Rildo Gonçalves


    Rildo Gonçalves com Laura Cardoso no teleteatro Hamlet

    Rildo Gonçalves com Marisa Sanches em Alma Cigana (TV Tupi, 1964), novela de Ivani Ribeiro

    Rildo Gonçalves com Ana Rosa e Amilton Fernandes em Alma Cigana 
    Rildo Gonçalves em Alma Cigana
    Rildo Gonçalves com Ana Rosa em Alma Cigana

    Rildo Gonçalves com Lisa Negri em A outra (TV Tupi, 1965), novela de Walter George Durst


    Rildo Gonçalves com Wilson Fragoso em Somos Todos Irmãos (TV Tupi, 1966), novela de Benedito Ruy Barbosa
    Rildo Gonçalves (à dir.) em Somos Todos Irmãos (


    Rildo Gonçalves com Ana Rosa em O Anjo e o Vagabundo (TV Tupi, 1966/67), novela de Benedito Ruy Barbosa
    Rildo Gonçalves com Adriano Reys em Bel Amy (TV Tupi, 1972), novela de Ody Fraga

    Rildo Gonçalves com Carmem Silva em Ídolo de Pano (TV Tupi, 1974/75), novela de Teixeira Filho

    Rildo Gonçalves com Dênis Carvalho em Ídolo de Pano 

    Rildo Gonçalves com Geni Prado e Glauce Graieb no lançamento de Ídolo de Pano 

    Rildo Gonçalves com Adriano Reys e Yara Lins em Ídolo de Pano 

    Rildo Gonçalves numa cena de Ídolo de Pano com Silvio Francisco, Eudoxia Acuña, Adriano Reys e Carmem Silva  

    Rildo Gonçalves com Adriano Reys em Ídolo de Pano 

    Rildo Gonçalves com o elenco de Ídolo de Pano 

    Rildo Gonçalves com Débora Duarte e Márcia de Windsor em O Profeta (TV Tupi, 1977/78), novela de Ivani Ribeiro

    Rildo Gonçalves com Glauce Graieb em O Profeta 

    Rildo Gonçalves com Ruthinéia de Morais, Victor Branco, Guilherme Correia e Thaís de Andrade na peça Novela das Oito 

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), sites diversos da Internet, Programas de Teatro

    0 0

    Serafim Gonzalez  nasceu na cidade de Sertãozinho (SP) em 19 de maio de 1934. Filho de espanhóis, começou sua carreira em Santos, aos catorze anos. Sua estréia na televisão deu-se ainda no tempo da programação ao vivo. Atuou em diversas novelas da TV Excélsior (Sublime Amor,  A Muralha, Legião dos Esquecidos,  A Menina do Veleiro Azul,  Os Estranhos, Dez Vidas) e TV Tupi (O Pequeno Lord, Nossa Filha Gabriela, Signo da Esperança, Camomila e Bem-me-Quer, Os Inocentes, Papai Coração, Um Sol Maior, Aritana, Roda de Fogo, Gaivotas). Na emissora paulista, seu maior sucesso foi  Mulheres de Areia, onde viveu a personagem Alemão. Além de ator ele também era o escultor das estátuas de areia que na trama eram esculpidas pelo Tonho da Lua (Gianfrancesco Guarnieri). Outros  grandes sucessos foram A Viagem, como Ismael, o ex-marido da personagem Estela (Irene Ravache), Ídolo de Pano, como o Dr. Fontes, um médico perseguido pelo ciúme doentio da mulher dondoca (Lucy Meirelles) e Ovelha Negra, como o fazendeiro Cirilo, pai e rival do filho, vivido na trama por Rolando Boldrin.
    Entre os anos 1970 e 1980 marcou presença em dezenas de filmes no estilo pornochanchadas, entre elas, sucessos de bilheteria como Convite ao Prazer(1980),  Me Deixa de Quatro (1981), O Inseto do Amor (1980).
    Com o fim da TV Tupi, atuou em novelas do SBT (Fascinação, Chiquititas, Antônio Alves, Marisol, Picara Sonhadora, Jogo do Amor, Cristal), TV Bandeirantes (Ninho da Serpente), TV Manchete (Ana Raio e Zé Trovão, Tocaia Grande), TV Record (A História de Ester, Escrava Isaura). Na TV Globo, onde teve seu último sucesso em televisão, na novela Belíssima, de Silvio de Abreu em 2005, participou de novelas (Mulheres Apaixonadas, Felicidade, Anjo Mau) e minisséries (Abolição, Sampa, Memórias de Um Gigolô, Mad Maria, Aquarela do Brasil, Dona Flor e Seus Dois Maridos).


    Serafin Gonzalez morreu  de insuficiência respiratória, aos 72 anos de idade,  na cidade de Santos em 29 de abril de 2007. Era casado, desde 1955, com a ex-atriz Mara Hüsemann, com quem teve três filhos.


    Serafim Gonzalez

    Serafim Gonzalez

    Serafim Gonzalez

    Serafim Gonzalez e o elenco de Camomila e Bem-Me-Quer (TV Tupi, 1972), novela de Ivani Ribeiro

    Serafim Gonzalez e o elenco de Mulheres de Areia (TV Tupi, 1973), novela de Ivani Ribeiro

    Serafim Gonzalez, Cleyde Yáconis, Gianfrancesco Guarnieri, Carlos Zara e Eva Wilma em Mulheres de Areia

    Maria Izabel de Lizandra, Carlos Zara, Eva Wilma, Cleyde Yáconis e Serafim Gonzalez em Mulheres de Areia

    Serafim Gonzalez com Ana Rosa em Mulheres de Areia

    Serafim Gonzalez em Mulheres de Areia

    Serafim Gonzalez com Gianfrancesco Guarnieri em Mulheres de Areia

    Serafim Gonzalezcom Yvan Mesquita em Mulheres de Areia

    Serafim Gonzalezcom Maria Estela em Mulheres de Areia

    Serafim Gonzalez com Jonas Melo em Os Inocentes (TV Tupi, 1974), novela de Ivani Ribeiro

    Serafim Gonzalez com Lucy Meirelles, Suzana Gonçalves e Cleston Teixeira em Ídolo de Pano (TV Tupi,  1974/1975), novela de Teixeira Filho

    Serafim Gonzalez com Laura Cardoso e Tony Ramos em Ídolo de Pano

    Serafim Gonzalez com Suzana Gonçalves em Ídolo de Pano

    Serafim Gonzalez com Silvia Leblon em Ídolo de Pano

    Serafim Gonzalez com Laura Cardoso em Ídolo de Pano

    Serafim Gonzalez com Dênis Carvalho, Lucy Meirelles e Suzana Gonçalves em Ídolo de Pano

    Serafim Gonzalez com Rolando Boldrin, Cleyde Yáconis, Francisco di Franco, Geórgia Gomide, Ednei Giovenazzi e Laura Cardoso em Ovelha Negra (TV Tupi, 1975), novela de Walter Negrão e Chico de Assis

    Serafim Gonzalez com  Ednei Giovenazzi em Ovelha Negra

    Serafim Gonzalez com Rachel Araújo, Rolando Boldrin e Cleyde Yáconis em Ovelha Negra

    Serafim Gonzalez com Eva Wilma em A Viagem (TV Tupi, 1975/76), novela de Ivani Ribeiro

    Serafim Gonzalez com Irene Ravache e Suzi Camacho em A Viagem

    Serafim Gonzalez com Eva Wilma em A Viagem

    Serafim Gonzalez com Eva Wilma em A Viagem

    Serafim Gonzalez com Eva Wilma em A Viagem

    Serafim Gonzalez com Paulo Goulart e Nicete Bruno em Papai Coração (TV Tupi, 1976), novela de José Castellar
    Serafim Gonzalez com Rolando Boldrin em Roda de Fogo (TV Tupi, 1978), novela de Sérgio Jockymann

    Serafim Gonzalez em Roda de Fogo 

    Serafim Gonzalez com o elenco de Gaivotas (TV Tupi, 1979), novela de Jorge Andrade
    Serafim Gonzalez com Maria Estela, Carlos Briani e Martha Mellinger em Pícara Sonhadora (SBT, 2001)


    Serafim Gonzalez com Meire Vieira no filme As Prostitutas do Dr. Alberto (1981), direção de Alfredo Sternheim

    Serafim Gonzalez com Roberto Maia no filme O Convite ao Prazer (1980),  direção de Walter Hugo Khouri


    Serafim Gonzalez com Helena Ramos no filme O Convite ao Prazer

    Serafim Gonzalez com Helena Ramos no filme O Convite ao Prazer

    Serafim Gonzalez com Wilma Dias no filme O Convite ao Prazer

    Serafim Gonzalez com Roberto Maia e Wilma Dias no filme O Convite ao Prazer

    Serafim Gonzalez  no filme As Filhas do Fogo (1978), direção de Walter Hugo Khouri

    Serafim Gonzalez  no filme As Filhas do Fogo (1978)

    Serafim Gonzalez com Mário Benvenutti, José Miziara, Helena Ramos e Felipe Levy no filme Os Indecentes (1980), direção de Antonio Meliande
    Serafim Gonzalez com Claudete Joubert no filme Os Indecentes (1980)

    Serafim Gonzalez com Claudete Joubert e Felipe Levy no filme Os Indecentes (1980)

    Serafim Gonzalez com Claudete Joubert no filme Os Indecentes (1980)

    Serafim Gonzalez  no filme  Incesto - Um Desejo Proibido (1976), direção de Fauzi Mansur

    Serafim Gonzalez  no filme  Incesto - Um Desejo Proibido (1976)

    Serafim Gonzalez  com Matilde Mastrange no filme  Incesto - Um Desejo Proibido (1976)

    Serafim Gonzalez  com Rosana Ghessa no filme  Me Deixa de Quatro (1981), direção Fauzi Mansur

    Serafim Gonzalez com Helena Ramos no filme  Me Deixa de Quatro (1981)


    Serafim Gonzalez  no filme  Retrato Falado de Uma Mulher Sem Pudor (1982)

    Serafim Gonzalez  no filme  Retrato Falado de Uma Mulher Sem Pudor (1982), direção de Jair Correia e Hélio Porto

    Serafim Gonzalez  com Luiz Carlos de Morais no filme  Retrato Falado de Uma Mulher Sem Pudor (1982)

    Serafim Gonzalez com Zélia Diniz no filme O Inseto do Amor (1980), direção de Fauzi Mansur
    Serafim Gonzalez  com Ênio Gonçalves no filme  Sexo às Avessas (1982), direção de Fauzi Mansur


    Serafim Gonzalez  no filme  Sexo às Avessas (1982)

    Serafim Gonzalez  com Carlos Capeletti e Mário Benvenutti no filme  S.O.S. Sex-Shop (1984), direção de Pedro carlos Rovai


    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), site SBT, sites diversos da Internet, site Banco de Conteudos Culturais (www.bcc.org.br) 


    0 0

    Renata Mirra Ana Maria Fronzi nasceu  na cidade de Rosário (Argentina) em 1º. de Agosto de 1925.
    Filha e neta de artistas italianos, veio pra O Brasil ainda menina. Estudou balé e estreou nos palcos aos 15 anos de idade, atuando na comédia Sol de Primavera, na Cia de Teatro de Eva Todor. Pelas mãos do legendário Walter Pinto, entrou para o Teatro de Revista em 1945, num espetáculo chamado Rabo de Foguete, se tornando em pouco tempo uma  prestigiada vedete.
    Por  imposição do pai, voltou à Argentina onde permaneceu 2 anos. Com a morte dele, voltou para o Brasil e aos espetáculos. Pouco tempo depois se casaria com o locutor César Ladeira e juntos  fundaram sua própria Companhia de Revista.  Com o declínio do Teatro de Revista nos anos 1960, Renata Fronzi dedicou-se ao cinema e à televisão, onde se destacou no programa de humor A Família Trapo.  Nos anos 1970, aderiu às novelas, sempre em papéis cômicos.

    Renata Fronzi morreu em 15 de Abril de 2008, aos 82 anos, vítima de complicações devido à diabetes.

    Renata Fronzi 

    Renata Fronzi 

    Renata Fronzi 

    Renata Fronzi 

    Renata Fronzi 

    Renata Fronzi 

    Renata Fronzi 

    Renata Fronzi 

    Renata Fronzi 
    Renata Fronzi 

    Renata Fronzi 

    Renata Fronzi 
    Renata Fronzi 

    Renata Fronzi com Cyll Farney no cinema

    Renata Fronzi com Ankitto no cinema

    Renata Fronzi com Zé Trindade no cinema

    Renata Fronzi com Dercy Gonçalves no cinema

    Renata Fronzi com Otelo Zeloni, Ronald golias, Cidinha Campos e Jô Soares no programa Família Trapo

    Renata Fronzi com Paulo Padilha na novela A Patota (TV Globo)

    Renata Fronzi com fernando José e Paulo Padilha na novela A Patota (TV Globo)

    Renata Fronzi com Arthur Costa Filho na novela A Patota (TV Globo)

    Renata Fronzi com Paulo Padilha, Lúcia Alves, Débora Duarte e Arthur Costa Filho na novela A Patota (TV Globo)

    Renata Fronzi com Nívea Maria na novela O Semideus (TV Globo)

    Renata Fronzi com Nívea Maria na novela O Semideus 

    Renata Fronzi com Juca de Oliveira na novela O Semideus

    Renata Fronzi na novela O Semideus 

    Renata Fronzi na novela O Semideus 

    Renata Fronzi com Sérgio de Oliveira e Nívea Maria na novela O Semideus

    Renata Fronzi com Yara Cortes e Gracinda Freire na novela O Semideus 

    Renata Fronzi com Lauro Corona, Eloísa Mafalda e Andrea Beltrão na novela Corpo a Corpo (TV Globo)

    Renata Fronzi com Daniel Dantas e Cláudio Correa e castro na novela Chega Mais (TV Globo)

    Renata Fronzi com Lélia Abramo na novela Pão Pão, Beijo Beijo (TV Globo)

    Renata Fronzi  na novela Mico Preto (TV Globo)

    Renata Fronzi com Ítalo Rossi e Natália do Vale na novela Transas e Caretas (TV Globo)

    Renata Fronzi com Ronald Golias    no programa Bronco (TV Tupi)
    Renata Fronzi com Ary Fontoura na peça Sábado, Domingo e Segunda
    Renata Fronzi com Ary Fontoura na peça Sábado, Domingo e Segunda

    Renata Fronzi com João Paulo Adour, Françoise Forton e Rubens de Falco na peça Boeing Boeing

    Renata Fronzi no livro Chorar de Rir (Coleção Aplauso)
    Renata Fronzi 

    Fotos - acervo de Orias Elias - revistas Amiga (Bloch Editores), Contigo (Editora Abril), Sétimo Céu (Bloch Editores), Romântica (Editora Vecchi), Melodias  (Editora APA), Manchete (Bloch Editores), Cartaz (Rio Gráfica e Editora SA), Intervalo (Editora Abril), O Cruzeiro, Jornais Diário de São Paulo, Folha de São Paulo, Imprensa Oficial, Blog Revista Amiga e Novelas (Césio Gaudereto), site TV Globo, Site Canal Viva, Cedoc (TV Globo), sites diversos da Internet, site Banco de Conteudos Culturais (www.bcc.org.br) 

    0 0

    Ivan Mesquita nasceu no Rio de Janeiro em 17 de março de 1932.
    Iniciou sua carreira na televisão na TV Excélsior, na novela Mãe, escrita por Ivani Ribeiro. Da mesma autora ele participou de outras 10 novelas.  Nos anos 1970 transferiu-se para a TV Tupi, onde atuou com destaque em novelas como Mulheres de Areia, Vitória Bonelli e  A Barba Azul. Na década seguinte foi para a TV Globo.  Ao todo atuou em  mais de 40 trabalhos na TV entre novelas e minisséries. Na vida pessoal foi casado 4 vezes e teve 10 filhos.
    Ivan Mesquita morreu no dia 01 de Agosto de 2011, aos 79 anos, no Rio de Janeiro, em conseqüência de complicações decorrentes de diabetes.
    Na TV Excélsior atuou nas novelas:   Mãe (1964), A Moça Que Veio de Longe (1964),  Melodia Fatal (1964), Folhas ao Vento (1964), Os Quatro Filhos (1965), A Deusa Vencida (1965), Almas de Pedra (1966), As Minas de Prata (1966) e O Grande Segredo (1967)
    Na TV Record: A Última Testemunha (1968) e Algemas de Ouro (1969)
    Na TV Tupi: Amor sem Deus (1968), As Bruxas (1970), O Meu Pé de Laranja Lima (1970), Nossa Filha Gabriela (1971), Na Idade do Lobo (1972), Vitória Bonelli (1972), Mulheres de Areia (1973), A Barba Azul (1974), Ovelha Negra (1975), Canção para Isabel (1976)

    Na TV Globo:  O Pulo do Gato (1978), Água Viva (1980), O Amor é Nosso (1981), Ciranda de Pedra (1981), Terras do Sem Fim (1982), Sol de Verão (1982), Corpo a Corpo (1984), Grande Sertão: Veredas (1985), Sinhá Moça (1986), Araponga (1990), Tereza Batista (1992), Os Maias (2001).


    Ivan Mesquita 

    Ivan Mesquita 

    Ivan Mesquita 

    Ivan Mesquita 

    Ivan Mesquita 

    Ivan Mesquita 
    Ivan Mesquita 


    Ivan Mesquita com Regina Duarte em A Deusa Vencida (TV Excélsior, 1965), novela de Ivani Ribeiro

    Ivan Mesquita com Glória Menezes em Almas de Pedra (TV Excélsior, 1966), novela de Ivani Ribeiro

    Ivan Mesquita com  Marlene França em Almas de Pedra 

    Ivan Mesquita com Regina Duarte, Procópio Ferreira e Glória Menezes na TV Excélsior

    Ivan Mesquita com Stênio Garcia e Maria Isabel de Lizandra em As Minas de Prata (TV Excélsior, 1966), novela de Ivani Ribeiro

    Ivan Mesquita (à dir.) com o elenco de Algemas de Ouro (TV Record, 1969), novela de Benedito Rui Barbosa

    Ivan Mesquita (à esq.) com o elenco de As Bruxas (TV Tupi 1970), novela de Ivani Ribeiro


    Ivan Mesquita (à esq.) com o elenco de Meu Pé de Laranja Lima (TV Tupi 1970), novela de Ivani Ribeiro
    Ivan Mesquita em Meu Pé de Laranja Lima 
    Ivan Mesquita  com Bete Mendes em  Nossa Filha Gabriela (TV Tupi 1971), novela de Ivani Ribeiro
    Ivan Mesquita  em  Nossa Filha Gabriela 


    Ivan Mesquita  com Bete Mendes em  Na Idade do Lobo (TV Tupi 1972), novela de Sérgio Jockymann

    Ivan Mesquita  com Berta Zemel, Ana Maria Dias e Yara Lins em  Vitória Bonelli (TV Tupi 1972), novela de Geraldo Vietri

    Ivan Mesquita  com Yara Lins e Carlos Augusto Strazzer em  Vitória Bonelli 

    Ivan Mesquita  com Berta Zemel, Ruthinéia de Morais e Carlos Augusto Strazzer em  Vitória Bonelli 

    Ivan Mesquita  e Yara Lins em  Vitória Bonelli 

    Ivan Mesquita  com Carlos Alberto Riccelli e Berta Zemel numa cena de  Vitória Bonelli 

    Ivan Mesquita  com Carlos Alberto Riccelli e Berta Zemel numa cena de  Vitória Bonelli 


    Ivan Mesquita  com Cláudio Correa e Castro, Márcia Maria, Eva Wilma, Carlos Zara e Edgar Franco em  Mulheres de Areia (TV Tupi 1973), novela de Ivani Ribeiro

    Ivan Mesquita com Gianfrancesco Guanieri, Eva Wilma e Cleyde Yáconisno lançamento de  Mulheres de Areia

    Ivan Mesquita (centro) com o elenco de Mulheres de Areia

    Ivan Mesquita (centro) com o elenco de Mulheres de Areia

    Ivan Mesquita com Gianfrancesco Guanieri em  Mulheres de Areia

    Ivan Mesquita com Analu Grace em  Mulheres de Areia

    Ivan Mesquita em  Mulheres de Areia

    Ivan Mesquita em  Mulheres de Areia

    Ivan Mesquita com Serafim Gonzalez em  Mulheres de Areia

    Ivan Mesquita  em  Mulheres de Areia

    Ivan Mesquita com Gianfrancesco Guanieri em  Mulheres de Areia
    Ivan Mesquita  em  Mulheres de Areia

    Ivan Mesquita  com Cláudio Correa e Castro, Márcia Maria, Eva Wilma e Carlos Zara em  Mulheres de Areia 
      com Cláudio Correa e Castro, Ivan Mesquita, Carlos Zara, Eva Wilma, Edgar Franco e Márcia Maria em  Mulheres de Areia 

    Ivan Mesquita  com Yolanda Cardoso em  A Barba Azul (TV Tupi 1974), novela de Ivani Ribeiro

    Ivan Mesquita  com Wanda Stefânia, Yolanda Cardoso e Haroldo Botta em  A Barba Azul